CTAv promove debates sobre participação feminina no audiovisual

Inscrições estão abertas para a Semana da Mulher, que contará com mostra de filmes e mesas que debatem temas como o mercado

publicado: 12/03/2019 11h51,
última modificação: 14/03/2019 10h26

De 25 a 29 de março, o Centro Técnico Audiovisual (CTAv) da Secretaria Especial da Cultura promove a Semana da Mulher, com uma rica programação voltada a apresentar, discutir e homenagear a presença feminina no audiovisual.

Serão realizadas três mesas que discutirão os seguintes aspectos: mulheres negras, mulher trans e mercado feminino audiovisual. O evento ainda oferece uma mostra dedicada exclusivamente a filmes dirigidos por mulheres. As atividades ocorrem sempre das 14h às 17h, na sede do CTAv, no Rio de Janeiro.

Segundo a coordenadora geral do CTAv, Daniela Pfeiffer, a semana lança luz sobre a presença da mulher nas diversas plataformas do audiovisual. “No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, incluímos em nosso calendário uma série de ações e seminários que lembrarão as lutas e conquistas das mulheres, especialmente a sua participação e papel no audiovisual”, afirma.

Inscrições abertas

As inscrições estão abertas até o dia 18 de março e podem ser feitas neste link. São 50 vagas para cada mesa e 25 lugares para assistir a mostra, sendo que o preenchimento será feito segundo a ordem de inscrição – priorizados aqueles que tenham renda mensal familiar inferior ou igual a três salários mínimos (R$ 2.994,00).

Programação

25/03

Mesa: Mulheres Negras no Audiovisual
Integrantes:
Marina Alves – Fotógrafa, operadora de câmera e Professora da UERJ. Conta com projetos junto à Anistia Internacional, Festival FotoRio2018, Núcleo Agoyá;
Thais Rosa – Turismóloga, pesquisadora e empreendedora. Mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Unirio) e Analista Ambiental e Gestão do Território (ENCE). Fundadora da Conectando Territórios, que busca aproximar a história, memória e cultura de comunidades tradicionais brasileiras. Idealizadora e diretora da websérie NZINGAS: Travelling Black Queens.
Lourence – Cozinheira, estudante de Gastronomia, doutoranda em Nutrição, pesquisadora da Cozinha de Santo e Cozinha Afro-brasileira.
Janaína Oliveira – Pesquisadora e curadora, é professora e doutora em História. É curadora do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul (RJ), do Festival Internacional de Realizadoras (PE) e do Festival Les Nuits d’Abidjan (Costa do Marfim). É consultora de filmes sobre a África e a diápora negra para o Festival Internacional de Locarno (Suíça), além de idealizadora e coordenadora do Fórum Itinerante de Cinema Negro (FICINE).
Mediadora:
Angélica Ferrarez – Historiadora, apresentadora do Rodadas, pesquisadora da história e memória do samba.

26/03

Mesa: Mercado Audiovisual Feminino.
Integrantes:
Paula Alves – Formada em Cinema pela UFF. Mestre em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais e doutoranda em População, Território e Estatísticas Públicas pela ENCE/IBGE. Diretora, curadora e produtora do Femina – Festival Internacional de Cinema Feminino. Pesquisadora do GRAPPA – Grupo de Análises de Políticas e Poéticas Audiovisuais e do GRUA – Grupo de Reconhecimento de Universos Artísticos/Audiovisuais. Tem experiência nas áreas de Pesquisas Sociais, Demografia, Cinema, Produção Cultural, Imagem e Representação, Gênero, Cor/Raça, Movimentos sociais e urbanos, Direitos Humanos e Mercado de Trabalho;
Flavia Candida – Produtora cultural, cineasta, curadora audiovisual e analista de projetos. Proveniente do curso de cinema da Universidade Federal Fluminense, onde dirigiu o curta O Metro Quadrado, vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro em 2002.
Karla Holanda – Professora e atual chefe do Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense, é doutora em Comunicação. Estudou a produção documentária independente, centrando-se no Programa DocTV; é mestra em Multimeios (Unicamp), onde desenvolveu pesquisa sobre o documentário feito no Nordeste.
Nina Tedesco – Diretora de fotografia e professora da Universidade Federal Fluminense. Pesquisa questões de gênero e sexualidade no audiovisual, com ênfase na produção latino-americana. É uma das organizadoras do livro Feminino e plural: mulheres no cinema brasileiro (2017).
Mediadora:
Tetê Matos – Doutora em Comunicação pela UERJ (2018) e mestre em Ciência da Arte pela UFF (2000). Desde 1997 é professora do curso de Produção Cultural da UFF. Dirigiu os documentários premiados Era Araribóia um Astronauta? (1998), A Maldita (2007) e Fantasias de Papel (2015) e Maldita FM (2019), em fase de finalização. Exerce atividades de curadoria e consultoria em mostras e festivais. Foi diretora do Araribóia Cine – Festival de Niterói (2002 e 2013).

27/03

Mesa: Representatividade Trans no Audiovisual
Integrantes: A definir.
Mediadora:
Dandara Vital – Atriz, diretora e coordenadora do Projeto Trans+Respeito, projeto de inclusão social de travestis, mulheres trans e homens trans. É também Assessora de Cultura, ambos pela Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Ceds Rio). A partir de sua vivência como uma mulher trans no teatro, mobilizou muitos movimentos que denunciam a falta de representatividade trans nas artes.

29/03

Mostra Olhares Femininos – Sessão de curtas metragens produzidos pela Programadora Brasil (Evento interno e externo).
Filmes da mostra:
Cartão Vermelho, de Laís Bodansky.
Três Minutos, de Ana Luiza Azevedo.
Messalina, de Cristiane Oliveira
Desventuras de um dia, ou a vida não é um comercial de margarina, de Adriana Meirelles.
Dalva, de Caroline Leone.
Estória alegre, de Cláudia Pucci.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania