Inhotim

Osmar Terra defende apoio à cultura para desenvolver região de Brumadinho (MG)

Acompanhado do secretário Especial da Cultura, Henrique Pires, ministro da Cidadania visitou Fundação Inhotim acompanhado do presidente do Instituto, o ator Antônio Grassi; visitas ao complexo diminuíram após rompimento de barragem

publicado: 12/04/2019 18h36,
última modificação: 12/04/2019 18h59
Da esquerda para a direita, secretário Henrique Pires, Antônio Grassi e ministro Osmar Terra (Foto: Mauro Vieira/Ministério da Cidadania)

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, e o secretário Especial da Cultura, Henrique Pires, visitaram nesta sexta-feira (12) o Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG). O presidente do Instituto, o ator Antônio Grassi, apresentou obras e galerias de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do mundo.

Caminhando entre a obra metálica Aranha (1996), de Louise Bourgeois, e a multicolorida I’m Here, But Nothing (2000), de Yayoi Kusama, o ministro falou sobre a importância do espaço, que une museu, parque de cultura e jardim botânico. “A fusão da arte feita pelas mãos do homem com a beleza da natureza neste local maravilhoso torna Inhotim um ponto estratégico para a cultura”.

Terra destacou, ainda, o apoio do governo federal para as atividades culturais no município e a criação de um memorial em homenagem às vítimas do rompimento da barragem com rejeitos de mineração, ocorrido em 25 de janeiro. “Entre as ações para o município, vamos apoiar uma área de lembrança para as vítimas e promover o fomento das programações culturais”.

Dos quase 650 funcionários que atuam em Inhotim, mais de 40 tiveram parentes desaparecidos ou mortos na tragédia, de acordo com o presidente do complexo. Antonio Grassi afirmou que as ações do governo federal e da Fundação têm potencial para fazer a diferença na retomada do desenvolvimento cultural da região que, desde o rompimento da barragem, viu reduzir o número de visitantes. “A visita do ministro e do secretário Especial da Cultura é muito relevante e faz aumentar nossa certeza de que Inhotim é importante para a reconstrução da cidade e da região. Com arte, cultura, meio ambiente e edição, podemos transformar as coisas”.

Também na viagem, o ministro da Cidadania lançou um pacto entre os governos federal, estadual e municipal, além de empresas e organizações da sociedade civil, para atrair investimentos ao município. Em maio está prevista uma reunião para marcar o início das atividades.

Diego Queijo
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania