Música

Secretário Henrique Pires recebe representante da Festa Nacional da Música

Um dos principais eventos da música brasileira, a Festa será realizada entre 19 e 23 de outubro em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul

publicado: 20/08/2019 19h34,
última modificação: 21/08/2019 10h53
O secretário do Audiovisual, Ricardo Rihan, o empresário Carlos de Andrade e o secretário especial da Cultura, Henrique Pires, se reúnem em Brasília (Foto: Ronaldo Caldas/Ministério da Cidadania)

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, recebeu, nesta terça-feira (20), o produtor musical e empresário Carlos de Andrade, da Visom Digital. Andrade convidou o secretário a participar da Festa Nacional da Música, que será realizada de 19 a 23 de outubro, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. Entre 2007 e 2018, a organização do evento teve autorização para captar R$ 9,9 milhões por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, dos quais R$ 2,7 milhões foram efetivamente captados.

Um dos principais eventos para produtores, cantores e músicos de todo o Brasil, a Festa Nacional da Música nasceu com a proposta de reunir músicos, cantores, produtores e empresários do setor para que, longe dos holofotes, tivessem oportunidade de se reunir e criar. A primeira edição foi realizada em 1975, com o nome de Festa do Disco. Desde então, o evento tornou-se parte da história musical brasileira e foi palco de lançamento para diversos nomes da Música Popular Brasileira (MPB).

O evento deixou de ser realizado por dez anos e voltou com novo nome e formato em 2005. Eclética, a programação reúne músicos de todos os estilos. Em uma das edições, Chorão, Zezé di Camargo e Ângela Maria chegaram a cantar juntos em uma apresentação fora da agenda oficial do evento.

Engenheiro de som e compositor, Carlos de Andrade participa da organização da Festa desde 2006, com a perspectiva de auxiliar na reestruturação do evento, que também passou a ter atividades de formação e comerciais, como seminários e rodadas de negócios.

Lei Federal de Incentivo à Cultura

Principal ferramenta de fomento à Cultura do Brasil, a Lei Federal de Incentivo à Cultura contribui para que milhares de projetos culturais sejam realizados, anualmente, em todas as regiões do país. Por meio dela, empresas e pessoas físicas podem patrocinar espetáculos – exposições, shows, livros, museus, galerias e várias outras formas de expressão cultural – e abater o valor total ou parcial do patrocínio do Imposto de Renda.

A Lei também contribui para ampliar o acesso dos cidadãos à Cultura, já que os projetos patrocinados são obrigados a oferecer uma contrapartida social, ou seja, eles têm que distribuir parte dos ingressos gratuitamente e promover ações de formação e capacitação junto às comunidades. Criado em 1991 pela Lei 8.313, o mecanismo do incentivo à cultura é um dos pilares do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac).

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania