Livro e leitura

Poesia e contação de história dão o tom na abertura da 35ª FeLiB

O mais tradicional evento literário da capital federal estará de portas abertas ao público por dez dias. Abertura oficial contou com a presença de autoridades federais e distritais

publicado: 07/06/2019 19h51,
última modificação: 10/06/2019 13h13
Secretário Henrique Pires (primeiro à esquerda) participou da cerimônia de abertura da 35ª Feira do Livro de Brasília (Fotos: Mauro Vieira/Ministério da Cidadania)

Muita cadência, ritmo e rima. Foi assim, cheia de poesia e prosa, a abertura da 35ª Feira do Livro de Brasília (FeLiB), que levará literatura e cultura para a capital federal até o dia 16 de junho. Neste ano, a feira traz diversas inovações e uma nova estrutura com o objetivo de facilitar o acesso do público à leitura. O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, que esteve presente à abertura, elogiou a nova localização do evento, na Esplanada dos Ministérios.

“A feira está sendo realizada em um espaço nobre, ao lado da estação rodoviária, onde também chega o metrô. Isso é muito bom, porque todo mundo vai poder participar do evento, que está em um lugar muito centralizado. A nova localização também propicia o aproveitamento de um espaço histórico e dá aos visitantes da feira a oportunidade de conhecer o Museu da República e a Biblioteca Nacional de Brasília”, concluiu o secretário.

Para Iris Borges, a Felib é uma grande oportunidade para fomentar a leitura entre crianças e jovens

Para a escritora, contadora de histórias e presidente do Instituto Casa de Autores, Iris Borges, a FeLiB é uma grande oportunidade para fomentar a leitura entre crianças e jovens. “A nossa vocação é trabalhar o fomento à leitura e, se as escolas vêm, os professores, os coordenadores e as crianças, a gente tem a possibilidade de mostrar o nosso trabalho. Então eu acho que a Feira é uma oportunidade única de jogar um facho de luz sobre o assunto leitura. Como é que está a sua leitura, você tem lido? Você tem livros em casa? Você tem contado histórias para os seus filhos?”, comenta.

Com mais de 40 anos de experiência no ramo, Iris, que é uma das mais antigas livreiras da cidade, está esperançosa com a edição da feira deste ano. Em seu estande, um dos maiores da feira, com 120 metros quadrados, o que não vai faltar é novidade. “A Arco Íris, minha distribuidora, esteve presente em todas as edições da Feira. E neste ano, nós estamos completando dez anos do Instituto Casa de Autores. Somos vinte escritores e vamos lançar quarenta títulos”, destacou.

Curadoria Pedagógica

Uma das principais apostas desta edição é a programação educativa. Para fazer com que as atividades da feira chegassem aos estudantes de escolas públicas de comunidades vulneráveis, a organização da FeLiB firmou uma parceria com a Secretaria de Educação do Distrito Federal. Contrataram também uma curadoria pedagógica, que cuidou de toda a programação educativa do evento, com o objetivo de melhor adequá-la à comunidade escolar.

De acordo com o presidente da Câmara do Livro do Distrito Federal e um dos organizadores da feira, Ivan Valério, a programação educativa foi a menina dos olhos da feira. “A leitura é essencial para a formação do ser humano. Por isso, nós investimos no programa educativo, porque acreditamos na força do livro, da literatura e acreditamos que, por meio da leitura, vamos fazer cidadãos críticos, que pensam”, destacou ele durante a abertura do evento.

Homenagens e anúncio

A edição desse ano tem dois homenageados ilustres. Um deles é o poeta Maílson Furtado, que com apenas 27 anos recebeu o prêmio Jabuti em 2018, por seu livro “À cidade”. Durante a cerimônia de abertura, ele se disse emocionado com a homenagem e recitou um trecho do poema, comovendo todos os presentes. A segunda homenageada, a bibliotecária Maria da Conceição Moreira Salles, falecida em 2012, e que dá nome à Biblioteca Demonstrativa em Brasília, recebeu uma homenagem a mais. O secretário Henrique Pires anunciou a reabertura do local, fechado para obras desde 2014, para o dia 29 de outubro deste ano.

Também estiveram presentes à cerimônia de abertura o deputado Professor Pacco, autor da emenda constitucional que garantiu R$ 1 milhão para montagem da Feira; o secretário de Cultura do Distrito Federal, Adão Cândido, o prefeito de Alexânia, Allysson Silva, o senador Izalci Lucas (PSDB/DF) e representantes das secretarias de Turismo e de Educação do DF.

A FeLiB estará aberta ao público até 16 de junho. A entrada é gratuita. Para saber mais sobre a feira e a programação, clique neste link.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania