Patrimônio

Pelotas busca apoio do governo federal para espaços culturais

Revitalização do Obelisco e do prédio do antigo Banco do Brasil foram os projetos apresentados ao secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania

publicado: 01/02/2019 19h29,
última modificação: 01/02/2019 19h47
Henrique Pires e Paula Mascarenhas conversam sobre a revitalização do centro histórico e cultural de Pelotas (Foto: Ronaldo Caldas / Ascom Ministério da Cidadania)

Revitalizar e devolver à população de Pelotas um centro histórico e cultural com prédios e monumentos reformados, acessíveis e com espaço para uso cultural. É o que almeja a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, que foi à Brasília nesta sexta-feira (1º), em busca de apoio do secretário Especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, para viabilizar este projeto.

A prefeita pediu ajuda para a reforma do Obelisco da cidade e sugeriu que o antigo prédio do Banco do Brasil, atualmente fechado, fosse reativado a partir do uso compartilhado entre o Ministério da Cidadania e a Prefeitura do município. “É um prédio muito bonito que precisa de restauração”, afirmou.

O secretário Henrique Pires simpatizou com a ideia. “Seria uma maneira de dar vida útil a um prédio fechado que a gente entende que deve ser reaberto, principalmente por ele estar em um entorno muito importante, com prédios tombados pelo patrimônio histórico nacional. Aliás, é vizinho do primeiro conjunto neoclássico tombado na América Latina que são as Casas 2, 6 e 8 da Praça Coronel Pedro Osório”, destacou. Pires se comprometeu a buscar um ponto de equilíbrio entre as forças do município, do Estado e União para a utilização deste prédio histórico.

Já o projeto da reforma do Obelisco inclui nova pavimentação, sinalização horizontal e vertical, iluminação, reforma na rua, com drenagem, paisagismo, construção de novo passeio público e mobiliário urbano. O Obelisco é o único monumento brasileiro erigido ao ideal republicano durante a monarquia, em 1885.

Prefeitura apresentou projeto de reforma do Obelisco de Pelotas (Imagem: Divulgação)

Patrimônio Cultural

As duas obras fazem parte do Conjunto Histórico de Pelotas, reconhecido como Patrimônio Cultural Brasileiro em junho do ano passado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entidade ligada ao Ministério da Cidadania.

Parte deste Conjunto já está com obras em andamento com financiamento do Iphan por meio do programa PAC Cidades Históricas, no valor de R$32,8 milhões. São seis obras, duas delas já em fase final: a restauração da Casa 2 – Centro Cultural Adail Bento Costa, e travessias acessíveis. Estão em etapas preparatórias a restauração do Theatro Sete de Abril; a implantação do Museu da Cidade de Pelotas (dentro do local conhecido como Casa 6); e a requalificação da Praça Coronel Pedro Osório. Serão ainda contemplados o antigo Grande Hotel e a os galpões anexos à Estação Férrea, do Centro Administrativo Municipal.

No Rio Grande do Sul, há 29 ações do PAC Cidades Históricas, com previsão de investimentos de cerca de R$ 154,43 milhões em quatro cidades, sendo uma delas Pelotas.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania