Música

Rio de Janeiro sedia 14ª edição de festival internacional de harpas

Evento, que tem apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, segue até dia 31 de maio com a participação de 35 músicos de 22 países

publicado: 30/04/2019 14h37,
última modificação: 30/04/2019 14h37

A 14ª edição do RioHarpFestival – Festival Internacional de Harpas começa nesta quarta-feira (1º), com a participação de 35 músicos de 22 países, incluindo importantes nomes brasileiros e orquestras de projetos sociais. O festival, que segue ate dia 31 de maio em vários locais do Rio de Janeiro, tem apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A entrada é franca.

O evento faz parte do projeto Música no Museu, que realiza há mais de 20 anos uma série de concertos gratuitos em espaços culturais. Os artistas presentes mostram as várias facetas do instrumento musical, com obras de música clássica, rock, étnico, jazz e até ritmos brasileiros.

Entre os destaques da programação estão o belga Jacques Vandelvede e sua harpa dupla; o Ecos Latinos, de New Orleans, que faz um parceria com a Orquestra Violões do Forte, da comunidade de Pavão-Pavãozinho; os Tambores do Japão, com instrumentos de dois metros de altura, que se apresenta com o harpista Yns Ever Coronado, do Peru; e Les Alizes, um quinteto proveniente da França e da Martinica, que fará apresentações tendo como pano de fundo o mar do Caribe. Confira a programação completa.

“É uma satisfação muito grande colocar o Brasil na programação cultural desses artistas da harpa. E, por conta do sucesso do evento, estamos expandindo nossa atuação para as cidades de Lisboa e Coimbra (Portugal), Madrid (Espanha), Bruges (Bélgica), Grasse (França), Milão (Itália), Nova Orleans (USA) e o Caribe. Isso é o Brasil democratizando o acesso e exportando nossa cultura”, afirma o diretor e criador do Festival, Sergio da Costa e Silva.

Versão paulistana

A capital paulista recebeu, entre 10 e 12 de abril, o IV SPHarpFestival – Festival Internacional de Harpas. A realização do festival também contou com o apoio de empresas por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Um dos destaques da edição paulista foi a argentina Soledad Yaya, que se apresentou com a soprano Juliana Starling, o cantor Sandro Bodilon e o clarinetista Peter Pass, do Canadá, no espetáculo Recordas. Da Argentina também veio o harpista Dario Andino, que, ao lado do flautista brasileiro Dennis Crepaldi, forma o Vento Celta. O Grupo Seiha Brasil de Koto apresentou a herança da harpa na música japonesa.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania