Artes visiuais

Na Itália, secretário Especial da Cultura participa da abertura do Pavilhão Brasileiro na Bienal de Veneza

Mostra brasileira tem apoio de R$ 600 mil do Ministério da Cidadania e projeta mundialmente a produção artística nacional na mais antiga e prestigiada das grandes mostras internacionais de arte

publicado: 07/05/2019 17h00,
última modificação: 08/05/2019 16h19

Apresentar a arte e a cultura brasileiras para a vanguarda criativa do mercado mundial. Este é o objetivo do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial de Cultura, ao apoiar com R$ 600 mil a organização do Pavilhão Brasileiro na 58ª Exposição Internacional De Arte, a Bienal de Veneza. A mostra é uma das mais importantes no cenário artístico internacional e será inaugurada no próximo dia 11 de maio, com encerramento previsto para o dia 24 de novembro. Na Itália, o secretário especial da Cultura, Henrique Pires, participa, nesta quarta-feira (8), da cerimônia de abertura do Pavilhão Brasileiro, ao lado de autoridades do Ministério das Relações Exteriores (MRE), da Embaixada do Brasil em Roma e do Conselho Consultivo Internacional da Bienal de São Paulo (IAB).

“Ter um pavilhão na Bienal significa colocar o Brasil dentro de uma das principais exposições de arte que acontecem no mundo. O Pavilhão Brasileiro foi construído em 1964 e tem servido tanto para exposições de artes visuais quanto para exposições de arquitetura. Sempre levando para o coração da Bienal de Veneza o que existe de mais significativo em termos de arte do Brasil”, disse Pires. “O Brasil participa do evento desde 1950. Manter esta tradição é bastante importante, por isso nossa presença na 58ª Bienal de Arte”, acrescenta.

A organização do Pavilhão Brasil está a cargo do MRE, que, juntamente com o Ministério da Cidadania, selecionou a Fundação Bienal de São Paulo para conduzir a curadoria e a montagem da mostra brasileira. A Fundação Bienal de São Paulo tem vasta expertise na área: além de organizar as Bienais de São Paulo, também é a responsável pela escolha do comissário do Pavilhão e do curador da exposição do Brasil na Bienal de Veneza desde 1995. Para a edição de 2019, o comissariado ficou a cargo de José Olympio da Veiga Pereira, presidente da Fundação, e a curadoria com Gabriel Pérez-Barreiro. A dupla de artistas Bárbara Wagner & Benjamin de Burca assina a videoinstalação e as fotos que ocupam duas salas expositivas do Pavilhão.

Tempos interessantes

A Bienal de Veneza, cuja primeira edição ocorreu em 1895, é a mais antiga das grandes mostras internacionais de arte e considerada a de maior prestígio do gênero internacionalmente. A cada dois anos, ela oferece uma grande exposição coletiva de dezenas de pavilhões. Este ano, a 58ª Bienal de Arte de Veneza tem como tema May You Live In Interesting Times (Que você viva em tempos interessantes), que alude a períodos de incerteza, crise e turbulência.

SERVIÇO
Representação do Brasil na 58ª Exposição Internacional de Arte de Veneza
De 11 de maio a 24 de novembro de 2019
Pré-abertura: 8 a 10 de maio
Local: Giardini Castello, Padiglione Brasile, 30122, Veneza, Itália

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania