Patrimônio Mundial

Participação brasileira em reunião da Unesco é finalizada com êxito

No fim de semana, a cultura brasileira ainda recebeu uma homenagem do Comitê do Patrimônio Mundial, que pediu um minuto de silêncio dedicado ao músico baiano João Gilberto

publicado: 08/07/2019 16h02,
última modificação: 10/07/2019 09h56
Secretário especial da Cultura, Henrique Pires (centro), celebra o título de Patrimônio Mundial Misto a Paraty e Ilha Grande, junto à comitiva brasileira em Baku, no Azerbaijão (Fotos: Divulgação)

A Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania encerrou sua participação na 43ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) com êxito. Reunido em Baku, capital do Azerbaijão, o comitê incluiu o sítio Paraty e Ilha Grande — Cultura e Biodiversidade na Lista do Patrimônio Mundial Misto, na última sexta (5). A comitiva brasileira que participou da cerimônia de titulação do patrimônio contou com a presença do secretário especial da Cultura, Henrique Pires.

Em agenda do comitê no último fim de semana, Pires demonstrou satisfação com a condução e finalização dos trabalhos no país asiático. “Ele [Azerbaijão] sediou com maestria essa reunião da Unesco, que resultou nesse galardão para o Brasil, especialmente para o estado do Rio de Janeiro, preservando este espaço agora inscrito como patrimônio internacional”, afirmou o secretário.

Uma deferência à cultura brasileira ainda foi prestada no evento, no último domingo (7). A mesa da comissão pediu um minuto de silêncio aos presentes, em homenagem ao músico João Gilberto. O artista faleceu no sábado (6), no Rio de Janeiro, aos 88 anos. “Em última análise, é uma reunião de agradecimento pelo tratamento que nós recebemos aqui no Azerbaijão, que é encantador”, destacou Henrique Pires.

O representante do governo federal defendeu o Azerbaijão como “um país que precisa ser mais conhecido por todos nós”: “É um país surpreendentemente lindo, eles tem museus modernos, um sistema de transporte eficiente, as praças estão cheias de pessoas com suas famílias”. Na reunião promovida pela Unesco, Henrique Pires esteve presente com a delegada permanente do Brasil na Unesco, a embaixadora Maria Edileuza Fontenele Reis; o embaixador do Brasil no Azerbaijão, Manuel Adalberto Carlos Montenegro Lopes da Cruz; e a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa; entre outros.

Sobre o Azerbaijão

A República do Azerbaijão é o maior país da região do Cáucaso, localizado no cruzamento da Ásia e da Europa. É considerado um país de destaque, com ricos recursos naturais, monumentos históricos e culturais, literatura, artes e patrimônio. O Azerbaijão ainda é um dos locais mais antigos da civilização humana, exibindo registros da presença de pessoas em muitos períodos históricos. O local conta com uma ampla gama de sítios arqueológicos e arquitetônicos, assim como monumentos pertencentes a diferentes períodos da história.

Um dos monumentos mais proeminentes do Azerbaijão, a Paisagem Cultural de Arte Rupestre de Gobustan, Patrimônio Mundial da Unesco, uma impressionante coleção de mais de seis mil gravuras rupestres, testemunhando 40 mil anos desta arte. A República do Azerbaijão foi fundada em 28 de maio de 1918, tornando-se a primeira república secular e a primeira a conceder o sufrágio feminino e os direitos políticos iguais no mundo muçulmano.

Patrimônio mundial misto

Composto por representantes de 21 nações, o Comitê do Patrimônio Mundial se reúne uma vez por ano, quando dá a palavra final sobre a inclusão de bens na Lista do Patrimônio Mundial. Ao incluírem Paraty e Ilha Grande na lista, o comitê posicionou o sítio junto a outros 21 bens brasileiros já considerados patrimônio mundial pela Unesco, em função de um valor universal excepcional – o País possui sete sítios naturais e 14 sítios culturais reconhecidos. Essa foi, no entanto, a primeira vez que o Brasil tem um sítio reconhecido por suas características naturais e culturais, assim como pela interação entre elas.

Paraty e Ilha Grande foram reconhecidos por suas características naturais e culturais (Foto: Divulgação)

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania