Cooperação

Na Argentina, Cúpula Cultural das Américas debate coordenadas para o futuro

Representantes de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Peru, Canadá, Estados Unidos e Colômbia debateram as mudanças culturais que impactam os atuais modelos e práticas culturais

publicado: 28/06/2019 18h14,
última modificação: 01/07/2019 13h38
O evento conta com representantes de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Peru, Canadá, Estados Unidos e Colômbia (Foto: Mauro Vieira/Ministério da Cidadania)

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, representou o Brasil nesta sexta-feira (28) na Cúpula Cultural das Américas, realizada em Buenos Aires, na Argentina. Pires destacou que o evento, que está na segunda edição, é uma excelente oportunidade para a troca de experiência sobre os temas comuns e as dificuldades enfrentadas na área de cultura. O evento conta com representantes de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Peru, Canadá, Estados Unidos e Colômbia.

“O grande enfoque é a questão da cultura como forma de integração das pessoas, considerando as diferenças regionais, diferenças étnicas, as diferenças todas. E a cultura tem esse poder de unir a todos. É importante manter essa prática, respeitando diferenças e propagando as culturas dos mais diversos lugares”, declarou Henrique Pires.

Em 2019, a Cúpula Cultural das Américas, que segue até este sábado (29), tem como tema “Mudanças Culturais em Território Diversificado”. O evento conta com painéis, conferências e debates sobre as realidades enfrentadas pelos países das Américas. Nestes dois dias, serão debatidas as mudanças que impactam os atuais modelos e práticas culturais.

Na abertura do evento, na manhã desta sexta-feira, o secretário da Cultura da Argentina, Pablo Avelluto, classificou o evento como positivo para uma discussão franca e sincera sobre as políticas culturais e os desafios a serem enfrentados. “Estamos num mundo a uma velocidade em que as próprias instituições culturais não podem dar conta. Essa é a possibilidade de pensarmos tudo de novo. Podemos gastar fortunas em projetos de consultoria, mas aqui temos uma enorme possibilidade de modernizar nossas instituições”, enfatizou.

O secretário de Cultura e Criatividade da Secretaria da Cultura da Argentina, Andrés Gribnicow, destacou que é preciso unir forças para o pleno desenvolvimento cultural das Américas. “É um evento importante para nos conscientizarmos de que ciência e cultura devem trabalhar juntas para o desenvolvimento das Américas”, argumentou. Já a diretora-executiva da Federação Internacional dos Conselhos de Artes e Agências Culturais, Magdalena Moreno Mujica, ressaltou que a Cúpula Cultural das Américas reúne todas as oportunidades para o setor. “A cúpula é o caminho para experimentações artísticas e formação de cidadania cultural, com produções significativas e inovadoras e com cultura inclusiva”, resumiu.

Programação

Na manhã desta sexta, foi realizada a conferência “Construção de Cidadania Cultural em Território Diverso”, que abordou os desafios comuns sob a ótica do criador e do divulgador na construção da cidadania e gestão cultural em tempos de transição. Em seguida, foi a vez do painel “Desconstrução de Modelos Culturais”, que debateu as mudanças em todo o mundo com os movimentos tecnológicos, sociais, fluxos migratórios e a predominância de redes sociais, entre outros.

Na parte da tarde, foi realizada a conferência “Dilemas e Oportunidades no Ambiente Cultural da Experiência Digital, Para onde estamos indo?”, explicando como novas narrativas e tecnologias influenciam novos modelos de gestão cultural. Em seguida, mais um painel, desta vez sobre “As experiências culturais em chave digital”, que tratou do espaço digital e virtual, que deu origem a uma diversidade de novas narrativas culturais e sensibilidades que delineiam a paisagem do futuro.

Para encerrar, foram tratadas das coordenadas para o futuro. Em um mundo de mudanças e transformações permanentes, que tende a homogeneizar e apagar fronteiras culturais, reunindo diversas identidades, que compromissos políticos e institucionais devem ser assumidos como cidadãos e líderes para a transição entre visão, ações e transformação sustentável?

Organização dos Estados Ibero-Americanos

Além de participar da Cúpula Cultural das Américas, o secretário Henrique Pires também conheceu as instalações e participou de reunião na sede da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI). Pires conheceu as ações e os programas da organização, entre eles a Escuela de Gobierno de Política Educativa, uma escola de gestão com formação contínua para funcionários e servidores de políticas educativas, além das equipes técnicas dos Ministérios de Educação e Cultura do país argentino.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania