Cultura e turismo

Patrimônio Cultural como atrativo turístico é tema de palestra em Brasília

Presidente do Iphan é palestrante do evento, realizado nesta terça (23) durante o XI Congresso Brasileiro de Convention & Visitors Bureaux

publicado: 23/04/2019 14h30,
última modificação: 24/04/2019 14h07
Sede do evento, Brasília é um dos sítios reconhecidos pela Unesco como Patrimônio Mundial (Foto: Divulgação)

Um dos destaques da programação do XI Congresso Brasileiro de Convention & Visitors Bureaux nesta terça-feira (23) é a palestra “O Patrimônio Cultural como atrativo turístico e indutor de desenvolvimento”, ministrada pela presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa. Entidade vinculada ao Ministério da Cidadania, o Iphan é um dos parceiros do evento, voltado a presidentes e associados do Convention & Visitors Bureaux (C&VBX), organização de instituições que promovem o turismo e a receptividade de uma cidade ou localidade.

O conjunto de bens e manifestações culturais protegidos em todo Brasil tem grande potencial turístico, que, objetivamente trabalhado e qualificado, pode despertar, em cada cidadão, o desejo de explorá-lo e a responsabilidade de preservá-lo. É com esse olhar que o Iphan busca atuar e implementar ações que incentivam o turismo cultural e a palestra traz essa abordagem do Patrimônio + Turismo aos participantes.

Ao final do Congresso, o Brasil C&VB assinará um termo de compromisso no qual os presentes se comprometem a implementar comitês de trabalho para que possam formatar manuais orientativos de como estabelecer políticas e diretrizes em seu dia a dia, começando por estabelecer as boas práticas do mercado interno e ampliando a participação no mercado competitivo internacional.

O XI Congresso Brasileiro de Convention & Visitors Bureaux busca fomentar o comércio turístico e o desenvolvimento em organizações, entidades e empresas do ramo. Os Convention & Visitors Bureau (CVB) são estruturas independentes, não governamentais, apartidárias, sem fins lucrativos, com a missão de promover o desenvolvimento econômico e social por meio do incentivo e fomento da indústria do turismo. No Brasil, existe a Confederação Brasileira de Convention & Visitors Bureau, que congrega mais de 115 associações em todos os estados brasileiros.

Política Nacional

A instituição da Política Nacional de Gestão Turística do Patrimônio Mundial Natural e Cultural foi escolhida como uma das 35 metas do Governo Federal para os primeiros 100 dias da gestão do presidente da República Jair Bolsonaro. No evento de comemoração dos 100 dias, realizado no Palácio do Planalto em 11 de abril, Bolsonaro assinou o Decreto nº 9.763, que institui a Política – resultado de uma parceria do Ministério do Turismo com os ministérios da Cidadania, Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, com apoio do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Iphan.

A ideia é que seja realizado o ordenamento do turismo nos Patrimônios Naturais Mundiais do Brasil, como uma estratégia fundamental para a conscientização da sociedade sobre a importância da proteção do meio ambiente. Outro objetivo é melhorar o ambiente de negócios do setor e potencializar a atração de investimentos para o Brasil. A proposta está alinhada ao Plano Nacional de Turismo 2018-2022, que definiu como uma de suas estratégias “promover a valorização do patrimônio cultural e natural para visitação turística”.

São considerados patrimônios mundiais os Sítios reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), por meio do Comitê do Patrimônio Mundial. O Brasil tem, ao todo, 21 patrimônios reconhecidos. Fazem parte da lista a Cidade Histórica de Ouro Preto (MG), o Plano Piloto de Brasília (DF), o Conjunto Moderno da Pampulha (MG), a Costa do Descobrimento (BA e ES) e o Complexo da Áreas protegidas da Amazônia Central, entre outros.

Para a implementação da política, poderão ser usados recursos do Orçamento Geral da União (OGU); do Prodetur+Turismo; do Fundo Geral de Turismo (Fungetur); linhas de créditos de bancos e instituições financeiras; recursos alocados pelos estados, Distrito Federal e municípios ou provenientes de organismos e entidades nacionais e internacionais, entre outros.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania
Com informações do Iphan