Cinema

24ª edição do Festival É Tudo Verdade começa nesta quarta-feira (3)

Mostra de documentários é uma dos principais eventos do gênero na América Latina e os vencedores das mostras competitivas são qualificados para seleção do Oscar

publicado: 03/04/2019 11h49,
última modificação: 03/04/2019 11h49
A abertura do festival É Tudo Verdade será nesta quarta-feira com o documentário “Mike Wallace Está Aqui” (Foto: Divulgação)

O festival internacional de documentários É Tudo Verdade (ETV) começa nesta quarta-feira (3), em São Paulo. A sessão especial de abertura, no auditório Ibirapuera, terá exibição do filme “Mike Wallace Está Aqui”, de Avi Belkin, sobre o temido apresentador do programa de entrevistas “60 Minutes”. Neste ano, o festival exibirá 66 filmes, em sessões gratuitas, entre 4 e 14 de abril. Além de São Paulo, o ETV também será realizado no Rio de Janeiro, de 8 a 14 de abril, na Estação NET Botafogo e no Instituto Moreira Salles.

De acordo com o diretor do festival, Amir Labaki, o trabalho de curadoria foi um dos mais intensos da década, já que mais de 1.600 títulos foram inscritos. “Uma extraordinária nova safra de documentários brasileiros está ao centro do É Tudo Verdade. Serão 13 longas documentais nacionais inéditos, em uma programação geral de mais de 60 filmes”, ressalta.

Seleção para o Oscar

Este ano, uma das novidades é que o longa-metragem que vencer a mostra competitiva estará automaticamente classificado para disputar uma vaga entre os indicados ao Oscar de Melhor Documentário de Longa-Metragem em 2020. Há três anos, o mesmo ocorre com os curtas. “A ampliação do convite da Academia para avaliar também os longas representou um estímulo extra para nosso trabalho. É uma grande honra que os vitoriosos nas disputas de longas e de curtas, brasileiros e internacionais, estejam diretamente qualificados para concorrer a uma vaga no Oscar”, destaca Amir.

Mostras especiais

Em 2019, compõem a programação as mostras competitivas nacional e internacional para longas/médias metragens e para curtas metragens; a mostra Latino-americana e as mostras especiais. Uma delas presta homenagem ao cineasta Nelson Pereira dos Santos, com documentários produzidos pelo diretor sobre Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda.

Outro homenageado é o diretor francês Claude Lanzmann, considerado um dos maiores documentaristas da história e diretor do clássico “Shoah” (1985), sobre o holocausto. O festival apresentará a série “As Quatro Irmãs”, inédita no Brasil, e que conta a história de sobreviventes do nazismo, todas entrevistadas durante o processo de produção de “Shoah”, que levou 12 anos para ser concluído.

Para a jornalista Silvia Ruiz, o festival é de grande importância, principalmente no momento em que o documentário tem ganhado tanta visibilidade. “O documentário está em alta, basta checar no Netflix, por exemplo, que possui uma ampla base desse gênero”, ressalta. Ainda que não tenha sido muito assídua às últimas edições do festival, Silvia disse que é fã e que já assistiu a vários filmes. O que mais a marcou foi “Check Point” (exibido no ETV de 2004), que mostra a tensão nos pontos de inspeção das fronteiras de Israel. “O interessante é que mostra o que vivem e como são tratados os palestinos desde o olhar de um diretor israelense”, completa.

Programação estendida

Quem não puder comparecer às exibições durante o festival (veja aqui a programação completa) ainda tem a oportunidade de assistir a alguns filmes. O Instituto Itaú Cultural, em parceria com o É Tudo Verdade, traz exibições exclusivas no site www.itaucultural.org.br. Os títulos, todos comentados por Amir Labaki, têm como foco o cinema brasileiro.

Além disso, nas terças-feiras do mês de abril, na sessão das 19h, os cinemas do Itaú Cultural irão exibir os vencedores das mostras competitivas e filmes das edições anteriores do É Tudo Verdade. As unidades do Sesc de Araraquara, Jundiaí, Santos, São José dos Campos e Sorocaba também organizarão sessões com algumas obras da programação do ETV. Outra parceria irá disponibilizar alguns títulos da seleção internacional deste ano na plataforma SPCinePlay. O acesso é gratuito e os filmes ficarão disponíveis por 30 dias.

Lei de Incentivo à Cultura

O festival É Tudo Verdade contou com o apoio da Lei de Incentivo à Cultura desde sua segunda edição, tendo captado cerca de R$ 16 milhões ao longo de 22 anos. Cabe ressaltar que toda a programação do festival é gratuita, tanto no Rio quanto em São Paulo. Desde 2006, ano em que a organização começou a estimar seu público, mais de 300 mil pessoas já assistiram aos filmes exibidos em suas mostras. Além disso, o ETV emprega cerca de 110 pessoas direta e indiretamente. Mais de 2 mil filmes já foram apresentados, sendo que 75 foram premiados.

Leia também:
Festival é referência na divulgação de documentários brasileiro

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania