Cooperação

Brasil e Azerbaijão estreitam relações na área da Cultura

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, se encontrou com o ministro da Cultura azerbaijano, Abulfaz Garayev. Na pauta, a cooperação em literatura, audiovisual e música

publicado: 05/07/2019 18h21,
última modificação: 05/07/2019 18h21
Secretário Henrique Pires e o ministro Abulfaz Garayev debateram parcerias na áreas literária e do audiovisual (Foto: Divulgação)

As relações culturais entre o Brasil e o Azerbaijão, país localizado na Ásia Ocidental, ficaram mais estreitas esta semana. Em missão oficial no país, o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, alinhou parcerias com o representante da Cultura local. Ao se encontrar com o ministro da Cultura azerbaijano, Abulfaz Garayev, o secretário pontuou caminhos em comum. “Tratamos de alguns assuntos como o ensino do português no Azerbaijão, apoio à tradução de livros nacionais, a produção cinematográfica conjunta e, quem sabe, iniciar esse entendimento com a troca de filmes entre Brasil e Azerbaijão para projeção nos cinemas”, afirmou Henrique Pires.

A cooperação no setor audiovisual ganhou evidência no encontro, no qual ficou acertada a criação da Semana do Cinema Brasileiro no calendário cultural da capital azerbaijana – a Secretaria Especial da Cultura apoiará uma iniciativa semelhante em Brasília. A participação do cinema nacional em festivais e mostras temáticas de cinema em Baku também ficou prevista após o encontro. O cinema do Azerbaijão tem sido um dos mais desenvolvidos da região, trabalhando sob um pano de fundo que envolve tradições muçulmanas, árabes, russas e do leste europeu.

Música Popular Brasileira

Segundo Henrique Pires, os azerbaijanos têm interesse pela Música Popular Brasileira, o que pode ajudar a estreitar os laços culturais entre os dois países. “Tratamos também de turnês de musicistas. E ainda convidamos o ministro para visitar o Brasil e para que leve uma delegação do Azerbaijão para os encontros de arquitetura que nós teremos no Rio de Janeiro em 2020”, relatou o secretário.

Ao final do encontro, Henrique Pires deu as felicitações ao ministro Garayev pelo êxito na organização da 43ª Sessão do Comitê do Patrimônio Histórico da Unesco em Baku, que concedeu a Paraty e Ilha Grande (RJ), nesta sexta-feira, o título de Patrimônio Mundial.

Patrimônio em Baku

O Azerbaijão é uma ex-república soviética com quase 10 milhões de habitantes. É cercado pelo Mar Cáspio e pelas montanhas do Cáucaso, que se estendem da Ásia à Europa. Sua capital, Baku, que tem o centro histórico listado como Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), é famosa pelo centro medieval fortificado, onde se encontra o Palácio dos Shirvanshahs, um retiro real que data do século XV, e a centenária Maiden Tower, construção de pedra que domina o horizonte da cidade. Faz fronteira com a Armênia a norte e leste, pelo Irã ao sul e oeste, e possui uma pequena fronteira com a Turquia a noroeste.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania