Premiação

Edital da Fundação Nacional de Artes vai premiar artistas plásticos

Inscrições para a 9ª edição do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça podem ser feitas até 27 de setembro. Três projetos serão selecionados

publicado: 13/08/2019 15h42,
última modificação: 13/08/2019 15h44
Abraham Palatnik – Doação para Fundação José Augusto – 5ª edição do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça. Foto: Divulgação

Estão abertas até 27 de setembro as inscrições para a 9ª edição do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça. Lançado pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), instituição vinculada ao Ministério da Cidadania, o prêmio visa incentivar produções artísticas destinadas ao acervo de instituições museológicas públicas e privadas sem fins lucrativos, fomentar a difusão e a criação das artes visuais e permitir a acessibilidade aos bens culturais e o compromisso com a formação de público. Confira o edital.

Serão selecionados três projetos, em três módulos, em todo o território nacional. O proponente contemplado no módulo I receberá R$ 30 mil; no módulo II, R$ 60 mil; e no módulo III, R$ 100 mil. Os recursos financeiros destinados a este Prêmio somam R$ 250 mil. Desse total, R$ 190 mil serão aplicados em premiação e R$ 60 mil, em despesas administrativas.

Inscrições

As inscrições devem s feitas exclusivamente por meio postal, na modalidade Sedex ou outra forma de via postal expressa, com Aviso de Recebimento (AR), utilizando formulário próprio disponível neste link. No item 6 deste edital, estão todas as informações relacionadas às inscrições.

Uma comissão composta por seis membros, sendo um representante da Funarte e cinco especialistas em artes visuais, com conhecimento comprovado e notoriedade no campo das artes visuais, nomeadas pelo presidente da Funarte, vai avaliar e selecionar as propostas provenientes dos diversos segmentos da expressão visual.

Sobre Marcantonio Vilaça

Personalidade atuante nas artes visuais nas décadas de 1980 e 1990, o advogado por formação dirigiu a revista de arte “Galeria”, fundou com sua irmã a galeria Pasárgada Arte Contemporânea, provocando um movimento renovador em sua cidade natal, Recife (PE), e inaugurou com Karla Ferraz de Camargo a galeria Camargo Vilaça, em São Paulo (SP), considerada a mais importante referência para a arte brasileira nos anos 1990.

Por sua atuação, Marcantonio Vilaça projetou a arte contemporânea brasileira internacionalmente, profissionalizou a representação do artista contemporâneo brasileiro, que passou a frequentar bienais e feiras internacionais, ganhou catálogos e livros e entrou para acervos de grandes museus e coleções particulares. Também investiu ao expor artistas estrangeiros no Brasil, em uma tentativa de abrir os olhos do público brasileiro para a produção contemporânea mundial.

Marcantonio Vilaça morreu aos 37 anos, no dia 1º de janeiro de 2000. Foi homenageado com a criação de dois prêmios de incentivo à produção artística com o seu nome, regulamentados por lei federal. Além deste editado pela Funarte, há o Prêmio CNI/SESI.

Informações:

Outros esclarecimentos sobre o Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça – 9ª Edição podem ser obtidos pelo endereço eletrônico premio.mav2019@funarte.gov.br.

Fundação Nacional de Artes (Funarte)
Ministério da Cidadania