Inscrições abertas

Palmares vai premiar obras literárias que contemplem a cultura afro-brasileira

A entidade vinculada ao Ministério da Cidadania irá contemplar cinco autores – um de cada região do Brasil – com o valor de R$ 30 mil, para cada

publicado: 10/06/2019 17h15,
última modificação: 10/06/2019 17h35
“O edital permite uma justa e democrática participação desses escritores que trazem novos olhares sobre a necessidade de uma igualdade racial”, Vanderlei Lourençom presidente da Fundação Cultura Palmares, no lançamento do edital (Foto: Divulgação)

A Fundação Cultural Palmares (FCP), vinculada ao Ministério da Cidadania, lançou o II Prêmio Oliveira Silveira – Infantojuvenil, que tem como propósito reverenciar obras literárias inéditas e ilustradas que incorporem elementos da cultura afro-brasileira. Um autor por região do país será premiado com o valor de R$30 mil. O lançamento ocorreu durante a abertura oficial da 35ª edição da Feira do Livro de Brasília (Felib), que acontece no Complexo Cultural da República até 16 de junho.

O presidente da Palmares, Vanderlei Lourenço, ressaltou a importância do Prêmio e a participação da FCP na feira, garantindo espaço a autores que trabalham com foco na cultura negra. “O edital permite uma justa e democrática participação desses escritores que trazem novos olhares sobre a necessidade de uma igualdade racial”, afirmou. “Trazemos a marca da diversidade para um momento onde se dá a dimensão da sociedade de conhecimento, na qual queremos estar incluídos”, completou Lourenço.

O objetivo do edital é cumprir com as diretrizes formuladas pelo Plano Plurianual do Governo Federal e pelo Plano Nacional de Cultura, difundindo, promovendo e incentivando produções literárias que registrem, revelem e/ou resgatem a cultura afro-brasileira. Para concorrer ao prêmio, os escritores devem ficar atentos ao prazo de inscrições, que segue até o dia 22 de julho.

Nesta edição, serão selecionadas cinco propostas de ficção direcionadas ao público com faixa etária entre oito e 12 anos. As obras devem ser inéditas e conter narrativas imaginárias, com temas e conteúdos que sejam compatíveis com a compreensão do público infantojuvenil. Devem abordar fatos históricos que valorizem a participação do negro na constituição da sociedade brasileira, questões afetas ao negro no Brasil e manifestações afro-brasileiras.

Cultura, conhecimento e perspectivas

Durante a abertura da 35ª Felib, o coordenador do Comitê Gestor da Feira, Marcos Linhares, afirmou ser bem-vinda toda iniciativa que fortaleça o conhecimento étnico e de gênero. Ele anunciou estandes da feira voltados especificamente à literatura negra, indígena e feminina.

Já o secretário de Educação do Governo do Distrito Federal, Rafael Parente, pontuou que promover autores e livros para esses públicos significa mais que levar conhecimento. “É levar sonhos e uma força propulsora para que eles se realizem”, concluiu. Segundo ele, uma criança que tem acesso a leitura ganha novas possibilidades de vida. “Por meio do livro ela ingressa em diferentes universos e domina o mundo”.

A autora Eliane Alves Cruz, uma das premiadas na edição de 2016 do Prêmio Oliveira Silveira, participa da feira com os livros de sua autoria: Água de Barrela e O Crime do Cais do Valongo. Nesta primeira edição, foram contempladas obras na categoria Romance. Eliana fará uma palestra na Feira do Livro na próxima sexta-feira (14), às 18h, no Espaço do Educador/Felib.

Sobre Oliveira Silveira

Importante poeta e escritor gaúcho, Oliveira Silveira foi um dos nomes que muito contribuiu para a causa negra no Brasil e que hoje dá nome ao acervo da FCP. Por suas atuações marcantes, nomeia também o prêmio da instituição que destaca autores voltados à mesma causa.

Inscrições

Para se inscrever no prêmio, acesse o edital no portal da Fundação Cultural Palmares. As inscrições estão abertas até o dia 22 de julho de 2019.

Assessoria de Comunicação
Fundação Cultural Palmares
Ministério da Cidadania