Agenda oficial

Patrimônio cultural do Rio Grande do Sul é prestigiado por Henrique Pires

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania cumpre agenda oficial nas cidades de Pelotas e Pedro Osório

publicado: 19/06/2019 17h21,
última modificação: 19/06/2019 17h58

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, cumpre agenda no interior do Rio Grande do Sul nesta semana. Ele viajará à Pelotas e Pedro Osório para uma série de compromissos que incluem reuniões para preservação do patrimônio material e imaterial destas localidades, além de visitas a feiras e locais históricos.

O secretário especial da Cultura, Henrique Pires, esteve em audiência pública sobre prédios tombados como patrimônio, na Câmara Municipal de Pelotas (Foto: Clarice Castro / Ascom Ministério da Cidadania)

A agenda tem início na tarde desta quarta-feira (19), na Câmara Municipal de Pelotas, em uma audiência pública sobre prédios públicos tombados como patrimônio histórico nacional. Em maio de 2018, o conjunto histórico do município foi reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cidadania, e registrado em três livros do Tombamento: o Histórico, o de Belas Artes e o Arqueológico, etnográfico e paisagístico.

Na quinta-feira, Henrique Pires vai à Fenadoce, feira dedicada à tradição doceira da região e que oferece atrações culturais, gastronômicas e comerciais para os visitantes. Anualmente, o evento atrai milhares de visitantes para a cidade. Em 2018, 239 mil pessoas passaram por lá e consumiram mais de 1,4 milhão de docinhos.

Os doces de pelotas também são reconhecidos como patrimônio cultural pelo Iphan. O modo de fazer os doces finos e coloniais na região foi registrado no Livro dos Saberes, onde ficam inscritos os patrimônios imateriais. Para as doceiras e doceiros, a preservação do ofício assegura a continuidade das trajetórias e tradições de suas famílias, principalmente as rurais, que se encontram profundamente ligadas à região colonial.

Os doces de pelotas são reconhecidos como patrimônio cultural pelo Iphan (Foto: Gustavo Mansur / Iphan)

Patrimônio ferroviário

Na sexta-feira (21), o secretário segue para Pedro Osório, sua terra natal, onde será recebido pelo prefeito, Moacir Otílio Alves. Da prefeitura, eles seguem para o Pavilhão da via férrea, declarado patrimônio ferroviário pelo Iphan. A linha que passa pelas duas estações da cidade foi construída em diversas fases e contou com a participação de diversas empresas, como a Southern Brazilian R. G. do Sul, a Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil e a V. F. Rio Grande do Sul.

Em encontro realizado em Brasília, no dia 29 de maio, além de convidarem Henrique Pires para visitar a cidade, tanto o prefeito, quanto o secretário de Planejamento do município, João Carlo Oliveira, buscaram apoio para a salvaguarda e manutenção destes bens, que fazem parte do patrimônio histórico nacional.

De acordo com a Lei 11.483, de maio de 2007, cabe ao Iphan receber e administrar os bens móveis e imóveis de valor artístico, histórico e cultural, oriundos da extinta Rede Ferroviária Federal SA (RFFSA), assim como garantir sua guarda e manutenção. Deste modo, o instituto passou avaliar, dentre todo o espólio da RFFSA, quais são os bens detentores de valor histórico, artístico e cultural.

Seguindo o cronograma, o secretário ainda visitará o Centro de Arte e Cultura Pasquale Marchese e a Biblioteca Pública Municipal Lucy Ferreira Buonocore, equipamentos de relevância para o desempenho das atividades culturais na cidade. O centro, por exemplo, é o único museu do município. Aberto em 1998, é dedicado à história de Pedro Osório e possui arquivo, biblioteca, livraria e teatro/auditório, com capacidade de 70 lugares.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania