Comemoração

Museu Nacional de Belas Artes lança projeto de “adoção” do acervo

O lançamento projeto AdotARTE integra a comemoração dos 82 anos do museu, que ainda celebra a conquista de novas obras para a instituição

publicado: 12/01/2019 13h39, última modificação: 15/01/2019 12h02
O MNBA integra uma lista de 30 instituições museais que são de responsabilidade do governo federal por meio do Ibram, entidade vinculada ao Ministério da Cidadania (Foto: Jaime Acioly)

Em comemoração ao seu aniversário de 82 anos, comemorado no domingo (13), o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro, lançou o projeto AdotARTE, recebeu doações de acervos e homenageou apoiadores em solenidade de comemoração.

Durante o evento, foi apresentado ao público mais detalhes de como funcionará o projeto AdotARTE. Iniciado há cerca de quatro meses, por iniciativa pessoal de dois frequentadores do local, o museu conseguiu restaurar a tela Baile à Fantasia, pintada por Rodolpho Chambelland, em 1913.

O empresário Kevin Ridgely e o artista plástico Marcos Chaves procuraram a instituição e decidiram “adotar” essa obra, cuja restauração foi supervisionada pela equipe do próprio museu. Por meio da Associação dos Amigos do Museu Nacional de Belas Artes (ABA), eles doaram cerca de R$ 30 mil. A obra já pode ser contemplada pelos visitantes da instituição.

A ação foi feita sem contrapartida por parte do museu. A ideia é que a atitude inspire outras pessoas e empresas, que também podem adotar parte do acervo do museu, garantindo recursos extras para a manutenção do espaço, restaurações de obras, exposições e publicações, entre outras atividades. Os doadores receberão relatórios e poderão acompanhar o uso dos recursos doados.

Para a diretora do museu, Monica Xexéo, o AdoARTE poderá aproximar ainda mais as pessoas do museu. “Essa experiência de doação espontânea é muito frequente e comum nos museus europeus e americanos. No Brasil, nós não temos muita essa cultura da pessoa física, comum, poder participar de um projeto”, destaca. “Qualquer pessoa que tenha interesse pode fazer parte deste grande museu, que é o Museu Nacional de Belas Artes”, completa.

Programação de aniversário

A comemoração dos 82 anos do museu teve início no domingo (13), às 11h, com a entrega do diploma Quirino Campofiorito. Concedido desde 2011, a homenagem é feita a personalidades ou familiares de pessoas que contribuíram de forma relevante para a preservação da arte, do patrimônio e da cultura brasileira. Neste ano, foram entregues 14 diplomas – entre os homenageados, estão cineastas, apoiadores do museu e servidores de carreira.

No mesmo evento, o público também conheceu as novas aquisições do museu: a Coleção Glauco Rodrigues e o Acervo de Anita Prestes. Na ocasião, houve um ato de assinatura da doação pelos familiares.

O MNBA passa a contar com cerca de 700 obras entre pinturas, esculturas e gravuras do artista gaúcho Glauco Rodrigues, doados pela esposa dele, Norma Estelita Pessoa. Além das obras, há 54 itens bibliográficos e mais quatro metros lineares de documentos de correspondências pessoais de Rodrigues com intelectuais e artistas.

Da historiadora Anita Leocádia Prestes, a doação foi de seu acervo pessoal: um quadro com imagem da mãe, Olga Benário, pintado por Cândido Portinari; e um busto do pai, Luiz Carlos Prestes, feito por Honório Peçanha.

Para estimular a visitação no mês de comemoração do aniversário, o museu abrirá suas portas todos os dias, com exceção das segundas, com entrada gratuita. A média de visitantes por dia tem sido de cerca de mil pessoas.

Sobre o MNBA

Aberto ao público desde 1938, o Museu Nacional de Belas Artes está situado em edifício histórico que abrigava originalmente a Academia Imperial de Belas Artes, fundada por Dom João VI, no contexto da formação de uma arte nacional brasileira.

O Belas Artes integra uma lista de 30 instituições museais que são de responsabilidade do governo federal, por meio do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), entidade vinculada ao Ministério da Cidadania.

O museu abriga a maior e mais importante coleção de arte brasileira do século XIX, concentrando um acervo de setenta mil itens – entre pinturas, desenhos, gravuras, esculturas, objetos, documentos e livros – que testemunha a história das artes plásticas no Brasil desde seus primórdios até a contemporaneidade.

Para contribuir 

Os interessados em contribuir com o MNBA podem fazer doações em qualquer valor, por meio da Associação dos Amigos do Museu Nacional de Belas Artes (ABA). Os contatos para a contribuição são o telefone (21) 97660-7794 ou o email associacaoaba.mnba@gmail.com.

Serviço 

Museu Nacional de Belas Artes
Avenida Rio Branco, 199, Centro (Cinelândia), Rio de Janeiro
Telefone: (21) 3299-0600
Terça a sexta-feira das 10h às 18h
Sábados, domingos e feriados das 13h às 18h

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania