Tradição

Cidadania, Movimento Tradicionalista Gaúcho e CTG se unem pela infância

Parceria entre as instituições pretende levar oficinas e gerar transformação social em municípios de todo o País

publicado: 08/08/2019 14h46,
última modificação: 09/08/2019 16h56
Foto: Ronaldo Caldas/Ministério de Cidadania

Proporcionar atividades no contra turno escolar para jovens e crianças em situação de vulnerabilidade social utilizando as estruturas dos Centros de Tradições Gaúchas (CTGs). Essa é a proposta que o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Nairo Callegaro, apresentou ao secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires.

O projeto, ainda em desenvolvimento, foi proposto pelo Ministro Osmar Terra em reunião com Callegaro no início de julho deste ano. Está alinhado com as políticas sociais e com a política contra drogas, promovida pelo governo federal e desenvolvida em conjunto pelos ministérios da Cidadania, da Saúde, da Justiça e Segurança Pública, dos Direitos Humanos, da Família e Mulher.

Segundo o ministro Osmar Terra, a ação articulada e integrada entre cultura, esporte e desenvolvimento social é o caminho para promover o desenvolvimento e a prevenção às drogas. “O MTG e o conjunto dos CTGs oferecem um espaço extremamente favorável para o desenvolvimento de atividades artísticas e, ao mesmo tempo, para consolidar valores, consolidar uma visão do mundo positiva; que as crianças em desenvolvimento, os jovens, os adolescentes podem e devem ter”, afirmou Terra.

De acordo com o presidente do MTG, os galpões e outras estruturas dos CTGs ficam ociosas durante a semana e, deste modo, são locais mais que apropriados para abrigar o projeto. Além de oficinas de prendas, danças típicas e de declamação, entre outras, a proposta é de que os participantes também recebam lanche.

Callegaro destacou que alguns CTGs, por conta própria, já desenvolveram atividades semelhantes com grande sucesso, como nos municípios de Gravataí (RS) e de Chapecó (SC), pioneiros na implementação destas atividades. Além de ceder o espaço, os centros também mobilizam os voluntários que ministram as oficinas. As prefeituras ficam responsáveis por oferecer os lanches para as crianças.

O diferencial é que, agora, o projeto tem a possibilidade de ampliar o alcance. De acordo com Osmar Terra, essa parceria “pode oportunizar que milhares de crianças que hoje não têm onde ter uma preparação artística, educação artística, aprendam as nossas tradições, aprendam a nossa história e possam ajudar a disseminar, depois, no futuro. É um momento de emoção que pode se proporcionar a um grande número de crianças nos horários em que elas estão ociosas e que poderiam fazer alguma atividade que não têm onde fazer”.

Dança e rodeio

Durante a reunião, Callegaro também apresentou ao secretário dois outros projetos: o 6º FEGADAN – Festival Gaúcho de Dança e o 15º Festival Nacional de Arte Gaúcha. O FEGADAN, programado para outubro deste ano, em Farroupilha, irá reunir cerca de 100 entidades relacionadas às danças tradicionais gaúchas. O evento trará apresentações de aproximadamente 50 estilos de danças catalogadas por Paixão Cortes.

Já o 15° Fernart – Festival Nacional de Arte e Tradição Gaúcha – será realizado conjuntamente ao 19° Rodeio Crioulo Nacional de Campeões em Criciúma. Os eventos reunirão apresentações artísticas e campeiras e estão programados para janeiro de 2020.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania