Agenda 2019

Funarte apresenta programação de dança pautada pela diversidade

Para 2019, a Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada do Ministério da Cidadania, oferece ao público festivais, espetáculos, oficinas e residências

publicado: 26/04/2019 20h28,
última modificação: 08/05/2019 11h20
A batalha de break integra programação do festival Vivadança, que acontece em Salvador até o próximo dia 29 de abril (Foto: Divulgação)

Festivais, espetáculos, oficinas e residências compõem o rol de atividades elaboradas pela coordenação de Dança da Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada do Ministério da Cidadania, para o ano de 2019. Para compor a programação do segmento da dança, a fundação se orienta segundo o critério da diversidade de estilos artísticos.

Segundo o coordenador de Dança do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Fabiano Carneiro, a agenda foi desenvolvida a partir de uma curadoria específica. “Para isso, incluímos ainda capacitação artística e técnica voltada para a área da dança, que visa levarmos algumas oficinas para diferentes lugares do Brasil”, destacou. A Funarte pretende lançar, até o final do ano, editais que contemplem a área.

Alguns programas, já em andamento, integram o Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas (Iberescena), formado por 14 países além do Brasil. Entre eles, está o Movimento Internacional de Dança (MID), que reúne 10 países de três continentes na capital brasileira. Até o próximo dia 5 de maio, serão 55 apresentações de 36 coreografias, de criadores do Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Alemanha, Bélgica, Burkina Faso, El Salvador, Espanha, França, Itália, Lituânia, México e Moçambique. O evento inclui diversas modalidades de dança, como a contemporânea, a moderna, a clássica, a tribal e a popular. Segundo a proposta do MID, a integração se dá pela “urgência do intercâmbio num século em que precisamos estar em rede para sermos mais efetivos e potentes”.

Dança no RJ

O Centro Coreográfico do Rio de Janeiro recebe, no dia 4 de maio, projeto voltado para produtores e criadores negros, uma residência artística. O projeto Criadores Negros na Dança – Brasil/Moçambique foi um dos selecionados pelo comitê do Conselho Intergovernamental do Iberscena. O Coletivo Negração dedica um dia inteiro de programação às danças que atravessam África e Brasil. A residência contará com Fabio Batista, que irá ministrar a oficina de Dança Afro Contemporânea, em parceria com o percussionista Kaio Ventura. Além disso, o bailarino africano Pak Ndjamena, irá compartilhar de sua trajetória na dança.

Entre os dias 25 de abril e 19 de maio, o Teatro Cacilda Becker, espaço da Funarte, traz o espetáculo Maria, realizado pela Companhia Nós da Dança (RJ), que mistura de dança, canto, texto e percussão. Com elementos de dança moderna, afro e dança do ventre, a peça homenageia as mulheres. A proposta é “demonstrar os aspectos particulares do universo feminino”, por meio da mesclagem de expressões artísticas. A montagem é apresentada sempre de quinta-feira a sábado, às 20h, e aos domingos, às 18h.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania