ARTES CÊNICAS

Espetáculo sobre escritora Carolina Maria de Jesus recebe apoio do secretário especial da Cultura

A autora se tornou célebre ao descrever o dia a dia em uma favela. Monólogo sobre sua vida é interpretado pela atriz Andréia Soares, que apresentou o projeto ao representante do governo federal

publicado: 21/08/2019 11h42,
última modificação: 21/08/2019 11h52
Foto: Ronaldo Caldas

A atriz e produtora cultural Andréia Ribeiro Soares e o professor Mario Ribeiro Soares apresentaram, nesta terça-feira (20), a criação do espetáculo teatral “Carolina Maria de Jesus – Diário de Bitita” ao secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, e ao presidente da Fundação Cultural Palmares, Vanderlei Lourenço.

Carolina Maria de Jesus foi uma escritora brasileira que ficou nacional e internacionalmente conhecida após ter divulgados, com autorização, seus diários sobre o dia a dia na favela do Canindé, em São Paulo. O livro “Quarto de Despejo”, publicado nos anos 60, foi traduzido para 14 idiomas e circula em mais de 40 países.

O espetáculo segue as memórias de Carolina descritas em “Quarto de Despejo” e “Diário de Bitita” – livro autobiográfico em que a escritora narra a infância e a adolescência, períodos vividos na cidade mineira Sacramento e no estado de São Paulo. A autora expõe em sua obra as dificuldades de uma catadora de papel e os preconceitos racial e de gênero enfrentados por ela e os três filhos.

O secretário Henrique Pires saudou o trabalho da equipe e reforçou a importância de Carolina Maria de Jesus para a cultura brasileira. “É elogiável a proposta de levar adiante, país afora, a obra da Carolina Maria de Jesus. O livro “Quarto de Despejo” é um marco na literatura brasileira e certamente precisa ser mais conhecido. A Fundação Palmares, através da sua diretoria, está empenhada em colaborar para dar visibilidade a trabalhos como os de Carolina, grandes joias da nossa cultura”, afirmou.

Com estreia em 2015, em Minas Gerais, a peça Carolina Maria de Jesus – Diário de Bitita, já percorreu grandes teatros do eixo Rio-São Paulo. O monólogo é interpretado por Andréia Ribeiro Soares, com adaptação e direção de Ramon Botelho. A próxima temporada do espetáculo está prevista para novembro no Teatro Glaucio Gill, no Rio de Janeiro.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania