Patrimônio

Com apoio do governo federal, BH ganha novo espaço cultural no centro histórico

O Secretário Especial de Cultura, Henrique Pires, prestigia a entrega da obra de restauração do Galpão da Casa do Conde, que funcionará como centro cultural

publicado: 13/04/2019 11h30,
última modificação: 17/04/2019 16h47
Secretário Henrique Pires (à esq.) durante o lançamento do Galpão da Casa do Conde. Foto: Ronaldo Caldas / Ascom Ministério da Cidadania

A partir deste sábado (13), Belo Horizonte (MG) passa a contar com mais um centro cultural: o Galpão da Casa do Conde. Edifício simbólico para a história da construção da capital mineira, a Casa do Conde de Santa Marinha passou por uma série de intervenções, estruturais e arquitetônicas. Na última etapa das obras, foram investidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entidade vinculada ao Ministério da Cidadania, R$ 3,1 milhões.

A entrega do espaço teve a participação do secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires; da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa; do presidente da Embratur, Leônidas Oliveira; do presidente do Instituto Cultural Flávio Gutierrez, Angela Gutierrez; o subsecretário de Cultura da Prefeitura de Belo Horizonte, Gabriel Portela; entre outras autoridades locais e empresários.

“A inauguração deste espaço coloca um equipamento de alta qualidade, no coração de Belo Horizonte, para a realização de eventos e atividades culturais. É uma área maravilhosa, ligada ao patrimônio ferroviário, que está sendo resgatada e entregue à comunidade”, avaliou Henrique Pires.

A Casa do Conde em si, ainda está em obras, e sedia, atualmente, a Superintendência do Iphan-MG. Já o galpão, que encontrava-se desocupado, passará a oferecer uma programação cultural. O auditório e demais espaços serão utilizados para as atividades do próprio Iphan e do Ministério da Cidadania, para ações com foco na cultura e no patrimônio cultural.

O espaço tem a guarda do acervo documental do Iphan, do acervo ferroviário e abrigará o Laboratório de Restauração de Bens Móveis e Arqueologia – resultado de parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais, além de salas para sediar a Associação Mineira das Cidades Históricas e o Comitê Gestor da Capoeira.

“Essa terra é linda. O Iphan nasceu aqui. O DNA do Iphan está aqui. Minas tem quatro patrimônios mundiais e BH está no coração da cidade. A gente está entregando para esse coração o pulsar”, afirmou a presidente do Iphan.

Histórico do Complexo

Foto: Ronaldo Caldas / Ascom Ministério da Cidadania

Localizado em uma área tombada como patrimônio histórico e artístico, o Complexo do Conde de Santa Marinha fica dentro Conjunto Arquitetônico da Praça da Estação. É exemplo da arquitetura eclética e situa-se em área vizinha à Estação Central de Belo Horizonte – principal ponto de embarque e desembarque na capital mineira.

O Complexo foi sendo paulatinamente ocupado pela Estação de Ferro Central do Brasil, sendo o galpão usado para estocar vários materiais utilizados na construção das primeiras edificações de Belo Horizonte, ainda no final do século XIX. Com a extinção da Central do Brasil, passou a abrigar o escritório da Rede Ferroviária Federal (RFFSA), que foi privatizada em 1996.

Abandonado até 2000, o Complexo recebeu a Casa Cor 2000 – ação que impulsionou sua revalorização. Desde então, tem servido como espaço cultural e, a partir de 2005, passa a ser gerenciado e ocupado pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), nas áreas que englobam os galpões e pátios, e pelo Iphan, a área do casarão. Ambas são entidades vinculadas ao Ministério da Cidadania.

Nesta última etapa de restauração, foram realizados a conclusão do Sistema de Segurança, iluminação, circuito fechado de televisão (CFTV), sonorização, sistema de proteção contra descargas elétricas, telecomunicações, iluminação externa, segurança eletrônica, detecção de fumaça e prevenção de incêndio, além de aquisição de mobiliário para implantação do auditório.

Agenda em Minas

Ainda neste sábado (13), o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, e a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, cumprem agenda em obras nas cidades de Ouro Preto e Mariana, na companhia do diretor do departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida, a superintendente do Iphan em Minas Gerais, Celia Corsino, e autoridades locais.

O grupo visita as obras do Museu Boulieu, e da igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias, em Ouro Preto; e das igrejas Catedral da Sé, Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em Mariana. Eles também anunciam investimentos para a obra completa da igreja de São Francisco de Assis e Casa do Conde de Assumar.

Visita ao Galpão da Casa do Conde - Centro - Belo Horizonte - MG

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania