Agenda em Paulínia

Cidade paulista inaugura Theatro Multimídia e realiza Festival de Cinema

publicado: 26/03/2013 22h08,
última modificação: 30/01/2019 15h39

Eventos ligados ao Pólo Cinematográfico terão a presença do secretário do Audiovisual do MinC

Com forte atividade petroquímica, a cidade de Paulínia, no interior de São Paulo, vem buscando desenvolver outra vocação. Desde 2005, o município tem investido seus gastos culturais na formação de um pólo cinematográfico, com o objetivo de diversificar suas fontes de renda e aumentar o interesse turístico.

No final desta semana, o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Silvio Da-Rin, participa de eventos na cidade. Na sexta-feira, 4 de julho, às 19h, estará presente na inauguração do Theatro Multiuso Municipal, que terá capacidade para 1.300 lugares em 12 mil m².

O novo espaço se soma à infra-estrutura do Pólo Cinematográfico, que conta com cinco estúdios; uma escola profissionalizante; o Museu da Imaginação, com acervo dedicado à linguagem e história das mídias audiovisuais; e escritórios temporários, disponíveis para a produtoras como apoio às suas atividades.

Na noite de sábado (dia 5), o Theatro Municipal servirá de palco para a realização da primeira edição do Festival Paulínia de Cinema, que também contará com as presenças de nomes como Fernanda Montenegro, Ney Latorraca, Selton Mello.


Projeto Paulínia Magia do Cinema

O Paulínia Magia do Cinema nasceu no ano de 2005 como um projeto da prefeitura, de modo a reforçar a cultura e diversificar atividade econômica. Segundo a Secretaria de Cultura do município, foram investidos R$ 100 milhões. Além da infra-estrutura física, a iniciativa abrange atividades de exibição de filmes, como mostras e, agora, o Festival de Cinema.

Neste ano, Paulínia passou a ter sua ‘Film Comission’, que presta informações sobre as locações e fornecedores, oferece suporte e colaboração nas produções e concede autorizações para filmagem. Somam-se a esses esforços as leis de incentivo municipais, que pedem como contrapartida o investimento de parte do valor apoiado na própria cidade e a contratação de elenco e mão-de-obra locais.

Dentre as produções brasileiras beneficiadas com o projeto, encontram-se filmes consagrados como Budapeste, de Walter Carvalho, e Ensaio sobre a Cegueira, de Fernando Meirelles, além de títulos rodados na cidade.