Debata as propostas no Fórum, deixando perguntas ou comentando sobre as demandas do setor. Participe!

Setorial de Artes Visuais do Pará (PA)

Candidatos(as)

Carregando...

MARIA DE FATIMA DA SILVA (FATINHA SILVA)
+
Votos: 20

MARIA DE FATIMA DA SILVA (FATINHA SILVA)

Defesa do candidato:

Minha presença no setorial se dará de forma a contribuir p/o conhecimento,difusão de processos criativos e o fomento da cadeia produtiva da área, de forma a possibilitar a articulação coletiva entre os representantes do segmento.Estar conectada c/as demandas, respeitando e valorizando toda a diversidade existente, acompanhando e lutando por maior democratizaçao na distribuicao dos recursos.

Experiência:

Produtora cultural e fotógrafa desde 2002. Sócia fundadora da Fotoativa e da Rede de Produtores Culturais de Fotografia do Brasil. Minha atuação pensando coletivamente a arte, se faz presente em minha participação nos movimentos promovidos por associações do terceiro setor. Atualmente, aluna do curso de aperfeiçoamento em gestão cultural –MinC/UFPA.


Leandro Dimas dos Santos Barros
+
Votos: 3

Leandro Dimas dos Santos Barros

Defesa do candidato:

Minha candidatura se deve ao fato do compromisso de articular e somar força para o fortalecimento da classe artística e principalmente da classe musical, que hoje infelizmente não são articulados nem mobilizados, o que realmente é uma lastima, pois eles tem grande poder de mobilização e força política, que infelizmente hoje é mal direcionada.

Experiência:

Sou sociólogo e ativista do Fórum de Cultura em Belém, onde atuo ativamente pela implementação da "Lei Valmir Bispo" que representa inúmeros avanços para a cultura e soma forças para a implementação do Sistema Municipal e Estadual de Cultura. Também sou musico percussionista onde já subi ao palco com diversos artistas paraenses, como Pedrinho Callado, Renata Dell Pinho, Choro do Pará, etc.


Sandro Destro Lima
+
Votos: 2

Sandro Destro Lima

Defesa do candidato:

A arte deve estar para todos! Pelo PRONAC, proponho: 1º Todo artista, principalmente da cultura popular, deve ter direito a assessoria, durante a proposição de projetos através da extensa plataforma do novo SALIC; 2º Editais de projetos artísticos devem ter a duração de, no mínimo, 02 (dois) anos; 3º Projetos aprovados por edital devem ter prazo máximo para receber apoio financeiro; 4º ISONOMIA

Experiência:

Designer e fotógrafo. Tendo trabalho o design, quase exclusivamente, na criação de identidades corporativas. Como fotógrafo, meu trabalho se insere no contexto da pesquisa, sem tergiversar para a proposição de ideias genuinamente coletivas, atuando de uma forma pouco ampla, mas focada, sobretudo, no que se pode debater, contestar, reavaliar ou mesmo negar.


Mina Ribeiro
+
Votos: 83

Mina Ribeiro

Defesa do candidato:

Precisamos de políticas públicas que beneficiem a juventude negra de periferia, fortalecer a rede de grafiteir@s e ter ações de cultura de combate ao racismo. Precisamos de políticas culturais afirmativas.

Experiência:

Sou Artista , Graffiteira e Contadora de História e atuo no COLETIVO CASA PRETA, em Canudos, Belém/PA. Participo da Rede MOCAMBO S Sou militante do Movimento Negro Participei do encontro "Pajelança quilonbolica digital", na Casa de Cultura Tainã, em Campinas/ SP.. Do 1°Encontro de graffiti União Nacional Crew, em Salvador Bahia. Do encontro nacional Ver-O-Risco, em Belém/PA e outros eventos


Candidato(a) eleito(a)
ARTHUR LEANDRO/ TÁTA KINAMBOJI
+
Votos: 239

ARTHUR LEANDRO/ TÁTA KINAMBOJI

Defesa do candidato:

Defesa de políticas afirmativas na cultura e o fomento e valorização da produção de visualidade com identidade afro-brasileira e amazônica, arte georeferenciada e com identidade etnica e racial.

Experiência:

Kissikar’Ngoma ria Nzumbarandá ria Mansu Nangetu. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UFPA (1992) e mestre em Artes Visuais pela UFRJ (2000). Atualmente é professor da Universidade Federal do Pará. Artista. Coordena projetos com artistas de terreiro.


Candidato(a) eleito(a)
Ivan Oliveira
+
Votos: 17

Ivan Oliveira

Defesa do candidato:

Pela democratização e descentralização da políticas públicas para cultura, pela formação de formadores e arte-educadores de forma continuada buscando a interiorização das ações públicas e o fomento das mesmas nas macro e micro regiões do estado, com respeito, transparência e resultados. Pela valorização das culturas populares e seus registros visuais.

Experiência:

Produtor cultural e realizador audiovisual, fundador do Labirinto Cinema Clube em 2007, coletivo audiovisual da região sudeste do Pará, diretor executivo do CurtaCarajás - Festival de Cinema de Parauapebas que este ano está em sua 7ª edição contínua, diretor de criação da Casa Lab Hub Criativo de Comunicação e Design, paraense, nascido à margem do rio xingu, em Altamira.





Fórum de Debates

Participe, comente sobre as demandas do setor!

O seu endereço de email não será publicado

171 participações Deixe uma resposta

  1. Responder

    Parabéns meu irmão Arthur Leandro. Sucesso em mais está empreitada. Você me representa.

  2. Responder

    Agradeço a confiança e os votos, vamos junto com Mina Ribeiro para a próxima fase, o Fórum Nacional no Rio de Janeiro, com essa missão de representar o estado do Pará e defender a visualidade com identidade étnica, racial e georefeerenciada.

    • Responder

      Parabéns Tata o senhor merece e sabe o que estará representando neste setorial!

    • Responder

      Kozandio Irmão, o senhor me representa e tenho certesa que teremos o senhor no colegiado , seguimos na luta de combate ao racismo.

  3. Responder

    Mais que uma história de produção no setor, Arthur é uma história de luta e defesa dos direitos políticos, sociais e culturais.
    Sucesso pra você, caro amigo!

  4. Responder

    Reforçando o debate sobre as propostas dos candidatos a conselheiro nacional de política cultural, no setor de artes visuais, venho aqui trazer uma plataforma de sugestões a serem apresentadas ao MINC.

    – Exposição permanente, com rodízio mensal de artistas em todos os prédios públicos, a partir de escolha popular em site definido para esta finalidade.

    – Ampliar a discussão em torno da desburocratização dos editais de arte.

    – Ampliação do número de exposições retrospectivas dos grandes artistas brasileiros, itinerante por vários estados da Federação.

    – Formulação de um projeto de viagem ao exterior para artistas e críticos de arte em formação, em moldes semelhantes ao CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS, é preciso instituir o ARTE SEM FRONTEIRAS.

    – Intermediação do Estado no incentivo ao fundraising, gerando uma lista de espera, semelhante à de doação de órgãos, onde empresas fariam um cadastro para contribuir com o artista da vez, e conseguir com isto dedução no imposto de renda. Seria uma forma de simplificação da Lei Rouanet, tornando o processo muito mais democrático.
    (“Enquanto na Alemanha o Ministério da Cultura e as Secretarias de Cultura dos estados distribuem a maior parte dos recursos públicos, no Brasil a Lei Rouanet facilita aos departamentos de marketing das grandes empresas obter poder de decisão. Estas empresas abatem do imposto de renda verbas despendidas em eventos nos quais os nomes de suas marcas podem ser divulgados de modo especialmente eficaz a um público de alto poder aquisitivo. Isso dificulta iniciativas menores”. Tobi Maier em entrevista ao Goethe Institut.)

    – Descentralização da atividade artística brasileira, com a criação de bienais regionais, para fomentar a produção e absorção de arte em todo o território nacional.

    – semana nacional do workshop. Seleção de artistas e arte educadores para a realização de oficinas e palestras endereçadas aos artistas, e ao público em geral.

    – Uso de verbas publicitárias do governo para a divulgação da arte brasileira na televisão.

    Assim, sucessivamente, novas propostas vão surgindo a partir do debate, mas é fundamental que exista um esforço combinado para que a arte nacional, que vem conquistando cada vez mais espaço no exterior, possa prosseguir em seu desenvolvimento econômico e cultural, a fim de que mais artistas tenham a oportunidade de aparecer, e que o público de artes visuais possa crescer e se informar cada vez mais sobre as tendências da arte no Brasil.

    Aos candidatos, não importando quem venha a ter a oportunidade de se eleger, peço que atentem para estas propostas, e queiram sugeri-las nas reuniões de que venham a participar, pois não é de um só o apreço pela ampliação dos valores culturais em nosso país.

    Atenciosamente,

    Gileno Araújo, candidato pela setorial Pernambuco.

    Contato: gilenoart@gmail.com

  5. Responder

    Segundo o Plano Nacional de Cultura, em discussão no Brasil, a cultura é apresentada como lugar de inovação, criatividade e formas de expressão do povo brasileira. O Amapá, os estados da Amazônia Brasileira precisam participar mais e ativamente na construção desse plano. Pois, será o novo cenário de desenvolvimento econômico, socialmente justo e sustentável do Brasil, segundo o MINC. Mas, nós do Amapá e integrantes da Amazônia precisamos discutir que os recursos nessa área sejam distribuídos de forma democrática e inclusiva. No entanto, para isso precisamos de representatividade que lute, que participe com ideais democráticos e busque essas questões. Precisamos discutir que os programas e editais para a cultura venham atender às necessidades locais e regionais. Precisamos projetar para além do hoje. Precisamos lutar para garantir que daqui a uns 10 anos, possamos ver a Amazônia e os estados mais esquecidos do cenário brasileiro como o Amapá, Roraima, Acre,Rondônia, além dos demais estados da Amazônia, participando de forma igualitária com os demais estados brasileiros. Precisamos lutar na perspectiva de ver daqui a uns 10 anos o Amapá e os demais estados da Amazônia esquecida, sejam inseridos com suas bagagens culturais no cenário nacional. Precisamos que o estado do Amapá seja reconhecido pela sua produção artística e cultural, com fomento nacional e local para produção com sustentabilidade econômica e relações culturais econômicas e participativas. Mas, para que isso aconteça precisamos VOTAR nesta eleição para o Conselho Nacional de Políticas Culturais do MINC, em pessoas comprometidas com mudanças de fato sociais. Mudanças para todos e não, para si e para seus grupos e círculo de amizades. Por favor, votem em pessoas de fato comprometidas.

  6. Responder

    Sucesso, Arthur Leandro!

  7. Responder

    Jae mina ribeiro conheço teu trabalho seu q vai ocupar bem esse posto.

  8. Responder

    Meu caro Arthur Leandro, chega a ser emocionante o quanto as pessoas estão votando em você. Parece que como eu, muitos admiram não só sua luta pela valorização da cultura negra mas também sua multi militância contra as injustiças sociais. Grande abraço!

  9. Responder

    castanhal vota em Arthur leandro

  10. Responder

    meu voto vai para Arthur por conta da admiração e respeito pelas suas ações diretas que objetivam a afirmação de políticas públicas para os povos de terreiro!

  11. Responder

    Pra Arthur. Tamojunto!!!

  12. Responder

    Pra: Arthur
    Estou torcendo por você, faça a diferença.
    Janaina.

  13. Responder

    Boa sorte

  14. Responder

    Meu voto é seu Mina Ribeiro.

  15. Responder

    olá Arthur sabes que terá o nosso apoio att,
    PUYR Tembé

  16. Responder

    Contamos com seu conhecimento é boa vontade Arthur para nos representar…

  17. Responder

    Arthur, faça alguma coisa por nós. Por favor.

  18. Responder

    Você tem seu valor-, te amo

  19. Responder

    Creio que é possível a mudança nas decisões politicas voltadas ao nosso território (Amazônia/Pará), a arte é importantíssima nesse processo. Precisamos dialogar com os governos QUAL O MODELO DE DESENVOLVIMENTO que queremos em nosso território. Desenvolvimento este que preserve a identidade territorial e cultural . Pois não existe povo sem identidade.

    Meu voto no Arthur Leandro

    • Responder

      esses comentários me fazem manter a força para continuar essa luta. Muito onrigado por manifestar apoio.

  20. Responder

    A possibilidade de mudança na politica cultural continuará sendo possível com pessoas de personalidade e cunho marcantes, como ARTHUR LEANDRO.

  21. Responder

    Para que o estado atenda as demandas da visualidade das culturas afro-brasileiras, vote em Arthur Leandro.

  22. Responder

    Voto em cotas raciais e em politicas culturais de combate ao racismo e valorização das culturas afro-amazônicas. Empretecer a artes visuais. Arthur Leandro.

  23. Responder

    Votei no Arthur

  24. Responder

    Arthur é a participação que vai fazer a diferença

  25. Responder

    Arthur, com certeza.

  26. Responder

    admiro sua luta arthur

  27. Responder

    registrado tata.

  28. Responder

    Arthur defende a diversidade

  29. Responder

    registrado, Arthur

  30. Responder

    na campanha Arthur

  31. Responder

    Torcendo para Arthur Leandro

  32. Responder

    Junt@s com Arthur.

  33. Responder

    Arthur luta pela igualdade racial e pela diversidade nas artes, e nas artes visuais.

  34. Responder

    Pamela vota Arthur com toda a certeza.

  35. Responder

    Meu sobrinho Arthur, ele me fez entender que eu também souartista…. e ele me mostrou politicas públicas culturais para artistas idosos. Voto nele.

  36. Responder

    Alô comissão organizadora. Informo que faremos uma reunião descentralizada no sábado, dia 26 de setembro, das 16 as 21h no Instituto Nangetu, endereço: Travessa Pirajá, n. 1194, bairro do Marco da Légua, em Belém do Pará. CEP 66,095-631. Telefone 32267599. E solicitamos a presença de um representante do MINC nessa reunião.

    • Responder

      Bença mano. Manda ver na presencial do Rio de Janeiro, meu caro, é a invasão do povo negro nesse ministério de brancos.

  37. Responder

    Arthur, desde que mor´vamos em Macapá que sabe da minha admiração pela sua atuação política. Você representa a luta da Amazônia inteira.

  38. Responder

    votei no arthur, e vou pedir voto pra ele.

  39. Responder

    votado tata

  40. Responder

    Arthur, é esse o voto.

  41. Responder

    Arthur, com o Xodó da Nega….

  42. Responder

    voto registrado Arthur leandro.

  43. Responder

    respeito muito a sua luta, Táta

  44. Responder

    É isso ai Mina lute!

  45. Responder

    Desde os tempos de Grupo Urucum que conheço e admiro a luta de Arthur Leandro.

  46. Responder

    voto regustardo, Arthur

  47. Responder

    Táta, voto registrado

  48. Responder

    Arthur, estás votadissimo.

  49. Responder

    registrado, Kinamboji

  50. Responder

    Arthur, vocês sabem por que.

  51. Responder

    eu, Arthur Leandro/ Táta kinamboji, candidato a delegados ao colegiado de ARTES VISUAIS pelo estado do Pará, estava em Salvador/BA em viagem para comparecer a oficinas e cerimônia promovida pelo IPHAN, com os terreiros premiados no EDITAL PNPI/2014, com retorno para a capital paraense previsto para as 23h de hoje, dia 16 de setembro, e não pude estar presentes na reunião presencial que debate propostas e dá quorum para numero de delegados paraenses nessa setorial.

    https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1001043366624914.1073741885.647481925314395&type=3

  52. Responder

    Leandro Dimas, boa sorte irmão.Tô na torcida por vc.

  53. Responder

    povo negro vota em povo negro.

  54. Responder

    Arthur/ Kinamboji

  55. Responder

    Povo negro vota Kinamboji.

  56. Responder

    Povo negro vota Kinamboji.

  57. Responder

    Povo negro de todos os estados votam Arthur/ Kinamboji

  58. Responder

    Arthur/ Kinamboji

  59. Responder

    A Bahia esta com Kinamboji.

  60. Responder

    Ola amigos, desejo que o Pará consiga alcançar a sua dimensão territorial e diversidade cultural nas discussões e reflexões sobre políticas culturais para o setor das artes visuais e audiovisual (que aqui também se insere, ja que não tem uma setorial especifica). Neste sentido parabenizo a todos os candidatos que se dispõe a nos representar.
    Neste momento, voto Ivan Oliveira, na expectativa que o sudeste do Pará amplie suas vozes; assim como, tem ampliado a produção visual e audiovisual paraense. Beijos e bom trabalho para todos!!

  61. Responder

    Bora meu povo, votar no Arthur/ Kinamboji.

  62. Responder

    Arthur, meu voto vai para você com muita satisfação! Você é uma pessoa de luta e muita sensibilidade! Abraço!

  63. Responder

    é preciso votar em mudanças estruturantes na lógica da visualidade brasileira, identidade étnica e racial ns artes como um todo – voto Arthur Leandro.

  64. Responder

    Voto em Táta Kinamboji e na valorização da visualidade de origem africana com protagonismo de artistas negr@s e de terreiros.

  65. Responder

    votado.

  66. Responder

    Eu também vim contribuir com a eleição do Arthur.

  67. Responder

    Votado

  68. FaviconNa próxima semana, etapa estaudual para | Associação Fotoativa
  69. Responder

    Táta Arthur, sou do Maranhão, estou no Piaui, e faço questão de contrinuir com sua candidatura pelo PA, uma candidatura que sabemos ser em defesa dos direitos culturais dos negros amazônidas e brasileiros.

  70. Responder

    Arthur Leandro voto realizado.

  71. Responder

    eu também votei

  72. Responder

    Táta, já votei.

  73. Responder

    Meu voto sem duvidas é para ARTHUR LEANDRO.

  74. Responder

    Embora respeite os demais candidatos, tenho a obrigação de dizer que o Arthur Leandro é sem sombra de dúvida, o melhor nome deste processo eleitoral, que melhor reúne as concepções da pluralidade, interlocução e capacidade aglutinadora para o CNC. Meu voto é dele e convido os demais para também contribuírem nessa votação.

  75. Responder

    O Arthur Leandro é sem sombra de dúvida o nome deste processo eleitoral, que melhor reúne as concepções da pluralidade, interlocução e capacidade aglutinadora para o CNC. Meu voto é dele e convido os demais para também contribuírem nessa votação.

  76. Responder

    Votei !

  77. Responder

    uhuhuhuhuh, meu cu já votou no arthur…

    • Responder

      O meu também :*

  78. Responder

    Bom dia a todos e todas. Sou o Mestre Paulão Kikongo do RJ. Estivemos na última gestão do CNPC participando do Setorial do Patrimônio Cultural Imaterial. Conhecemos o Arthur Leandro e sabemos do seu compromisso e capacidade para defender as questões negras no Conselho Nacional de Políticas Culturais.
    O que temos hoje na estrutura do CNPC é uma visão eurocêntrica de enxergar a cultura.
    Com Arthur Leandro no Setorial de Artes Visuais o Pará e o Brasil só tem a ganhar.
    Por isso peço o seu voto para o nosso amigo Arthur Leandro. Esse eu conheço. Podem confiar.

  79. Responder

    a história da arte brasileira pode ser
    entendida como fruto da tensão pelo embate entre a
    manutenção de identidades culturais diversificadas
    frente à hegemonia da herança da modernidade
    européia, ou como ocorre na contemporaneidade,
    com a expansão da sociedade de consumo norteamericana
    e no mundo neoliberal do mercado
    globalizado, a imposição de um único modo de
    produção e circulação de arte e bens culturais em
    constante conflito com identidades resultantes da
    experiência dos povos dominados, escravizados ou
    imigrantes.

  80. Responder

    Defendo a possibilidade da polifonia nas artes visuais, principalmente diante da massificação de um modelo europeu imposto pelo ensino de artes.

    Sem considerar a experiência da produção
    artística que, à revelia dos desejos dos mandatários
    do Estado, acontecia misturando signos culturais de
    diversas etnias de três continentes distintos, a missão
    francesa oficializa a arte produzida segundo o gosto
    do governante e relega à planos inferiores todas as
    demais produções artísticas fruto da diversidade
    cultural brasileira

  81. Responder

    Eu falo contra a hegemonia e contra o discurso único.
    Gramsci fala da hegemonia e a caracteriza como a liderança cultural que garante a dominação, considerando que os mundos imaginários funcionam como matéria espiritual para se alcançar um consenso reordenador das relações sociais, conseqüentemente orientado para a transformação e explica que as formas históricas da hegemonia nem sempre são as mesmas e variam conforme a natureza das forças sociais que a exercem. Sérgio Buarque de Holanda exemplifica o caso brasileiro de hegemonia e dominação ao dizer que a tentativa de implantação da cultura européia no extenso território e em condições naturais hostis está nas raízes do Brasil, e conclui dizendo que somos desterrados na nossa terra, e, ainda, pergunta se realmente podemos representar as formas de convívio, instituições e ideias das quais acreditamos que somos herdeiros.

    • Responder

      Maravilha Arthur! Estamos com você!

      • Responder

        estamos juntos mano

  82. Responder

    Olá, gostaria de saber mai sobre suas propostas para nosso Estado.

    • Responder

      Primeiro de tudo, que fique evidente que somos candidatos a conselheiros. O que fazemos é DISCURSO. Nosso papel social é o diálogo para que a gestão compreenda o contexto da produção cultural da região norte. Eu já participei do colegiado de Culturas Afro-brasileiras, e o que fiz foram coisas assim https://www.youtube.com/watch?v=py54BxSBZ4o

  83. Responder

    ARTHUR LEANDRO/ TÁTA KINAMBOJI tem todo meu apoio para pleitear a vaga da
    Artes Visua esteve na construção do I Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Povos Tradicionais de Matriz Africana e é qualificado para a apresentação e defesa de propostas de política cultural afirmativa e de combate ao racismo. o tata Athur tem todo meu apoio

  84. Responder

    Meu irmão, meu pai Kinamboji, sua atuação política na cultura será recompensada. Nós reconhecemos o seu trabalho

  85. Responder

    Querido Arthur, já votei. Desejo todo o sucesso nessa eleição.

  86. Responder

    Moro no Rio de Janeiro, e venho votar em Arthur Leandro no estado do Pará. Isso é reconhecimento por seu trabalho pela inclusão e pelo direito cultural do povo negro na Amazônia e no Brasil. O Pará dá um grande exemplo de luta para o Brasil inteiro.

  87. Responder

    Votadíssimo Táta Kinamboji, reconhecendo seu trabalho pela inserção do povo negro nas artes visuais. EU TAMBÉM SOU ARTISTA VISUAL, com identidade negra e de terreiro, essa é a nossa diferença, e diferenças tem de ser respeitadas.

  88. Responder

    O sistema não está registrando o meu voto

  89. Responder

    Arthur o que vc tem como proposta para o audiovisual e como vai defender o setor

    • Responder

      estes candidatos são do audiovisual? pensei que eram de artes visuais.

    • Responder

      Eu falo contra a hegemonia e contra o discurso único.
      Gramsci fala da hegemonia e a caracteriza como a liderança cultural que garante a dominação, considerando que os mundos imaginários funcionam como matéria espiritual para se alcançar um consenso reordenador das relações sociais, conseqüentemente orientado para a transformação e explica que as formas históricas da hegemonia nem sempre são as mesmas e variam conforme a natureza das forças sociais que a exercem. Sérgio Buarque de Holanda exemplifica o caso brasileiro de hegemonia e dominação ao dizer que a tentativa de implantação da cultura européia no extenso território e em condições naturais hostis está nas raízes do Brasil, e conclui dizendo que somos desterrados na nossa terra, e, ainda, pergunta se realmente podemos representar as formas de convívio, instituições e ideias das quais acreditamos que somos herdeiros.

  90. Responder

    Voto em Arthur Leandro , pois confio em seu trabalho e ele me representa !!!

  91. Responder

    Voto em Arthur Leandro porque acredito na importância de sua proposta de trabalho e na sua competência para colocá-la em prática.

  92. Responder

    Em média, a cada 30 projetos de artes visuais fomentados pela Funarte, apenas um tem o protagonismo negro. E quantos desses tem a estética e o modo de produção na matriz africana?

  93. Responder

    precisamos defender a estética e o modo de produção de arte na matriz africana

    A presença negra na arte brasileira precisa de estudos e pesquisas mais aprofundadas, estudar com afinco essa relação com África desde as obras e artistas como Mestre Valentim e Antônio Francisco de Lisboa, o Aleijadinho, homens de um tempo em que a formação artística se dava de maneira coletiva e menos excludente em corporações de ofício. Ao mesmo tempo que se torna imperioso entender o impacto da Missão Francesa sobre essas corporações e seus artistas, assim como o espaço social dos negros pós missão francesa e pós fundação da Academia Imperial de Belas Artes.

    • Responder

      O fato é que desde então a presença negra nas artes visuais brasileiras enfrenta o mais cruel apagamento, pois na mesma medida que é quase impossível falar de um único ritmo musical brasileiro que não tenha influência africana, é uma tarefa dificílima encontrar artistas negros e poéticas de origem afro-brasileira nas artes visuais no modernismo e na produção contemporânea brasileira.

      • Responder

        Enquanto o modelo europeu valoriza o gênio artístico, ou seja, a potência criativa do indivíduo, a matriz africana é essencialmente coletivizada em comunidades, e como a missão francesa trouxe consigo a lógica de produção capitalista individualizada, restava pouco espaço à expressividade africana nas artes plásticas. É possível que esteja nessa lógica a notória preferência da população negra para a música, a dança e os esportes, que a preferência se justifique por se tratar de expressões culturais que envolvem grande participação comunitária, em contra partida dessa percepção da individualidade imposta para as artes visuais.

        • Responder

          E, ainda, como os negros foram relegados às camadas marginalizadas da sociedade e da economia brasileira, também estavam menos aparelhados para competirem com o artista branco em um sistema cuja formação individualista necessitava de grandes despesas.
          Nesse contexto, a visualidade africana teve na construção de objetos de arte de uso ritual nos terreiros, territórios tradicionais negros, uma das poucas garantias de sobrevivência e continuidade da capacidade criativa de produção de visualidade com bases comunitárias de matrizes oriundas da África negra.

  94. Responder

    Eu voto em Arthur porque ele me representa

  95. Responder

    57% dos brasileiros e brasileiras são negros e negras, e para se ter ideia da fatia de financiamento das artes afro-brasileiras pelo Ministerio da Cultura vejam o discurso de Hilton Cobra​ explicando que apenas 1,5% do orçamento da cultura financia as artes afro-brasileiraas, precismos mudar essa matematica – neste link http://etetuba.blogspot.com.br/2015/09/discurso-de-hilton-cobra-ex-presidente.html

    • Responder

      Tata Kinamboji/ Arthur Leando nos representa, alem de sua formação e capacitação é um vivenciador deste dia a dia de cobrante ao racismo nas artes. Trabalhou arduamente no colegiado de cultura afrobrasileira, onde fez junto aos demais um excelente trabalho, conhecer e sabedor de formulação de politicas publicas. o debate e a formulação de politicas publica para artes visuais terão um grande avanço com sua presença neste colegiado.

  96. Responder

    KINAMBOJI ,Estamos com vc .

  97. Responder

    Ivan! Trabalhador da cultura. Zero coitadismo. Muita ação e resultado!

  98. Responder

    Como se sabe, até hoje aparecem nazistas sendo julgados por suas atrocidades, no Brasil o regime militar que deu golpe em 1964 foi recentemente investigado, bem como os governos militares em quase toda a América Latina. Também no Brasil aconteceram mais de trezentos anos que a então Colônia Portuguesa e depois Nação Brasileira, escravizou trabalhadores vindos do continente africano. Quem julgou e condenou o Governo Português e depois Brasileiro com as atrocidades que cometeram contra enormes contingentes de trabalhadores vindos do Continente Africano? Precisamos resgatar nossa dignidade de nação negra, e indenizar com ações afirmativas nossos antepassados, que foram brutalmente explorados na sua capacidade intelectual para trabalhar e criar bens para nosso país. Os artistas negros representam isso, NOSSA CARA. Nosso visual, nosso passado, Branco, que agora precisa se manifestar Negro, por uma simples questão de justiça, e bom gosto é claro.

  99. Responder

    Professor Arthur Leandro, fico muito feliz por tua participação neste evento democrático colocando teu nome nesta eleição. Para mim, enquanto sociólogo e pesquisador na área, considero este espaço de poder cultural fundamental para abrir caminhos para transformações locais e nacionais. Precisamos sempre mais de pessoas que pensam de maneira democrática e comprometida com seu povo, com sua nação. Estou torcendo e votando em você. Grande abraço

  100. Responder

    Fechado com Ivan Oliveira, um homem talentoso e batalhador pela cultura e que nos representará com louvor no conselho nacional de política cultural. IVAN OLIVEIRA É MEU VOTO!

  101. Responder

    O Ivan e uma cara que pode realmente fazer a diferença se ele tive como fazer. eu acredito no seu trabalho.

  102. Responder

    Aqui meu voto conhecendo e acreditando no seu trabalho,colados com Ivan.

  103. Responder

    Aqui meu voto conhecendo e acreditando no seu trabalho.

  104. Responder

    Ivan Oliveira,

    estamos certo de que irá nos representar com muita honra. sucesso parceiro!

  105. Responder

    Olá pessoal, sou de Parauapebas, sudeste do Pará e estou me colocando a disposição para representar nosso estado no conselho nacional de política cultural, respeitando a todos e propondo um olhar para o interior do estado. Abraços a todos!!

    • Responder

      que bom mano. rumbora.

    • Responder

      tu ja foste avisado que pro PA ter 3 delegados temos de colocar 100 pessoas dia 16 de setembro num locl em belem que ainda nem divulgaram onde e?

  106. Responder

    Só através da Educação poderemos encontrar soluções. Arthuuur

  107. Responder

    VAI ARTHUUUUR.

  108. Responder

    Arthur, vamos lá…

  109. Responder

    Arthur, estamos torcendo por voce.

  110. Responder

    VAMOS LA ARTHUUUR, VOCE CONSEGUE.

  111. Responder

    Arthur, estamos na sua torcida..

  112. Responder

    Vamos Arthur

  113. Responder

    Estamos na torcida.

  114. Responder

    Torço por você, com certeza teremos um dos melhores representantes da área com vasto conhecimento, boa sorte.

  115. Responder

    A juventude negra da periferia pede socorro!

  116. Responder

    Defendo a ideia de que a juventude conectada as tecnologias sem deixar de lado sua cultura! Hoje, percebo que os jovens estudantes pouco sabem de si mesmos!

  117. Responder

    Onde podemos saber mais sobre a proposta dos 2 candidatos?

  118. Responder

    O mais importante é que tenhamos um representante das artes visuais conectado com as demandas do segmento, que detenha conhecimentos sobre a politica cultural governamental, que defenda a diversidade existente em nosso Brasil, que valorize os saberes populares. Estou me candidatando esperando contribuir para a democratização na distribuição dos recursos, para mais e mais cultura para todos nós.
    Fatinha Silva, Belém, Pará.

  119. Responder

    deixo meu apoio a esse grande defensor da cultura!

  120. Responder

    Lembro de várias situações em Macapá, em que testemunhei a atuação política de Arthur Leandro nas artes visuais, fica na memória a defesa dos artistas em diversas situações de conflito com o poder, com polícia em arte de rua, com reitor quando trabalhos de estudantes que usavam nudez… Sou candidata em artes visuais pelo Amapá, e declaro todo o meu apoio para a candidatura dele pelo Pará, vamos chegar juntos – Amazônia em rede… na rede;

  121. Responder

    Acompanho há 3 anos o projeto Nós de Aruanda. artistas de terreiro, o Projeto Azuelar e, mais recentemente o Kiuá Nangetu – poéticas visuais de resistência negra, e percebo os impactos dessas ações para a afirmação de uma identidade artística amazônida e negra, com o protagonismo da população negra. Precisamos de gente como Táta Kinamboji/ Arthur Leandro, nos espaços de definição de políticas públicas para a cultura.

  122. Responder

    U-u-u-u-u- meu cú vota no Artur; ARTE LIVRE COMO ELE.

  123. Responder

    Que Olurum lhe cubra de axé…tamo junto!!

  124. Responder

    Caros artistas, cidadãos, parentes, amigos….
    Defendo a diversidade cultural, ações afirmativas na cultura e a matriz africana na visualidade amazônida e brasileira.
    Agradeço a confiança e a colaboração para a mobilização para a eleição que vai garantir a presença desse discurso no colegiado de artes visuais do CNPC/MINC;

  125. Responder

    Meu filho, Arthur Leandro, estou mobilizando todos os meus amigos para lhe eleger e dar força para continuar a luta que você trava em nome do povo negro amazônida,

  126. Responder

    força na luta querido professor! votaria mil vezes se pudesse!

  127. Responder

    TORCENDO POR VOCÊ GRANDE ARTHUR!

  128. Responder

    GOSTARIA DE SABER MAIS SOBRE ESSAS DEMANDAS DO SETOR!

  129. Responder

    Vai com tudo amigo, VC é a cara do Pará na cultura

  130. Responder

    Querido,de que forma oretendes contribuir para o fomentos da cultura do estado do Pará?

  131. Responder

    Tata estamos na torcida e na mobilização pela sua vitória!
    Alan Fonseca