Patrimônio

Secretaria apoia registro da cultura tradicionalista gaúcha como patrimônio

O representante do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, recebeu representantes da cultura tradicional do Rio Grande do Sul, nesta segunda-feira (10)

publicado: 10/06/2019 17h55,
última modificação: 10/06/2019 17h56
Secretário Henrique Pires recebe representantes do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), da trupe circense Grupo Thol e da União Gaúcha João Simões Lopes Neto (Foto: Ronaldo Caldas/Ministério da Cidadania)

A cultura tradicional do Rio Grande do Sul foi tema de duas reuniões, nesta segunda-feira (10), entre o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, e representantes do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), da trupe circense Grupo Thol e da União Gaúcha João Simões Lopes Neto. Em pauta, apresentações culturais e o registro de usos e costumes da cultura gaúcha como patrimônio.

Em reunião com o presidente do MTG, Nairo Callegaro, foi discutida a candidatura dos usos e costumes da cultura tradicionalista do Rio Grande do Sul, preservados por Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) em todo o Brasil, como patrimônio imaterial. Os costumes passariam a integrar o Registro de Melhores Práticas de Salvaguarda da Convenção da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Henrique Pires colocou a Secretaria Especial da Cultura à disposição para auxiliar no processo de candidatura. No momento, estão sendo levantados projetos, programas e ações que possam se enquadrar como boas práticas de salvaguarda. “Há vários itens da cultura gaúcha que necessitam ser registrados para que possam ser preservados para as próximas gerações”, destacou Pires.

Além do registro de boas práticas pela Unesco, Pires também demonstrou interesse em debater tombamentos e registros de bens materiais e imateriais ligados à cultura gaúcha pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Temos, por exemplo, o modo tradicional de fazer churrasco, o sistema cultural da erva-mate, que já é patrimônio do Mercosul, e a tradição doceira que veio para o Brasil com os imigrantes”, cita o secretário. “E no campo material, temos os primeiros silos secadores e as mangueiras de pedra construídas durante a escravidão”, completa.

Apresentações culturais

Grupos representam a cultura gaúcha estão em Brasília para apresentar-se na Expotchê, maior mostra de cultura gaúcha fora do Rio Grande do Sul. O secretário recebeu integrantes de dois desses grupos: o Grupo Tholl e a União Gaúcha João Simões Lopes Neto. “Iremos apresentar um pot-pourri de coreografias e músicas típicas”, afirmou Romualdo Cunha Júnior, patrão da União Gaúcha, de Pelotas. As apresentações serão diárias, até o próximo domingo (16), às 20h.

O patrão da União Gaúcha convidou o secretário para participar das comemorações de 120 anos da entidade, que serão realizadas no dia 20 de setembro, e da edição 2019 do Encontro de Artes e Tradição Gaúcha (Enart), marcado para 15 a 17 de novembro, em Santa Cruz do Sul (RS).

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania