Literatura

Acervo da Casa de Rui Barbosa é cedido para publicações editoriais

A FCRB conta com 130 arquivos privados de escritores. O material, que inclui documentos, fotos e cartas, pode ser utilizado em publicações

publicado: 14/01/2019 19h41,
última modificação: 15/01/2019 10h43

Escritores, pesquisadores e estudantes contam com um rico e gratuito acervo para fins de reprodução e pesquisa. Tratam-se de documentos raros da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), entidade ligada ao Ministério da Cidadania. O material vem sendo utilizado, por exemplo, em publicações literárias. Na obra Todas as crônicas – Clarice Lispector, organizada por Pedro Karp Vasquez, foram incluídas crônicas cedidas pela fundação. Imagens da autora também ilustram o livro de Teresa Montero, O Rio de Clarice, Passeio afetivo pela cidade. As contribuições da FCRB também estão presentes em “O poeta e outras crônicas de literatura e vida”, com crônicas de Rubem Braga; e em “A invenção de Orfeu”, com poema e fotos do escritor Jorge de Lima.

A Fundação possui 130 arquivos privados de escritores brasileiros, além de uma coleção de documentos avulsos, coletados esparsamente ao longo dos anos. Nesta parte do acervo, encontram-se materiais de escritores como Augusto Meyer, Gonzaga Duque, Lúcio Cardoso, Manuel Bandeira, Machado de Assis, entre outros.

A busca e a escolha dos documentos para consulta podem ser feitas por meio da base de dados da entidade. Quando o pesquisador opta por reproduzir o documento, técnicos da fundação encaminham o contato do detentor dos direitos autorais para a liberação do material.

“Nós temos muito nítida (a ideia) de que é a nossa obrigação disponibilizar, mas como estes autores não estão em domínio público, as famílias são contatadas e nós damos o acesso aos eventuais interessados para que entrem em contato com a família para ver se eles autorizam ou não”, detalha a presidente da fundação, Marta de Senna.

Para o livro O Rio de Clarice, Passeio afetivo pela cidade, por exemplo, a fundação cedeu 12 fotos, digitalizadas após a autorização do detentor dos direitos autorais sobre elas – no caso, o filho da escritora, Paulo Gurgel Valente.

Assim que o detentor do direito autoral libera a reprodução, o pesquisador comunica a Fundação Casa de Rui Barbosa e, então, é autorizado a reproduzir o documento. Um exemplar da obra em que o documento é reproduzido deve ser enviado à FCRB, a partir da assinatura de um termo.

Edições da Casa de Rui

A Fundação Casa de Rui Barbosa também edita livros desde 1942. São mais de 700 títulos, publicados em coedição ou isoladamente. O selo Edições Casa de Rui Barbosa foi criado em 1995. Por não ser uma editora comercial, a fundação prioriza obras relacionadas a um largo espectro de interesses intelectuais.

As obras editadas pela fundação são preferencialmente doadas a interessados ou, eventualmente, vendidas por meio do pagamento de uma Guia de Recolhimento da União (GRU). A maior parte das publicações é composta por pesquisas de servidores da instituição.

A Casa de Rui ainda é depositária de uma série de autores da literatura brasileira e de políticos brasileiros, além do acervo de Rui Barbosa, com mais de 80 mil documentos e o selo da Unesco de Memória do Mundo.

Consultas

Para mais informações e verificações sobre a disponibilidade de obras editadas pela FCRB deve ser feita ao Serviço de Editoração pelo e-mail editora@rb.gov.br.

Já as consultas ao acervo da FCRB podem ser agendadas pelo e-mail consulta.acervo@rb.gov.br, pelo telefone (21) 3289-8665, ou diretamente na sala de consultas da fundação.

O pedido de livros para consulta no mesmo dia deve ser feito até as 16h30. Já outros documentos devem ser solicitados com antecedência mínima de 24 horas, incluindo documentos sonoros, de imagens em movimento, microfilmados e de outros suportes.

Serviço

Fundação Casa de Rui Barbosa
Endereço: Rua São Clemente 134, Botafogo, Rio de Janeiro (RJ)

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania