Integração

Produção cultural sobre pecuária brasileira recebe orientação da Cidadania

A receber representantes da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, orientou os presentes sobre museu e obra audiovisual dedicados ao gado da espécie zebu

publicado: 23/05/2019 18h13,
última modificação: 27/05/2019 17h06
O editor e jornalista Fábio Ávila, o secretário especial da Cultura, Henrique Pires, o gerente-executivo do Museu do Zebu Edilson Lamartine Mendes, Thiago Riccioppo, e o superintendente-geral da ABCZ, Jair Machado Borges Furtado, conversaram sobre a valorização da memória em torno do gado zebu, que corresponde a cerca de 80% do rebanho do Brasil (Foto: Clara Angeleas)

A memória e a produção cultural relativa à pecuária brasileira foram tema de reunião ocorrida nesta quinta-feira (23), na Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania. O secretário especial, Henrique Pires, recebeu representantes da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e conheceu projetos para tornar mais conhecida a trajetória do gado que corresponde a cerca de 80% do rebanho do Brasil.

Apesar da origem indiana, a cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro, é considerada a capital mundial do zebu, que em todo o Brasil alcança uma marca de aproximadamente 220 milhões de animais. A importância da subespécie para a economia mineira e brasileira é inegável, mas o animal ainda é pouco conhecido por grande parte da população do País. Para mudar essa realidade, a ABCZ mantém em Uberaba um museu específico sobre o tema e está apoiando a produção de um documentário que contará a história das raças zebuínas no Brasil.

“Em 2020, Uberaba completa 200 anos e um dos projetos é transformar a cidade na capital cultural do Triângulo Mineiro. E o Museu do Zebu é parte importante nessa estratégia”, destacou o editor e jornalista Fábio Ávila, um dos responsáveis pelo filme, também presente na reunião. “Somos um museu carente, com poucos recursos, e toda ajuda é bem-vinda para aprimorarmos o trabalho”, destacou.

Ainda foram recebidos por Henrique Pires o gerente-executivo do Museu do Zebu Edilson Lamartine Mendes, Thiago Riccioppo, e o superintendente-geral da ABCZ, Jair Machado Borges Furtado. O secretário especial da Cultura orientou os participantes a procurarem o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cidadania responsável por 30 museus federais e pela política nacional a ser seguida pelos cerca de 3 mil museus brasileiros. A ideia é que o Ibram auxilie a instituição a elaborar um plano museológico de longo prazo.

O Museu do Zebu

Localizado no Parque Fernando Costa, o Museu do Zebu Edilson Lamartine Mendes conta com grande acervo de fotos e objetos que mostram a bravura dos pioneiros e as dificuldades enfrentadas para chegar à Índia e trazer os animais para Brasil. Também podem ser vistas maquetes, infográficos, objetos de fazendas e diferentes documentos de época.

Na edição deste ano da Expozebu, principal feira de zebuínos do mundo, realizada de 1º a 10 de maio, o museu bateu recorde de visitação. Passaram pelo local cerca de 18 mil pessoas, sendo 3,6 mil crianças de escolas da região. “É muito importante essa visita das escolas. Cultura e educação são siamesas. Uma de nossas estratégias é exatamente fazer com que as informações sobre o gado zebu no Brasil cheguem aos estudantes para que essa importante trajetória seja mais bem conhecida”, afirmou Ávila.

O documentário

Durante a reunião, Ávila também falou sobre o documentário Da Índia ao Brasil: 170 anos de história das raças zebuínas no território brasileiro, que será dirigido pelo cineasta e produtor Gil Ribeiro. “O gado zebu tem uma história muito rica no Brasil. A primeira chegada desses animais no Brasil aconteceu por acaso, em 1803, com a chegada imprevista de um navio na costa da Bahia”, contou Thiago Riccioppo. “A primeira importação de fato ocorreu em 1823 e foi feita pelo imperador Dom Pedro I, que trouxe o gado para a Fazenda Imperial de Santa Cruz, no Rio de Janeiro”, acrescentou. Segundo Riccioppo, rebanhos de zebuínos de diversos países do mundo, entre eles os Estados Unidos, foram constituídos com base no gado brasileiro.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania