Programação cultural

Novas mostras, peças teatrais e Stephen King na Cinemateca Brasileira

Funarte traz espetáculos musicais, teatrais e exposições em várias regiões do país. No Museu da Abolição, o destaque é a mostra ‘Entremoveres’

publicado: 10/05/2019 14h09,
última modificação: 10/05/2019 14h10

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) apresenta diversas novidades para os próximos dias. Para quem curte teatro, são quatro novas peças nas unidades de Belo Horizonte (MG) e São Paulo (SP). Na capital paulista, a banda Izé promove o show Madurô, misturando MPB e ritmos africanos. Já em Brasília, a Funarte exibe a instalação ‘Elementos de Risco (Evento de Impacto)’, que simula elementos caídos do espaço. E ainda tem mostra com filmes baseados em livros de Stephen King na Cinemateca, a exposição Entremoveres no Museu da Abolição, em Recife, e muito mais. Confira a programação completa abaixo:

BIBLIOTECA NACIONAL

Exposição ‘Monteiro Lobato – o homem, os livros’
Até 18/7
Endereço: Fundação Biblioteca Nacional – Av. Rio Branco, 217 – Rio de Janeiro (RJ)

A exposição ficará em dois ambientes no terceiro andar do prédio sede, na Avenida Rio Branco: o Salão de Obras Raras e a varanda do terceiro andar. Dentro do salão, um painel fará a cronologia da vida e obra de Lobato e duas vitrines mostrarão os trabalhos mais conhecidos do escritor, todos originais, sob um olhar diferenciado, por meio dos desenhos dos ilustradores dos livros, como Voltolino, Belmonte, Andre Le Blanc e Jean-Gabriel Villin, entre outros.
Outra vitrine mostrará os livros escritos para adultos, incluindo a primeira edição de Urupês, de 1918, a edição de 1970 de O Presidente Negro, seu único romance, coletâneas de crônicas e artigos e obras adaptadas, traduzidas e adaptadas por ele. Entre os destaques, estão um exemplar da primeira edição de Vida e Morte de M.J. Gonzaga de Sá, de Lima Barreto, e cartas trocadas entre os dois autores – Monteiro Lobato era o editor de Lima Barreto.
Além das obras originais, na varanda estarão expostos os estudos e os desenhos do ilustrador Rui de Oliveira para a primeira adaptação das histórias de Lobato para a televisão, a série O Sítio do Pica-pau Amarelo.
Mais informações

FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA

Evento ‘Jardim em Foco’
8 e 11/5, às 15h
Endereço: Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente, 134 – Rio de Janeiro (RJ)
O Museu Casa de Rui Barbosa prosseguirá, no ano de 2019, o projeto “Jardim em foco”, marcando sua reabertura completa ao público e integrando o jardim histórico às atividades culturais e pedagógicas oferecidas pela instituição. O projeto é uma oportunidade de conhecer mais sobre o espaço, com visitas mediadas, destacando a sua flora e fauna, um panorama da vida de Rui Barbosa e sua família, bem como os usos atuais como jardim histórico, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Mais informações

Mostra ‘As ideias abolicionistas de Rui Barbosa’
De 14/5 e 14/7, entre 10h às 17h30 (terças às sextas)
Endereço: Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente, 134 – Rio de Janeiro (RJ)
Inspirado no artigo “As ideias abolicionistas de Rui”, de Rejane M. Moreira (ex-pesquisadora da Fundação Casa de Rui Barbosa), o Serviço de Arquivo Histórico e Institucional promove a mostra de documentos “As ideias abolicionistas de Rui Barbosa”, na Fundação Casa de Rui Barbosa. A proposta é aproximar o público visitante dos registros documentais que evidenciam o envolvimento de Rui com a causa abolicionista. Para isso, foram selecionados 16 documentos, preservados no Arquivo Rui Barbosa, produzidos entre os anos de 1860 e 1919. Os documentos registram o início do engajamento de Rui Barbosa na luta abolicionista, sua atuação parlamentar ligada a essa causa e a sua defesa de uma abolição isenta de qualquer tipo de indenização para os ex-proprietários de escravizados. Também estão expostas homenagens oferecidas a Rui por organizações como a Confederação Abolicionista, a Sociedade Comemorativa d’abolição da Infância Desvalida e o Grupo 13 de Maio de Santos.
Mais informações

CINEMATECA BRASILEIRA

Carrie, a Estranha, de Brian de Palma, é um dos filmes que serão exibidos na Mostra ‘Stephen King no Cinema’

Mostra ‘Stephen King no Cinema’
Até 12/5
Endereço: Cinemateca Brasileira – Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – São Paulo (SP)
Composta por oito filmes baseados em obras do escritor Stephen King, a programação contempla desde clássicos da década 1970, como Carrie, a estranha (1976), de Brian de Palma, até a adaptação de O nevoeiro (2007), de Frank Darabont. Será possível conferir filmes como Louca obsessão (1990), de Rob Reiner, que rendeu o Oscar de melhor atriz para Kathy Bates, bem como a versão original de Cemitério maldito (1983), de Mary Lambert – no qual King assina também o roteiro do filme. O livro acaba de receber uma nova adaptação, em cartaz nos cinemas. Além dos trabalhos como escritor de terror, King também é autor de dramas impactantes, que foram amplamente reconhecidos na década de 1990, quando datam as adaptações de Um sonho de liberdade (1994), À espera de um milagre (1999), ambas dirigidas por Frank Darabont, e Eclipse total (1995), de Taylor Hackford. A Mostra tem entrada gratuita e os ingressos serão distribuídos na bilheteria uma hora antes de cada sessão, sujeito à lotação da sala.
Mais informações

Semana ABC 2019
De 15 a 17/5
Endereço: Cinemateca Brasileira – Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – São Paulo(SP)
A Semana ABC é uma realização da Associação Brasileira de Cinematografia (ABC), com correalização da Cinemateca Brasileira. Durante a Semana, haverá um espaço de exposição de equipamentos e serviços, aberto das 9h às 19h30. Nesta edição, a ABC promove, em paralelo à programação da Semana, duas instalações de realidade virtual. No dia 15 de maio, ocorre a instalação The Tempest, realizada por Luiz Velho, diretor do IMPA, e nos dias 16 e 17, a instalação BELEAF, uma experiência imersiva em realidade virtual realizada pela empresa Árvore Experiências Imersivas. Além disso, estará disponível para venda o livro Da Cor, do diretor de fotografia Edgar Moura.
Mais informações

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM)

Exposição individual “Das Tripas Coração”, da artista visual Katia Wille, desenvolveu um conceito de máquinas cognitivas integradas ao ambiente

Mostra ‘Das Tripas Coração’
Até 19/5
Endereço: Museu da República – Rua do Catete, 153 – Rio de Janeiro (RJ)
O Museu da República/Ibram apresenta na Galeria do Lago a exposição individual “Das Tripas Coração”, da artista visual Katia Wille, que desenvolveu, em uma parceria inédita com a Microsoft, um conceito de máquinas cognitivas integradas ao ambiente. O projeto usa robótica e inteligência artificial para análise de ambiente, sentimentos e voz, conectando o público com as obras e proporcionando uma experiência única a cada espectador por meio da tecnologia.
A exposição conta com três obras e cada uma delas traz uma experiência diferente ao espectador. A primeira interage por meio de análise de aproximação e se movimenta conforme o deslocamento do público no ambiente, a segunda faz movimentações diferentes com base nos sentimentos e expressões faciais das pessoas. E a última reage por meio de interação por voz, se movimentando com base nas respostas dadas pelo visitante a determinadas perguntas feitas pela obra.
Mais informações

Mostra ‘Três Momentos da Pintura de Paisagem no Brasil’
Até 31/5
Endereço: Museu Nacional de Belas Artes – Avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia, Rio de Janeiro (RJ)
A mostra “Três momentos da Pintura de Paisagem no Brasil” aborda a evolução da prática da paisagem no Brasil. São 36 obras provenientes do acervo do MNBA e da Pinacoteca Barão de Santo Angelo, ligada ao Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que exibem “paisagens puras”, não tendo sido selecionadas paisagens urbanas ou marinhas. Algumas dessas obras não são expostas ao público há décadas. A mostra é dividida em três módulos e percorre um panorama conciso do exercício da pintura de paisagem no Brasil por artistas brasileiros, estrangeiros radicados no Brasil ou, ao menos, aqui ativos desde meados do século XIX até os anos iniciais do século XX. A partir das décadas de 1920 e 1930, a pintura brasileira enveredaria por novos rumos, poucos favoráveis ao desenvolvimento da paisagem como gênero. As visitações são de terça a sexta, das 10h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h.
Mais informações

Exposição ‘Rios do Rio – as águas doces cariocas, ontem e hoje’
De 25/4 a 16/6
Endereço: Museu Histórico Nacional – Praça Mal. Âncora S/N – Rio de Janeiro (RJ)
A exposição traz à tona a relação dos cariocas com os 267 rios que cortam a cidade do Rio de Janeiro por meio da arte contemporânea e de obras histórica sem um diálogo inédito. Para compor o núcleo histórico da exposição, instituições como Arquivo Geral da Cidade, Fundação Biblioteca Nacional, Fundação Casa de Rui Barbosa, Museu da Chácara do Céu/Museus Castro Maya, Museu Histórico da Cidade do RJ, Museu da Marinha e Museu Histórico Nacional emprestaram obras que têm o tema das águas doces e dos rios como destaque. Bicas d’água dos antigos chafarizes da Carioca e das Marrecas; a pintura do Largo do Depósito, realizada por Almiro Reis em 1901; além de obras originais de Jean-Baptiste Debret e Johann Rugendas estão entre as obras do núcleo histórico. No núcleo de arte contemporânea, participam 18 artistas e um coletivo, cujos trabalhos apontam para a conscientização sobre a preservação dos rios, utilizando diferentes suportes – instalação, videoescultura, fotografia, filme, pintura e mesmo bordado.
Mais informações

Mostra ‘O desenho de Lasar Segall’
Até 17/6 – quarta a segunda-feira, das 11h às 19h
Endereço: Museu Lagar Segall – Rua Berta, 111 – São Paulo (SP)
Com curadoria de Giancarlo Hannud, diretor do museu, a mostra “O desenho de Lasar Segall” traz 54 desenhos dos mais de 2,4 mil que integram o acervo da instituição, revelando a inesgotável riqueza expressiva e técnica de sua produção.
Mais informações

Exposição ‘Ocupação Gregori Warchavchik’
Até 23/6 – quarta a segunda-feira, das 11h às 19h
Endereço: Museu Lagar Segall – Rua Berta, 111 – São Paulo (SP)
A exposição, dividida entre o Museu Lagar Segall e o Itaú Cultural, apresenta na sede do instituto a trajetória profissional e a obra do arquiteto reconhecido pela imprensa da época como “revolucionário de moradias”, apresentando projetos, fotos, conteúdos audiovisuais atuais e da época, artigos, recortes de jornais e material de pesquisa. No local, o público pode rever, em fotografias, projetos e desenhos, casas construídas por Warchavchik – hoje desfiguradas ou já inexistentes – e prédios ainda em pé, uns conservados, outros não, que passam despercebidos por quem desconhece a obra do arquiteto. Depoimentos gravados em audiovisual de outros profissionais da arquitetura, como Aracy Amaral, contextualizam o período e a produção de Warchavchik. Já no Museu Lasar Segall, em outro percurso da mostra, são expostas referências mais intimistas sobre o arquiteto, traçando a conexão das famílias Klabin, Segall e Warchavchik, sua paixão pela fotografia e uma representação de ambiente modernista semelhante àqueles em que eles conviviam.
Mais informações

Exposição ‘A Mulher e o Câncer do Colo do Útero’
Até 25/6 – segunda a domingo, de 8h às 17h30
Endereço: Museu da República – Rua do Catete, 153 – Rio de Janeiro (RJ)
Promovida em parceria com o Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a exposição conta com 20 painéis ilustrados e traz informações para que a população conheça melhor a doença e suas formas de enfrentamento ao longo da história até os dias de hoje.
A exposição destaca as formas de prevenção do câncer do colo do útero: a vacina contra o HPV antes do início da vida sexual (oferecida no SUS) e o exame preventivo (Papanicolaou), além do uso da camisinha. Sobre o Papanicolaou, mulheres entre 25 e 64 anos que já tiveram atividade sexual devem fazer um exame a cada três anos e, quando necessário, receber o tratamento adequado.
A exposição também é sensível às questões que a doença levanta em relação à sexualidade da mulher e aos obstáculos para a realização do preventivo, que,além da dificuldade de acesso aos serviços de saúde, envolvem desinformação,vergonha e medo, e aborda a transformação da medicina em termos de diagnóstico,prevenção e cura da doença. Os visitantes também podem conhecer um pouco dessa história nos painéis.
Mais informações

Exposição ‘O carnaval das Crianças e outros carnavais no MNBA’
Até 29/6
Endereço: Museu Nacional de Belas Artes – Avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia, Rio de Janeiro (RJ)
A mostra “O carnaval das Crianças e outros carnavais no MNBA” tem como fio condutor a atuação do carnaval em diferentes épocas. O primeiro núcleo retrata o Carnaval no Rio de Janeiro, o segundo núcleo apresenta os desenhos feitos por Di Cavalcanti, a convite de Villa Lobos, para os figurinos do bailado do carnaval das crianças. Por fim, a infância no Brasil no início do século XX. A exposição conta com trabalhos de artistas como Di Cavalcanti, Tomás Santa Rosa, Tereza Miranda, entre outros, pertencentes ao acervo do MNBA, além de obras da coleção do Museu Villa Lobos e uma pintura do acervo do colecionador Eduardo Cavalcanti.
Mais informações

A exposição A Casa da Porta Verde celebra o retorno do Museu Victor Meirelles, em Florianópolis, à sua sede histórica

Exposição ‘A Casa da Porta Verde’
Até 10/9
Endereço: Museu Victor Meirelles – Rua Rafael Bandeira – Florianópolis (SC)
A exposição A Casa da Porta Verde celebra o retorno do museu à sua sede histórica, na Rua Victor Meirelles, depois de a edificação ter passado por obras de restauração e ampliação que duraram três anos. Iniciando com a trajetória do pintor, seus estudos e retratos, e também com os trabalhos de seus mestres, a sequência da mostra chega às pinturas históricas buscando propor uma ligação destas com a própria Casa enquanto patrimônio histórico nacional, tombado pelo Iphan em 1950.
Mais informações

Artistas participantes da mostra Entremoveres (Foto: Divulgação)

Mostra ‘Entremoveres’
Até 4/8
Endereço: Museu da Abolição – Rua Benfica, 1150 – Recife (PE)
Por meio de trabalhos artísticos e atividades formativas, a mostra apresenta a pluralidade de linguagens, de discursos, de pesquisas e de mídias produzidas por profissionais que, não raro, têm sua atuação racializada no campo artístico. A ocupação artística consiste em um laboratório em processo no Museu da Abolição, desenvolvido pelas próprias artistas ao longo dos três meses de ativação do equipamento cultural, que foi dirigido historicamente por pessoas brancas e que agora vem sendo pensado a partir da perspectiva das pessoas negras.
Mais informações

Exposição ‘Contextos Afro Digitais’
Até março de 2020
Endereço: Museu da Abolição – Rua Benfica, 1150 – Recife (PE)
A exposição Contextos Afro Digitais, cujo mote é mostrar como o afro-brasileiro está inserido e, sobretudo, se expressa, no universo da internet e dos meios digitais. A mostra apresenta as interações virtuais que permeiam o universo negro dentro da sociedade brasileira e faz parte do‘Projeto Selos 2019′.
O Projeto Selos tem por objetivo disseminar a missão do MAB, tem como missão institucional preservar, pesquisar, divulgar, valorizar e difundir a memória,os valores históricos, artísticos e culturais, o patrimônio material e imaterial dos afro-descendentes, por meio de estímulo à reflexão e ao pensamento crítico, sobretudo quanto ao tema abolição, contribuindo para o fortalecimento da identidade e cidadania do povo brasileiro.
Mais informações

FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTES (FUNARTE)

Show ‘Madurô’
Dia 11/5, às 20h
Endereço: Funarte SP, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo (SP)
A Sala Guiomar Novaes do Complexo Cultural Funarte SP recebe o show Madurô, da banda Izé. Com 10 anos de existência, o grupo se formou com a proposta de misturar MPB e ritmos da cultura popular afro-brasileira. De 2015 até o final de 2018, seus integrantes – Glauber Coimbra (percussão), Indianara Ànrèré (vocal), João Invenção (cordas e vocal), Pedro Vizentini (percussão) e Rayra Maciel (percussão) – resolveram interromper temporariamente as atividades da banda. Agora, com o repertório autoral de Madurô, Izé apresenta na Sala Guiomar Novaes o resultado desse período de interrupção do trabalho, que a banda considera importante para o seu amadurecimento. Além da mistura de ritmos que caracteriza o grupo, Izé também conserva desde o início da carreira a ligação com as raízes e a valorização da história do povo afro-brasileiro.
Mais informações

Espetáculo ‘Transamazônica’
Até 12/5, às 20h
Endereço: Funarte SP, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo (SP)
O espetáculo trata da vida da missionária norte-americana Dorothy Mae Stang. Irmã Dorothy, como ficou conhecida, iniciou seu ministério no Brasil durante a década de 1960 e, por muitos anos, atuou em movimentos sociais no interior do Pará ao lado de trabalhadores rurais. Defendia a Reforma Agrária e o desenvolvimento sustentável na Amazônia e foi assassinada em 2005, no município de Anapu. A escrita da peça Transamazônica retrata e é influenciada por esse contexto de luta social e violência. O autor, Rudinei Borges dos Santos, não pôde viajar ao Pará em 2018 devido às notícias daquele momento sobre conflitos e disputas de terras. Apesar disso, ele não desistiu da ideia de escrever uma peça de teatro sobre Dorothy Stang.
Mais informações

Espetáculo ‘Eu e ela: visita a Carolina Maria de Jesus’
De 17 a 26/5, às 20h30 (sextas a domingos)
Endereço: Funarte SP, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo (SP)
O monólogo apresenta a personagem histórica Carolina Maria de Jesus. Nascida em Minas Gerais, em 1914, a catadora de papel mudou-se, nos anos 1930, para a cidade de São Paulo, onde desenvolveu suas atividades como escritora. Sua obra mais conhecida é Quarto de despejo: diário de uma favelada, publicada em 1960. A peça aborda várias facetas da personagem: sua diversidade artística, política e social. Na montagem, a atriz Dirce Thomaz interage com Carolina Maria de Jesus, mãe solteira e negra, uma das primeiras escritoras a narrar a vida nas periferias. Conduzido ora em primeira pessoa ora em terceira, o texto ressalta a imagem de Carolina como uma pessoa à frente de seu tempo, que compreendia profundamente as questões políticas e sociais de sua época. Com o auxílio de recursos multimídia, Dirce Thomaz lança mão das linguagens musical, verbal e corporal para retratar a “grandiosidade ética, a dignidade, a força, a garra, a coragem, a loucura e a eloquência” de uma mulher atuante, que lutou sem cessar por seu reconhecimento como autora.
Mais informações

Espetáculo ‘Distopia Brasil’
De 18/5 a 9/6, às 19h (sábados e domingos)
Endereço: Funarte SP, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo (SP)
Com direção de Pedro Granato, Distopia Brasil propõe uma reflexão sobre o futuro do país no caso de a situação atual, que o grupo considera problemática, se agravar. As principais questões abordadas são: a intervenção militar no estado do Rio de Janeiro, o avanço do Estado Religioso, a vigilância, o fim da privacidade e os desastres ambientais. Também foram investigados grupos de resistência contra um suposto regime totalitário. A montagem é resultado de um processo colaborativo do Núcleo Pequeno Ato. Os integrantes se debruçaram sobre distopias clássicas e contemporâneas, como 1984Fahrenheit 451Handmaid’s TaleBlade RunnerMatrixLaranja MecânicaAdmirável Mundo NovoBlack MirrorEnsaio sobre a Cegueira e V de Vingança. No entanto, ao contrário das distopias clássicas, que ressaltam avanços tecnológicos, o espetáculo enfatiza a questão humana.
Mais informações

Espetáculo ‘Maria’
Até 19/5, às 20h (quinta a sábado) e às 18h (domingo)
Endereço: Teatro Cacilda Becker, Rua do Catete, 338 – Rio de Janeiro (RJ)
O espetáculo começa com uma cena teatralizada, com tom ritualístico. Nela, surge a mulher, tal qual se lê no Gênesis bíblico; e a Árvore da Vida, “que cria o universo, a humanidade, mas também o pecado, e todas as mazelas que perduram até hoje”. Em seguida são mostradas as mulheres em sua tradicional função no lar, nos trabalhos domésticos – só que acompanhadas pelos homens. A ideia da cena é que essa igualdade de funções já teria chegado no mundo contemporâneo; que não seria mais tarefa exclusiva feminina o fogão e o tanque de lavar roupas; e que o mundo e as famílias mudaram. A seguir aparecem as lembranças e sonhos de uma mulher: as recordações familiares; o aprendizado com avós e mães; os 15 anos; os anseios quanto ao casamento; o vestido de noiva; além do relacionamento e de seu desgaste. É retratado ainda o lado feminino no homem; e um “embate direto” entre homens e mulheres, no qual elas tentam transpor a linha de limite para o espaço que eles teriam definido para elas, desde tempos remotos.
Mais informações

Espetáculo ‘Nada mais é’
17/5, às 20h
Endereço: Funarte MG, Rua Januária, 68 – Belo Horizonte (MG)
A montagem da Laia Cia. de Danças Urbanas tem como base a desconstrução de três pilares sociais que alicerçam nossa formação enquanto indivíduos e que nos afetam desde a infância: o machismo, a crença religiosa (quando essa cerceia nossa liberdade) e o racismo. Os ingressos são a preços populares de R$ 10 e R$5 (meia entrada). A única apresentação contará com o recurso da audiodescrição e entrada gratuita para pessoas com deficiência visual.
Mais informações

Espetáculo ‘A menina que andava sobre Terra Luz’
De 10 a 26/5, às 20h30 (sextas e sábados) e 19h (domingos)
Endereço: Funarte SP, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo (SP)
O espetáculo narra a história de Maria, que nasceu e cresceu em um sertão com muitas mazelas. Ao despertar de um sono profundo, após a morte, ela se vê em um lugar distante, sozinha, sem as pessoas que amava. Sem consciência do que está acontecendo, Maria é guiada por personagens que a fazem reconhecer sua condição: a viúva, o coveiro, o tocador de realejo, entre outros. A menina, então, repensa o sentido de uma vida eterna, em um lugar chamado Terra Luz. Criado em 2000 pelo ator e diretor Muriel Vitória, o Grupo Trapo pesquisa comportamentos humanos e cultura popular, utilizando como expressão e estética elementos do Teatro de Investigação Corporal. Seu foco são montagens teatrais oferecidas a espaços populares, que visam à difusão da arte e à formação de público. O grupo atua no extremo sul da cidade de São Paulo e apoia iniciativas que estreitam os laços entre arte e sociedade.
Mais informações

Exposição ‘Pin-Céu’
De 28/4 a 9/6, entre 10h e 18h (terças a sextas) e de 14h às 21h (sábados e domingos)
Endereço: Funarte SP, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo (SP)
Pin-Céu 
conta com a participação dos artistas Ana Francisca, Ana Gentil, Edu Silva, Helena Carvalhosa, Luciana Saad, Luis Gasparian, Roberta Mestieri, Sergio Spalter, Soraia Dias e Suzana Barboza. Sob curadoria de Marcelo Salles, o grupo busca “proporcionar ao público maior aproximação tanto com suas obras como com questões primordiais da pintura” e seu lugar na arte contemporânea e nos dias atuais.
Mais informações

Instalação Elementos de Risco pode ser conferida na Funarte Brasília até 9 de junho (Foto: Divulgação)

Instalação ‘Elementos de Risco (Evento de Impacto)’
Até 9/6
Endereço: Funarte Brasília, Eixo Monumental, Setor de Divulgação Cultural – Brasília (DF)
A instalação simula objetos que caíram do espaço, expostos no entorno da Funarte Brasília. Uma característica que representa a queda de objetos espaciais é um “rastro” que o artista esculpiu na terra, adjacentes às esculturas. O artista revela a velocidade e a força do impacto. Por isso, e também pela forma, os elementos podem se parecer com meteoros, ou até asteroides, num primeiro momento. Mas num segundo olhar o visitante percebe do que são feitas essas coisas; e que, na verdade, não se parecem com pedras vindas do espaço, ou algo assim. 
Mais informações

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania