Tradição

Secretaria Especial da Cultura apoia Maior São João do Cerrado

Por meio de emenda parlamentar, R$ 1,3 milhão foram aportados para evento que levou o folclore e a cultura popular de graça a mais de 300 mil pessoas no Distrito Federal

publicado: 12/08/2019 19h05,
última modificação: 12/08/2019 19h21
Evento em Ceilândia, cidade do Distrito Federal, reuniu mais de 300 mil pessoas em pleno mês de agosto (Foto: Leonardo Silva)

Quem acredita que as maiores festas de São João ocorrem apenas nos estados da região Nordeste e no mês de junho pode não estar completamente certo. Chamado de “O Maior São João do Cerrado”, evento em Ceilândia, cidade do Distrito Federal, reuniu mais de 300 mil pessoas em pleno mês de agosto, com muito forró, além de atrações como Joelma, Jammil, Mano Walter, Dorgival Dantas, Marcos e Belutti, entre outras. Tudo com entrada gratuita. O evento contou com o apoio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania, que viabilizou o aporte de R$ 1,3 milhão, via emenda parlamentar.

Segundo a idealizadora e organizadora do Maior São João do Cerrado, Edilana Oliveira, os recursos repassados pelo Ministério da Cidadania foram fundamentais para a realização. “As emendas contribuem para o fomento da cultura e facilitam a realização dos mais diversos projetos. A visão e o apoio dos parlamentares fazem com que a gente consiga encaminhar e realizar um evento de muita qualidade. Então só temos a agradecer à sensibilidade que os parlamentares tiveram com a cultura popular, fortalecendo as festas nordestinas no País e, em especial, aqui no Distrito Federal”, afirma.

A estrutura montada foi grandiosa: além do palco principal, o São João também contou com três ilhas de forró; com a Arena de Folclore, onde foram feitas apresentações de quadrilhas e grupos folclóricos; e com o coreto, para apresentação de cordelistas e poetas. O público ainda teve parque de diversões e circo para sua diversão, assim como a Vila Borborema, onde artesãos expuseram e venderam suas obras.

Este ano, foi prestada homenagem ao Boi do Seu Teodoro, um dos expoentes mais antigos e reconhecidos do Bumba-Meu-Boi no Distrito Federal. Criado pelo já falecido Mestre Teodoro Freire, o grupo tem mais de 50 anos de existência e, por meio das danças e da música, divulga os valores históricos e artísticos desta tradição folclórica para o DF. O público interessado em contribuir para a permanência do grupo pôde optar pelo ingresso solidário e doar R$ 1. “É uma forma que temos para ajudar a manter as tradições”, disse Oliveira.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania