Monumento no RJ

Secretário Pires ressalta relevância política de Pinheiro Machado

Em audiência com a secretária municipal de Cultura do Rio de Janeiro, Henrique Pires sugeriu a restauração do Monumento a Pinheiro Machado, localizado em Ipanema

publicado: 24/05/2019 11h20,
última modificação: 24/05/2019 11h40

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, e a secretária municipal de Cultura do Rio de Janeiro, Mariana Ribas, conversam sobre o Monumento a Pinheiro Machado, localizado em Ipanema 

Em audiência na quarta-feira (22) com a secretária municipal de Cultura do Rio de Janeiro, Mariana Ribas, o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, sugeriu uma melhoria na capital fluminense: a restauração do Monumento a Pinheiro Machado, localizado na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. “Pinheiro Machado foi um grande político, que merece uma homenagem à altura”, ressaltou o secretário, durante o encontro realizado em Brasília.

A edificação foi vítima de vandalismo: uma grande placa de bronze está prestes a cair da estrutura. O pelotense Pires é conterrâneo do senador gaúcho José Gomes Pinheiro Machado, nascido em Cruz Alta, e considerado político de grande influência no período da República Velha (1889-1930). O senador foi esfaqueado e morto em 1915, no saguão do Hotel dos Estrangeiros, no Catete, conforme retrata a obra “O senador acaba de morrer”, de autoria do sobrinho-bisneto do senador, José Antônio Pinheiro Machado, advogado e jornalista.

Conhecido por atuar nos bastidores da política e ser um hábil articulador, Pinheiro Machado era chamado de “condestável da República”, o fazedor de presidentes. O livro sobre sua vida, de quase 300 páginas, editado agora pela LPM, começou a ser escrito em 1968, mas só foi publicado em 2018.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania