Debata as propostas no Fórum, deixando perguntas ou comentando sobre as demandas do setor. Participe!

Setorial de Patrimônio Material de São Paulo (SP)

Candidatos(as)

Carregando...

Danilo da Costa Morcelli
+
Votos: 3

Danilo da Costa Morcelli

Defesa do candidato:

Atuo no Grupo de Memória da Zona Leste de São Paulo desde 2012 e acredito no potencial da memória e do patrimônio como forma de afirmação cultural e na manutenção de tradições e identidades. O patrimônio é algo vivo, dinâmico, sua proteção só se efetiva e faz sentido se ocorrer o envolvimento dos grupos que o detém e se ocorrer o seu uso social.

Experiência:

Sou Gestor Ambiental e mestre em Ciências pelo programa de Mudança Social e Participação Política da Universidade de São Paulo, sou pesquisador e autor da dissertação "Paisagens paulistanas, memória e patrimônio às margens do rio tietê". Acredito no patrimônio como um valioso recuso de afirmação de identidades e tradições. Desde 2012 faço parte do Grupo de Memória da Zona Leste de São Paulo.


Renata Maria Tamaso
+
Votos: 1

Renata Maria Tamaso

Defesa do candidato:

Doutora em História, Especialista em Planejamento e Marketing Turístico e aluna de Gestão Cultural do SENAC/SP. Com vasta experiência na área cultural, seja como participante, organizadora ou colaboradora e conhecimento da legislação cultural brasileira, gostaria de colaborar para o desenvolvimento de uma política cultural de preservação, considerando a importância da educação patrimonial.

Experiência:

Como membro da Associação Pinhalense de Cultura (fundada em 1979), participei de ações em defesa do patrimônio histórico-cultural local e regional - de natureza material ou imaterial -, como por exemplo: movimento pela revitalização das tradições culturais afro-brasileiros, estudo dos ítalo-brasileiros, na salvaguarda de bens patrimoniais, móveis ou imóveis, de Espirito Santo do Pinhal/SP.


Ruberval Marcelo da Silva Oliveira
+
Votos: 17

Ruberval Marcelo da Silva Oliveira

Defesa do candidato:

Nos dez anos de luta para preservação patrimonial,aprendi algumas lições:Existe um enorme desequilíbrio entre o desejo da sociedade e das comunidades no embate com o capital especulativo imobiliário.A ocupação dos espaços de debate foram fundamentais para as conquistas.Predomínio de áreas do saber, na questão ,trouxe limitações.É necessário ligar as áreas do saber para atingir objetivos plenos.

Experiência:

Minhas especialidades:Planejamento de cidades turísticas.Pesquisas nas áreas de preservação ,restauro,urbanismo,arquitetura,legislação,políticas públicas.Membro fundador da Associação Preservasp que tem como missão:Defender o Patrimônio Cultural ,paisagístico, urbanístico, histórico, estético artístico, turístico, arqueológico,ambiental, e quaisquer manifestações e elementos a eles, relacionados.


Rogério Belmiro Tampellini
+
Votos: 2

Rogério Belmiro Tampellini

Defesa do candidato:

É educador, jornalista, pesquisador de história e genealogia e ativista cultural. Articula democraticamente junto ao Poder Público a preservação e a valorização do patrimônio de interesse público de preservação na cidade e região. Junto ao Legislativo, suas iniciativas resultaram na instituição de oito Leis municipais, audiências e debates públicos. Recebeu o título de Cidadão Benemérito em 2014.

Experiência:

Solicitou tombamento apontando alternativas para revitalizar o Matadouro Municipal, Usina Tamoio e outros. Denunciou descaracterização de praças, monumentos e acervo histórico. Articulou o Poder Público para discutir a preservação e representou ao Ministério Público articulando a suspensão de demolições em edificações históricas, e a investigação sobre demolição de edificação protegida por Lei.


Agda Sardinha
+
Votos: 31

Agda Sardinha

Defesa do candidato:

Na perspectiva de que as políticas públicas possam engendrar mudanças socioespaciais em benefício da população, os patrimônios culturais materiais são potenciais ferramentas para o desenvolvimento dos territórios e das sociedades. Sendo assim, espero contribuir para que as demandas populacionais sejam contempladas nas discussões acerca das políticas públicas para o campo do patrimônio.

Experiência:

Graduada em Geografia pela UNESP (2008). Mestre em Museologia pela USP (2014). Realizou o Curso Sesc de Gestão Cultural no Centro de Pesquisa e Formação (2014). Tem experiência nas áreas de Arqueologia e Museologia. Atua como museóloga e consultora em educação e pesquisa. Tem interesse nos temas pertinentes à relação entre Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial.


Candidato(a) eleito(a)
Pedro Oswaldo Nastri
+
Votos: 3

Pedro Oswaldo Nastri

Defesa do candidato:

Somos responsáveis pelo patrimônio de nossa comunidade e devemos cuidar para que ele seja preservado como nossa herança para as gerações futuras. As ações podem ser simples, começando pela nossa própria casa. Como dizia Tolstoi: "Para ser universal, aprenda primeiro a pintar sua aldeia". Preservar o patrimônio histórico não é apenas uma questão do poder público, mas da sociedade como um todo.

Experiência:

Jornalista, estudo a história da cidade de São Paulo, com artigos publicados sobre a preservação de bens culturais em vários jornais, além de contribuir com o site saopaulominhacidade.com.br – SPTuris Prefeitura de São Paulo. Exerço o cargo de Diretor Cultural da União Brasileira de Imprensa e criador do Grupo Memórias Paulistanas, com mais de 50 mil membros.





Fórum de Debates

Participe, comente sobre as demandas do setor!

148 participações Deixe uma resposta

  1. Caros colegas,

    Agora saiu o resultado oficinal das eleições do CNPC.
    Quero agradecer a todos que depositaram o voto de confiança em mim. Comprometo-me a zelar e a lutar pelas pautas do patrimônio material. Enviarei notícias do Fórum Nacional em novembro.

    Abraços,

  2. Caro Vinícius Wu,

    O Edital CNPC 01/2015 estabelece claramente que:
    16/10/2015 – homologação dos delegados estaduais eleitos.
    Esperamos até o final do dia 16/10 pela divulgação do resultado dos recursos e homologação dos delegados eleitos mas o que há aqui no site é apenas uma informação sobre o evento do dia 19/10 em Brasília.
    Acreditamos que todos os candidatos que se inscreveram e entraram com algum tipo de recurso têm direito de tomar conhecimento sobre a decisão tomada pela Comissão Eleitoral. Qual a justificativa do Minc para o não cumprimento do que está claramente estabelecido no edital que disciplina este processo eleitoral?
    Atenciosamente,

    ADELMO DE MEDEIROS

  3. Adga, parabéns pela vitória!!!!
    Estou pensando num grupo por email para fomentar o debate do setorial. Mande-me um email.
    Mandei uma mensagem para o Bernardino (PA) também.
    Anote o meu: antseixas@bol.com.br
    Mais uma vez parabéns!!!!

    • Olá Antonio,

      Obrigada e parabéns pela vitória no Rio!

      Acho ótima a ideia a lista de emails. E em Brasília, podemos dar prosseguimento com a ideia do blog.

      Irei escrever um email para você, mas já deixo o meu email aqui: sardinhaagda@gmail.com

      Abraços,

  4. Olá pessoal,

    Segundo os resultados preliminares do MinC, a representação para os setoriais de Patrimônio Material do CNPC está assim:

    – Todos os estados terão um representante. Exceto pelos estados do Pará e Mato Grosso que contarão com dois representantes;
    – No Rio Grande do Norte só há um candidato, mas ele não recebeu nenhum voto. Então, o estado ficará sem representação?;
    – Em Santa Catarina, duas candidatas estão empatadas com 42 votos e o Minc usará algum critério de desempate;
    – Em Goiás, a candidata com maior número de votos (8) foi inabilitada pelo Minc, mas ela ainda pode recorrer.

    Desta maneira, os resultados prévios estão assim:

    1. Acre (AC) – Ana Lúcia Cunha e Silva (23 votos)

    2. Alagoas (AL) – Jefferson Júnior do Nascimento Lima (9 votos)

    3. Amapá (AP) – Profa. Iris Moraes / Ekedi Ewejimi (63 votos)

    4. Amazonas (AM) – Telma Heloísa de Alencar Félix (10 votos)

    5. Bahia (BA) – Raimundo Konmannanjy (140 votos)

    6. Ceará (CE) – Genildo Moreira Angelim (72 votos)

    7. Distrito Federal (DF) – Yuri Soares Franco (3 votos)

    8. Espírito Santo (ES) – [sem representação]

    9. Goiás (GO) – Mauro Moura (4 votos)

    10. Maranhão (MA) – Alessandra Costa Gomes (Pajama) (7 votos)

    11. Mato Grosso (MT) – Paulo Roberto Moreira Crispim (36 votos) e Luciano Pereira da Silva (4 votos)

    12. Mato Grosso do Sul (MS) – [sem representação]

    13. Minas Gerais (MG) – Isabela Tavares Guerra (43 votos)

    14. Pará (PA) – Bernadino da Costa e Silva Junior (124 votos) e Telma Saraiva dos Santos (112 votos)

    15. Paraíba (PB) – Nivaldo Amador de Sousa (29 votos)

    16. Paraná (PR) – Miguel Fernando Perez Silva (4 votos)

    17. Pernambuco (PE) – Aramis Macêdo Leite Júnior (34 votos)

    18. Piauí (PI) – [sem representação]

    19. Rio de Janeiro (RJ) – Antonio Seixas (106 votos)

    20. Rio Grande do Norte (RN) – Um candidato com 0 votos – [sem representação?]

    21. Rio Grande do Sul (RS) – Jaqueline Custódio (48 votos)

    22. Rondônia (RO) – Rogerio Fulvio Romano (2 votos)

    23. Roraima (RR) – Paulina Onofre Ramalho (23 votos)

    24. Santa Catarina (SC) – Dione da Rocha Bandeira OU Marcella Monteiro Borel (Ambas com 42 votos. O MinC irá usar algum critério para desempate)

    25. São Paulo (SP) – Agda Sardinha (31 votos)

    26. Sergipe (SE) – Péricles Morais de Andrade Júnior (2 votos)

    27. Tocantins (TO) – Maurí Luiz Bessegatto (35 votos)

    Abraços,

      • Obrigada Bernadino. Parabéns pela conquista e por representar o Pará no setorial.

        Um grande abraço e nos vemos em Brasília. Quem sabe lá não conseguimos pensar em uma estratégia para divulgarmos mais as questões relacionadas ao patrimônio cultural? Podemos pensar em uma maneira de alimentar algum blog com as informações de todos os estados.

  5. Prezados colegas Candidatos,
    Caminhamos para o fim desse processo eleitoral.Reconheço o esforço de todos os debatedores inclusive aos amigos de outros estados.A oportunidade foi criada e a utilizamos.É Com profundo pesar que constato a ausência, mesmo virtual,da maioria dos candidatos do estado. São Paulo tem uma das mais poderosas industria da construção e exploração imobiliária.É o solo mais caro do Brasil.É nesse ambiente extremamente corrosivo para o patrimônio, onde lucros altos ditam o destino do uso do solo.Lutamos ha dez anos para proteger o acervo de nossa cidade.O cenário desta disputa me mostra de que certos estamos nos nossos objetivos de preservação,e a sensação de abandono que nos aflige, se estende para área da cultura.Mas eu continuarei o trabalho de pesquisa,inventário,protesto,denúncia,pedidos de tombamento através do a/o Preservasp, que continuará sua luta pela preservação.Desejo boa sorte a todos e todas e que possamos trocar idéias através das redes sociais,onde me encontro com esse mesmo nome de candidato – Ruberval Marcelo da Silva Oliveira.Até breve!!

    • Ruberval, obrigada pelo comentário. Você tem toda a razão.
      Desejo sorte na sua luta e agora vou acompanhar mais de perto as ações do Preservasp.

      Abraços,

  6. Agradeço a todos os eleitores e aos companheiros que fizeram do fórum de debate do Patrimônio Cultural Material – RJ o mais movimentado do setor em todo o país.
    Muito obrigado a todos.
    Vamos em frente!!!

    • Parabéns pelo engajamento Antônio. E obrigada por estimular mais debate nos setoriais em todos os estados. Foi um estímulo de grande valia!

  7. Chegamos ao final desta etapa, mas não ao final das nossas lutas para preservação do Patrimônio Material. Agradeço os posicionamentos e comentários dos colegas deste fórum, assim como dos outros, que acompanhei para tentar entender a realidade nacional. Percebi muita vontade, por parte de todos, em percorrer caminhos que levem ao mesmo objetivo, ainda que com concepções, posturas e formas de atuação diferentes. Estamos discutindo muito sobre diversidade cultural e como nas diferenças podemos encontrar os instrumentos que nos ajudem a manter um percurso democrático e participativo. Somar esforço, fazer parcerias, encontrar novos interlocutores será um desafio que deveria, a meu ver, fazer parte das ações dos nossos delegados. Aprofundar mais as discussões conceituais o que foi um pouco a falha nestes últimos dias onde muitos comentários foram sobre nºde lei, nº de tombamentos, números e números que são importantes somente se utilizados para sustentar analises conceituais. Talvez isso pudesse ser revisto com mais calma para que as informações disponibilizadas proporcionem realmente o fruto desejado. Seria bom neste sentido manter um canal aberto nas redes sociais, ou melhor, em um blog da Setorial Material (que seja nacional), para que a participação de eleitos, não eleitos, votantes e mais ainda da sociedade civil em geral, seja garantida para os próximos dois anos até uma nova eleição. Eleição que deverá acontecer a partir de um engajamento maior de todos os que já participaram e daqueles que irão se unir aos nossos esforços. Se quiserem me contatar podem enviar e-mail para carlopagani53@gmail.com
    Um abraço a todos

    • Olá Carlo,
      Obrigada por sua participação. A questão do blog do Setorial de Patrimônio Material é premente!
      Pretendo articular isso com os representantes que forem à Brasília.

      Abraços,

  8. Olá pessoal,

    Vi uma notícia muito interessante sobre o tombamento das estações ferroviárias no interior de São Paulo.
    Achei muito importante a iniciativa do governo do estado de abrir para a população um canal de participação. O que vocês acham?

    A matéria diz:

    “Pela primeira vez, a população poderá participar das decisões sobre o tombamento de bens de interesse cultural ou histórico no Estado de São Paulo. Numa decisão inédita, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat) abriu consulta pública online para receber as contribuições do público sobre a proposta de tombar os complexos ferroviários de Sorocaba e Bauru, no interior de São Paulo.
    As sugestões podem ser enviadas por qualquer cidadão interessado até o dia 15 de novembro próximo. De acordo com o Condephaat, embora a consulta popular não seja obrigatória no processo de tombamento, o órgão tem buscado ouvir os moradores antes de tomar decisões que podem causar impacto no contexto urbano das cidades. O conselho já realizou consultas públicas presenciais, mas ainda não havia recorrido à internet como meio de consulta. As sugestões serão consideradas nas discussões do órgão que antecedem o tombamento”.

    Fonte: http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,conselho-de-patrimonio-abre-consulta-para-tombar-estacoes-ferroviarias-em-sp,1776234

    • Adorei a iniciativa. O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat) está de parabéns. Entrarei em contato com os companheiros preservacionistas paulistas. Vamos em frente!!!!

      • Vamos em frente! Esse é um processo que vale ser acompanhado e quem sabe também implementado em outras cidades.

  9. Olá Colegas candidatos do Fórum de Patrimônio Material de SP!
    Como fui citada na fala da Agda Sardinha, gostaria também de expressar minhas impressões.
    Minha candidatura se deu no último dia das inscrições, ou seja no dia 26/09, portanto como justifiquei em minha fala no fórum abaixo, não pude participar do fórum presencial.
    Logo, me apresentei em seguida e aguardei que me fizessem alguma questão. Como ela veio somente agora, venho manifestar que concordo plenamente com Agda quanto à necessidade de um debate mais fecundo não somente entre nós candidatos, mas sobretudo, com a sociedade como um todo.
    Acredito que é ela que compreende melhor suas próprias demandas e pode manifestá-las nos diversos canais de comunicação.
    Espero poder responder às suas questões Agda, assim como a de todos aqueles que se interessarem pelo meu percurso profissional na área.
    Como a eleição ainda não finalizou, entendo que ainda temos tempo para isso.
    Abraços e bom debate a todos!

    • Olá Renata,

      Você se apresentou numa fala, mas não participou aqui do Fórum.

      Havia diversos outros tópicos aqui, que foram criados antes e depois de sua candidatura. E nenhum deles foi comentado por você. É nesse sentido que critico sim a sua postura e dos demais candidatos. Você entende?
      Tem 125 participações neste fórum e só uma foi sua. E apenas para falar sobre a sua trajetória profissional…

      Não é que eu tenha questões específicas para você. Acho que você, como candidata, poderia ter tido mais participações.

      Os outros colegas (que cito na fala abaixo), por exemplo, não fizeram uma única postagem aqui. Não deram as caras nem que fosse para dar “oi” ou para falar sobre suas trajetórias profissionais ou para debater algum tema ou até mesmo simplesmente falar sobre algo que está acontecendo no campo do patrimônio material.

  10. Já que hoje é o último dia, já posso expressar, com toda a certeza, que os candidatos Danilo da Costa Morcelli, Pedro Oswaldo Nastri, Rogério Belmiro Tampellini e Renata Maria Tamaso se omitiram completamente do debate e do fórum virtual. Acho isso uma pena. Durante o mês todo poderíamos ter feito debates interessantes.
    Acho que o setorial de patrimônio material perde muito com isso.
    O CNPC não deve ser feito só de candidaturas, mas também de debates.

  11. Olá pessoal,
    Hoje é o último dia para votar ou trocar de voto nessa eleição do CNPC.

    No cronograma consta que no dia 09/10 (sexta-feira) sairá o resultado dos candidatos eleitos.

    Entre 09/10 e 14/10 (quarta-feira) é o prazo para os recursos.

    E no dia 16/10 (sexta-feira) será homologo o resultado das eleições e os candidatos eleitos.

    Então, em breve saberemos quem serão os novos delegados eleitos.

    Abraços,

  12. Olá pessoal,

    Compartilho aqui também o site do Plano Estadual de Cultura de São Paulo. A etapa de consulta pública já passou. E agora o projeto de Lei já foi encaminhado para a avaliação da Assembléia Legislativa de São Paulo.
    No site http://www.planoestadualdecultura.sp.gov.br/ é possível ler os documentos do Plano, bem como saber mais sobre os membros que ajudaram a sistematizar e a criar redação do Plano.

    Abraços,

    • Olá Agda, boa noite. No meu comentário do dia 5 também postei alusivo ao Plano Estadual de Cultura.
      Se você me permite, farei uma correção nos seu comentário. “E agora o projeto de lei já foi encaminhado para avaliação na ALESP”
      ELE NÃO É PL E NÃO FOI ENCAMINHADO PARA A ELESP
      1. O Plano Estadual Estadual de Cultura que foi publicizado para consulta pública é o trabalho de uma comissão parte eleita nas 16 regiões administrativa e parte indicada pelas linguagens e Organismos que no período de setembro de 2014 a abril de 2015 elaboraram a Redação do Plano.
      2. Toda redação será agora avaliada e revisada pelo Jurídico da Secretaria de Estado da Cultura, mesmo com a consulta pública e com todo conteúdo da redação cabe ajuste jurídico.
      3. O Secretário de Estado da Cultura, após essa vista jurídica encaminha ao Executivo.
      4. O Executivo encaminha a ALESP que na Comissão de Educação e Cultura fará as audiências públicas (ESSE SERÁ O GRANDE MOMENTO DE DISCUSSÃO PARA TODOS NÓS) e a partir dai torna-se Lei que será uma régua de medição para o próximo decênio em toda politica pública de Cultura de SP.
      5. Ainda tem a 4.ª Conferencia Estadual que também terá um papel importante no acompanhamento do Plano Estadual, como toda Sociedade Civil, Organismos, Coletivos, Fazedores de Cultura, Produtores Culturais e Gestores.
      Saudações Culturais (fiz parte da comissão como membro eleito pela Capital)

      • Agda esqueci de te dar um RUFO, APLAUSO, PAÓ enfim de registrar sua elegante postura , sua pró atividade em informar os colegas das coisas e dos fatos e suas arguições frente a todos setoriais.
        Obrigado, registro meu e-mail barracaodossonhos@ig.com.br

        • Olá Dinho,

          Obrigada!

          Quero parabenizá-lo também. Faço minhas as suas palavras. Você é super pró-ativo e ajudou a esclarecer e a problematizar vários pontos do edital e de temas relativos às políticas culturais em diversos fóruns dos setoriais.

          Hoje é o último dia de votação. Boa sorte para todos nós!

      • Olá Dinho,
        Bom dia!

        Super obrigada pelo o seu comentário aqui. Foi muito esclarecedor. Acho que o fórum é para isso mesmo, para gerar debater e também gerar esclarecimentos, já que alguns nós acompanhamos mais certos processos do que outros.

        Desculpe-me, mas não vi o seu comentário do dia 05 de outubro. Estou tentando acompanhar todos as discussões nos setoriais de São Paulo e também os de patrimônio material de todos os estados, e acho que acabei “passando batido” na sua postagem.

        Com relação às suas correções. Eu achei super bem-vindas. Acho ótimo poder ouvir as palavrar de quem acompanhou a construção do plano.

        Só fiquei perdida numa coisa: o próprio site do governo diz que foi encaminhado para a Assembléia mas não foi?
        Hoje o site está fora do ar, senão eu transcreveria o trecho aqui.

        Eu não acompanhei o processo e tinha entendido que as audiências públicas já tinham passado. Achei bom saber que isso ainda será acompanhado na 4ª Conferência, de uma certa maneira. Pessoas como eu (que estavam por fora do processo) poderão acompanhar.

        Aproveito para deixar também o meu contato por aqui. É agda.museologia@gmail.com

        Abraços,

        • Olá Agda boa tarde,
          Olha só o site que faz todo processo é o da Secretaria de Estado da Cultura e realmente agora a redação do Plano mais as propostas da consulta pública estão sendo analisadas pelo jurídico da SEC, quando chegar na ALESP com certeza haverá uma ampla divulgação nas redes em virtude das Audiências Públicas (que é lei), acho que isso demore alguns meses, mas existe um canal na Secretaria de Estado de Cultura com a assessoria do Gabinete que pode ir dando informações de como anda o processo. Existe ainda o site do plano.
          Até a próxima Conferencia Estadual de Cultura acredito que o Plano virou lei e será sim pauta por lá, não obstante as metas e ações propostas no Plano após virar Lei será uma régua de medição e nesse sentido será acompanhada por todos, a exemplo do que os representantes dos colegiados setoriais que estão sendo renovados aqui nesse pleito terão que fazer no Plano Nacional, acompanhar as metas, revelas, propor etc. etc…
          Vamos nos falando e boa sorte a todos….

  13. Na década de 80 trabalhei na Fundação de Cultura Solar do Ferrão, trabalho este que consistia na Revitalização do Pelourinho e arredores em Salvador, por meio de cadastramento, projetos de arquitetura na elaboração de plantas baixa e fachadas dos Casarões antigos que eram constituídos por uma enorme diversidade que consistia nesse mesmo local ser habitado por casas de família, prostíbulos e uma forte criminalidade, demonstrando toda uma marginalização social que ali existia.
    No inicio do projeto, foi muito difícil o acesso ao meio do complexo marginalizado pela sociedade baiana. Por ser um local aonde a marginalização e a prostituição eram dominantes.
    Mas, com o passar do tempo fizemos amizades com os moradores e adquirimos respeito e cooperação, com isso entravamos e saiamos sem sermos importunados.
    O governo a fim de acabar com a marginalização e revitalizar o local por todo o seu conceito histórico e cultural, indenizando os moradores do Pelourinho e arredores, entretanto esqueceram que tirando o povo se mata a história viva, perdendo a identidade do local para sempre.
    Contudo, este processo como todos que acontecem no Brasil apagam por completo o resgate da memória da comunidade do Pelourinho e arredores como agora esta acontecendo com a revitalização da cidade do Rio de Janeiro.
    Hoje o Solar do Ferrão é um Centro Cultural: espaço de arte, cultura e memória.

    Atenciosamente,
    Maxima Cruz dos Santos
    Baiana do Palácio de Cristal-Petrópolis

    • Olá Máxima,

      Obrigada pelo seu belíssimo depoimento!
      Você está coberta de razão. Parabéns pelo seu trabalho! O Solar do Ferrão é um complexo muito importante.
      Concordo inteiramente com você.
      Não só os governos, mas também a especulação imobiliária e até mesmo alguns agentes culturais que, infelizmente, consideram que “melhoria” é quando uma nova dinâmica cultura toma conta do lugar. Dinâmica esta que é muita vezes totalmente alheia aos processos históricos e culturais já pré-existentes nos espaços. Além disso, a exclusão da população originária faz com que ocorra a perda da identidade local para sempre.

      Espero que você seja eleita no Rio para que possa continuar lutando por processos que não excluam as populações locais.

      Abraços,

  14. Olá pessoal,

    Ainda na área de Museus, ocorrerá um evento muito interessante no final desse mês: Diálogos entre Educação e Museus

    “O Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta a segunda edição do Seminário Internacional Diálogos em Educação e Museu.
    Estarão reunidos especialistas de diferentes pontos do globo para pensar e discutir conosco os Museus como espaço de convivência, tema desta edição”

    Mais informações: http://www.dialogosemeducacaoemuseu.com.br/

  15. O problema Ruberval é que só nós nos esforçamos para coletar assinaturas. Se os outros candidatos tivessem dado as caras, poderíamos levar mais um candidato só com a assinatura dos 4 desaparecidos.

  16. A situação é tão interessante, que os candidatos do DF, MA, RN e SE foram eleitos sem terem feito uma única participação nos fóruns virtuais. Nem um “oi” precisaram dizer! Isso é que é democracia!!!

    • Isso eu achei bem absurdo…

      Agora, não sabemos se eles estiveram presentes nos Encontros Presenciais.

      De qualquer maneira, a esfera virtual é muito importante. Até para conhecermos os candidatos de todo o país. Em SP, eu estou acompanhando as disxcussões de todos os setoriais. E de patrimônio material em todo os estados…
      A minha decepção é que as coisas são construídas no debate, mas é difícil fazer debate com fantasmas.

  17. PRIMEIROS DELEGADOS PARA O FÓRUM NACIONAL DE PATRIMÔNIO CULTURAL MATERIAL
    Por estarem concorrendo sozinhos e considerando que conseguiram as assinaturas necessárias para o Fórum Nacional de Patrimônio Cultural Material, já estão eleitos os candidatos:
    YURI SOARES FRANCO – DF
    PAULINA ONOFRE RAMALHO – RR
    ANA LÚCIA CUNHA E SILVA – AC
    ALESSANDRA COSTA GOMES (PAJAMA) – MA
    GENILDO MOREIRA ANGELIM – CE
    LUCIANO FÁBIO DANTAS CAPISTRANO – RN
    PÉRICLES MORAIS DE ANDRADE JÚNIOR – SE
    MAURÍ LUIZ BESSEGATTO – TO
    Para terem sido eleitos, basta que tenham recebido um único voto. Parabéns aos companheiros!
    As disputadas mais acirradas serão nos estados
    SP – 6 candidatos / 1 vaga
    PE – 5 candidatos / 1 vaga
    SC – 4 candidatos / 1 vaga
    MG – 3 candidatos / 1 vaga
    RS – 3 candidatos / 1 vaga
    PB – 3 candidatos / 1 vaga
    BA – 3 candidatos / 1 vaga
    GO – 3 candidatos / 1 vaga
    AM – 3 candidatos / 1 vaga
    A eleição do setorial de Patrimônio Cultural Material será mais tranquila nestes estados:
    PA – 4 candidatos / 2 vagas
    MT – 3 candidatos / 2 vagas
    RJ – 2 candidatos / 1 vaga
    PR – 2 candidatos / 1 vaga
    AL – 2 candidatos / 1 vaga
    AP – 2 candidatos / 1 vaga
    RO – 2 candidatos / 1 vaga
    ES, MS e PI não possuem candidatos ao colegiado de Patrimônio Cultural Material

    • Olá Antonio,

      No presencial de SP, o MinC disse que cada estado teria pelo menos um representante, mesmo que não atingisse as assinaturas necessárias

      • Ou seja, não necessariamente os candidatos se mobilizaram. Pode ser que sim. Pode ser que não

  18. Ruberval, Agda, se observarmos bem, nossos estados poderão ficar sem representação. Rio e Sampa terão direito a apenas 1 representante cada. São 29 delegados e 7 natos, isto é, são 36 candidatos para 30 vagas (quinze titulares e quinze suplentes). Dessa forma, seis delegados ou natos que estarão em Brasília ficarão de fora do Colegiado e do próprio Conselho. Divulgados os delegados, precisamos nos organizar.

    • Oi Antonio,

      Sim, era nesse sentido que eu quis dizer que o Rio ficaria “subrepresentado”, eu quis dizer com baixa representação…assim como SP está…
      Agora, é oossível que nem todos os candidatos irão até Brasília. Então, não sei como será a eleição. Pode ser que os delegados natos não queiram continhar. Existem muitos “podem ser”.

  19. São Paulo com apenas um representante no setorial.A Diversidade da cidade merecia mais .Muito mais .Os números são expressivos.Devemos ficar atento aos resultados .Boa sorte a todos.

  20. Olá pessoal,
    Agora que o MinC divulgou o número de candidatos de cada setorial por estado, o cronograma para o setorial de Patrimônio Material fica assim:
    .
    10.6: 9/10/2015 – publicação dos delegados estaduais eleitos e registros de candidatura
    indeferidos. Início do prazo de recurso.
    10.7: 14/10 – fim do prazo de recurso.
    10.8: 16/10/2015 – homologação dos delegados estaduais eleitos.
    10.10: 17 a 20/11/2015 – Fóruns Nacionais Setoriais. Colegiados: Moda, Design, Arquitetura e Urbanismo, Patrimônio Material, Arquivos e GT de Museus. Brasília/DF.
    10.12: 7/12/2015 – Homologação dos membros eleitos dos Colegiados Setoriais e os
    respectivos representantes para o Plenário do CNPC.

    Abraços,

  21. DELEGADOS DO PATRIMÔNIO CULTURAL MATERIAL PARA O FÓRUM NACIONAL SETORIAL
    Serão ao total 29 delegados, mais os sete membros natos, que representarão o setorial do Patrimônio Cultural Material. Salvo MT e PA que terão dois delegados cada, os demais estados conseguiram eleger apenas um delegado. No estado do Rio de Janeiro são dois candidatos, mas apenas um estará presente em Brasília.
    Inexplicavelmente, ES, MS e PI não possuem candidatos para o setorial de Patrimônio Cultural Material, mas conseguiram as assinaturas para levar, cada um, um fantasma para o Fórum Nacional.
    O Fórum Nacional servirá para a eleição dos trinta membros do Colegiado de Patrimônio Cultural Material e os dois respectivos representantes para o Plenário do CNPC.
    Quanto ao Fórum Nacional Setorial de Patrimônio Material, na plataforma da eleição, na seção “calendário” conta que a data ainda será definida:
    3. Fóruns Nacionais Setoriais das áreas técnicas – Distrito Federal/DF
    Realização dos Fóruns Nacionais Setoriais dos Colegiados de Moda, Design, Arquitetura e Urbanismo, Patrimônio Material, Arquivos, e GT Museus. Data a confirmar após o período de Consulta Pública
    Ocorre que no edital consta diferente:
    8.3 Serão realizados os seguintes Fóruns Nacionais Setoriais:
    c) Fóruns Nacionais Setoriais de Moda, Design, Arquitetura e Urbanismo, Patrimônio Material e Arquivos, em Brasília-DF, de 17 a 20 de novembro de 2015.
    Sendo que 20 de novembro é feriado da Consciência Negra. O Fórum ocorrerá mesmo nessa data?

  22. Agora é oficial. O Minc divulgou que só teremos um delegado no setorial de patrimônio material no estado de São Paulo.

    • No total, teremos 29 delegados nos setoriais de patrimônio material no país inteiro.
      O estado com mais representação é o Amapá. No total, eles terão 41 delegados.

  23. Olá pessoal,
    Saiu a informação sobre os delegados por setorial:

    Número de vagas por setorial/estado nos Fóruns Nacionais Setoriais
    2 de outubro de 2015
    Durante o mês de setembro, o Ministério da Cultura realizou, em cada unidade da federação, encontros presenciais para mobilizar os participantes da eleição para o Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC).

    Além dos encontros promovidos pelo MinC, a sociedade civil junto aos Conselhos Estaduais e órgãos de Cultura realizaram 39 encontros descentralizados em 11 estados brasileiros. Ao todo, foram mais de 8 mil pessoas mobilizadas presencialmente e mais de 72 mil se cadastraram na plataforma digital do processo eleitoral.

    De norte a sul do país, artistas, ativistas, produtores, entusiastas, gestores e cidadãos participaram de debates que refletiram sobre a participação social na gestão cultural e os desafios políticos e de fomento para a área. Os encontros demonstraram a força social da Cultura em um grande exercício de cidadania pela democratização dos espaços de formulação das políticas culturais no Brasil, em especial pela renovação e qualificação do CNPC.

    A votação para escolha de delegados estaduais que participarão dos Fóruns Nacionais Setoriais segue até o dia 07 de outubro, com resultado dos eleitos previsto para o dia 09 de outubro.

    Os dados abaixo indicam o número de delegados a serem eleitos por colegiado setorial em cada estado, obedecida a regra de proporcionalidade estabelecida no item 4.3.3 do edital. Além destes se juntarão nos Fóruns Setoriais os Delegados Natos.

    Acesse aqui o arquivo PDF com a lista completa.

  24. Prezados (as),

    Como todos sabem o período de inscrição de candidatos e eleitores encerrou-se no dia 26/09/2015 mas a votação estende-se até o dia 07/10/2015.
    O Edital CNPC Nº 01/2015 cita de forma bem clara que:
    6.1.3 É vedada a candidatura de ocupantes de cargos comissionados do Poder Executivo Federal, Estadual, Municipal e do Distrito Federal.
    O mesmo Edital prevê três datas importantes:
    10.6: 9/10/2015 – Publicação dos delegados estaduais eleitos e registros de candidatura
    indeferidos. Início do prazo de recurso.
    10.7: 14/10 – Fim do prazo de recurso.
    10.8: 16/10/2015 – Homologação dos delegados estaduais eleitos.

    ADELMO DE MEDEIROS

  25. NÚMEROS DESSA ELEIÇÃO SÃO DESAFIADORES

    No total de inscrições, o estado do Rio de Janeiro aparece com pouco mais de 3 mil participantes, o que ficou muito abaixo do esperado, ainda mais quando comparado com o Amapá com 8.087 participantes e o Pará com 7.667.
    Mesmo a nível nacional, o número de participantes foi pequeno se considerarmos alguns dados estatísticos:
    o estado do Amapá possui uma população estimada pelo IBGE para 2015 de 766.679 habitantes, distribuída em 16 municípios. Os 8.087 participantes correspondem a 1,054% dos amapaenses; o estado do Pará possui uma população estimada pelo IBGE para 2015 de 8.175.113 habitantes, distribuída em 144 municípios. Os 7.667 participantes correspondem a 0,093% dos paraenses.
    Vamos considerar que foram 3.500 participantes no estado do Rio de Janeiro. Ora, a população do estado do Rio estimada pelo IBGE para 2015 corresponde a 16.550.024 habitantes, distribuída em 92 municípios. Então, apenas 0,021% dos fluminenses participaram dessa eleição.
    Quanto ao número de candidatos por estado, o Rio de Janeiro não chegou a 100 inscritos, sendo todos os estados da federação suplantados por São Paulo que aparece com 156 candidatos, sendo que 24 deles só no setorial de Música.
    A nível nacional, o setorial de Patrimônio Cultural Material não chegou a 2 mil participantes, sendo superado pelos setoriais de Culturas Populares, com 10.246 participantes e de Culturas Afro Brasileiras, com 9.049. As setoriais de Música e de Literatura, Livro e Leitura ultrapassaram a marca de mais de 8 mil inscrições cada.
    Quanto ao número de candidatos do setorial de Patrimônio Cultural Material, são 58 em todo o país. Apenas ES, MS e PI não possuem candidaturas. As regiões mais concorridas são Nordeste (9 estados/17 candidatos), Norte (7 estados/14 candidatos) e Sudeste (4 estados/11 candidatos). Os estados com mais candidatos são SP (6), PE (5), PA (4) e SC (4). Incrivelmente o estado do Rio de Janeiro tem apenas 2 candidatos.
    Se o Ministério da Cultura está comemorando que 72.871 pessoas que se inscreveram nessa eleição, considerando que na anterior foram apenas 5 mil pessoas, os números alcançados em 2015 não foram satisfatórios, como a estatística revelou.
    A inclusão de um número maior de participantes deverá ser uma das preocupações do governo federal nas próximas eleições para o Conselho Nacional de Política Cultural.

    • Para além das considerações feitas acredito que a maior participação foi um avanço que, entretanto deve ser analisado com mais atenção para poder propor ajuste e melhoria não somente no processo eleitoral mas principalmente nas ações que aproximem as temáticas relativas ao Patrimônio Material a maioria da população.
      Um fato que chama atenção é que quando tem uma relação mais direta com a identidade cultural, como com os participantes da setorial Culturas Populares e da setorial Culturas Afro Brasileiras, a representação é mais consistente.
      Isso demonstra que o processo de apropriação dos bens culturais materiais quando está desligado da realidade cultural de um determinado setor da população perde força. Entretanto não podemos deixar de pensar que o Patrimônio Material, mesmo quando privo de um significado indenitário ou de memoria, pode estimular reflexões e questionamentos que o tornam importante não somente por uma determinada setor da sociedade mas sim para o conjunto da humanidade.
      Participei de um encontro na UERJ com os meninos da comunidade da Maré que fazem parte de um projeto que, apesar de ter começado a pouco, revolucionou a vida dele. Uma proposta que os levou a conhecer, pela primeira vez, realidades artísticas e culturais desconhecidas por eles e da maioria dos colegas deles. A arte “erudita”, a arte “popular”, as descobertas arqueológicas no Cais do Valongo, a literatura nacional e estrangeira, tudo de uma forma ou de outra os emocionou, os levou a pensar sobre o que é cultura, como se faz cultura, quem faz cultura. Quando perguntei se depois de ter conhecido tantas diferentes experiências culturais, poderiam pensar que todos nós somos produtores de cultura a resposta sim foi unanime e a mais colocaram que reconhecer isso os levava a uma outra postura em relação a vida do dia a dia na comunidade, os levava a se empoderar, a pensar e olhar para um horizonte além do que está imposto como o único possível.
      Então se pensarmos um pouco mais sobre este processo eleitoral a pergunta que devemos fazer não é somente onde o Minc poderia melhorar mas também o que nós podemos melhorar e como.
      Devemos trabalhar para que nas próximas eleições a participação seja realmente representativa, não diria da maioria, mas sim representativa da diversidade cultural da nossa sociedade. Esta consideração se faz necessária se lembramos que o “capital cultural” (citando Bourdieu) é diferente para cada segmento da população, para cada individuo dependendo das oportunidades que teve, do ambiente no qual nasceu, das características culturais do núcleo familiar etc. Será necessária uma mais ampla divulgação do processo eleitoral, de um engajamento maior das secretarias de cultura municipais e estaduais e principalmente de ações que devolvam aquele “capital cultural” aos que dele foram privados.
      Um bom final de semana a todos

      • Olá Carlo,

        Concordo com você.
        Eu vejo como positivo o aumento no número de participantes desse ano.
        Acho que temos que observar que houve alguns avanços sim. E as nossas críticas podem ser subsídios para que algumas falhas possam ser revistas nas próximas eleições.

  26. Olá pessoal,

    Estive hoje na Audiência Pública sobre o projeto de lei do Conselho Municipal de Política Cultural, que ocorreu na Galeria Olido.
    O Projeto de Lei pode ser acessado aqui: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/upload/pl%20248_15%20_conselho%20Camara_1443215672.docx
    Eles (o poder público) disseram que quem tiver interesse em fazer sugestões/observações/propostas para o projeto, pode enviar um email para educacao@camara.sp.gov.br com o assunto: Sugestões para o PROJETO DE LEI 01-00248/2015.
    Algumas pessoas já fizeram algumas críticas e sugestões ao PL hoje. O secretário Nabil Bonduki disse que as sugestões serão analisadas. Ele disse também que haverá ainda outra audiência sobre esse PL.

    Abraços,

  27. Olás,
    O MinC ainda não divulgou o número de delegados que será eleito por estado.
    Conferi no edital e era para eles terem informado no dia 28/09.
    Espero que saia nessa semana.

    Vejam só:
    10.5: 28/09/2015 – publicação do número de delegados a serem eleitos por colegiado

    • Eu enviei e-mail para a organização perguntando se eles já têm uma nova data de divulgação.

    • No tópico calendário não prevê a divulgação do número de delegados, mas somente que no dia 09/10 será publicada a lista de delegados/as eleitos/as.
      Informa ainda que o prazo para recursos inicia neste mesmo dia e vai até dia 14/10. Por fim, dia 16 de outubro será divulgada a lista de candidatos/as homologados.
      Agora eu pergunto: recorrer como?? Não temos acesso ao número de assinaturas por setorial reunidas nos Encontros, ao número de votos recebidos por cada candidato, aos documentos apresentados por cada candidato, se cada candidato atendeu efetivamente ao edital. No final, a lista que for apresentada será irrecorrível por falta de transparência da organização da eleição.

      • Oi Antonio,
        Então, eu tirei essa informação, que eu colei ali em cima, do edital: 10.5: 28/09/2015 – publicação do número de delegados a serem eleitos por colegiado, por isso enviei email perguntando sobre a tal divulgação porque eles já sabem o número de pessoas que foram e etc. Assim, como eles divulgaram do Amapá…eles poderiam ter divulgado de todos os estados. Não sabemos, por exemplo, como eles contaram o número de pessoas que passou pelos Encontro Presenciais em São Paulo… e nem o número de delegados que serão eleitos…
        Acho que eles falharam um pouco nisso. Já podiam ter divulgado esse balanço…um documento geral e oficial com dados de todos os estados…

        • Então, eu conferi novamente o edital e o cronograma está assim:

          10. CRONOGRAMA
          O processo eleitoral obedecerá ao seguinte cronograma:
          10.1: 09 a 16/08/2015 – Fórum Nacional Setorial de Culturas dos Povos Indígenas – São Paulo/SP, já realizado.
          10.2: 19/08 a 26/09/2015 – período de cadastro de eleitor e registro de candidatura para delegado estadual na plataforma digital http://www.cultura.gov.br/votacultura, inclusive durante os Encontros Estaduais Eleitorais.
          10.3: 08/09 a 07/10/2015 – período de votação na plataforma digital, inclusive durante os encontros Estaduais Eleitorais.
          10.4: 08/09 a 26/09/2015 – realização dos Encontros Estaduais Eleitorais nas unidades da Federação.
          10.5: 28/09/2015 – publicação do número de delegados a serem eleitos por colegiado
          setorial.
          10.6: 9/10/2015 – publicação dos delegados estaduais eleitos e registros de candidatura
          indeferidos. Início do prazo de recurso.
          10.7: 14/10 – fim do prazo de recurso.
          10.8: 16/10/2015 – homologação dos delegados estaduais eleitos.
          10.9: 10 a 13/11/ 2015 – Fóruns Nacionais Setoriais. Colegiados: Dança, Teatro,
          Música, Arte Digital, Artes Visuais, Livro, Leitura e Literatura e Circo. Rio de
          Janeiro/RJ.
          10.10: 17 a 20/11/2015 – Fóruns Nacionais Setoriais. Colegiados: Moda, Design,
          Arquitetura e Urbanismo, Patrimônio Material, Arquivos e GT de Museus. Brasília/DF.
          10.11: 24 a 29/11/2015 – Fóruns Nacionais Setoriais. Colegiados: Cultura Popular,
          Artesanato, Patrimônio Imaterial, Cultura Afro-brasileira. Serra Talhada/PE.
          10.12: 7/12/2015 – Homologação dos membros eleitos dos Colegiados Setoriais e os
          respectivos representantes para o Plenário do CNPC.

  28. Olá pessoal,
    Notícia importante, vejam só: Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de São Paulo promove Audiência Pública sobre o projeto de lei do Conselho Municipal de Política Cultural
    Encontro acontece no dia 1º de outubro, às 19h, na Galeria Olido
    No dia 1º de outubro, às 19h, na Sala Olido, acontece a Audiência Pública promovida pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de Política Cultural. O novo projeto, encaminhado à Câmara pela Secretaria Municipal de Cultura, amplia a participação dos segmentos culturais e incorpora o conceito de territorialização com representantes de nove macrorregiões da cidade e a criação de comissões setoriais e regionais.

    Diversas ações vêm sendo adotadas pela Secretaria Municipal de Cultura para avançar em marcos legais para a Cultura da cidade de São Paulo, entre elas, o Plano Municipal de Leitura, Literatura, Livros e Bibliotecas, a aprovação do Fundo Municipal de Cultura, a elaboração do projeto de Reforma Administrativa e a reorganização do Conselho Municipal de Política Cultural, tornando-o mais plural e contemporâneo.

    A consolidação do projeto de lei que reorganiza o Conselho Municipal de Política Cultural passou por um intenso processo de consulta pública nos anos de 2013 e 2014. A consulta foi realizada através de um portal especifico para receber as propostas, alocado no site de SMC. Além do portal, realizamos um conjunto de reuniões e de rodas de conversas com vários coletivos de cultura da cidade. As propostas que chegaram por meio dessa consulta pública e dos encontros foram, na sua maioria, incorporadas ao projeto de lei que agora está na Câmara Municipal.

    Veja algumas novidades do projeto do novo Conselho:
    – Institui a representação de conselheiros advindos de nove macrorregiões da cidade;
    – Amplia a diversidade de representações das linguagens culturais;
    – Reconhece a importância de coletivos culturais que, mesmo sem estar formalizados, desempenham importante papel na cultura da cidade;
    – Institui as Comissões Setoriais e Regionais;

    A participação de tod@s nesse processo é fundamental!

    Clique aqui para ter acesso ao Projeto de Lei em consulta

    Serviço: AUDIÊNCIA PÚBLICA da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal. | Dia 01/10, 19h, na Galeria Olido (Sala Olido) – Avenida São João, 473 – Centro.

  29. Boa noite a todos os candidatos e eleitores desse fórum!
    Inicialmente gostaria justificar a todos que devido à minha inscrição tardia, não pude participar do Encontro Presencial. Mas venho acompanhando os debates sobre cultura a longo tempo.
    No meu perfil procurei deixar alguns pontos que considero importante na minha formação e atuação na área cultural. Entretanto, como o espaço para nossa apresentação era bastante limitado, algumas informações não constam ali.
    Atualmente sou professora no curso Técnico em Eventos no IFSP – Campus Barretos e desde 2014 e responsável pela disciplina de Produções Culturais e Artísticas. Nesse curso pude desenvolver atividades junto com alunos e colegas de curso que contemplam desde elaboração e execução de projetos culturais, conhecimento de legislação cultural, leis de incentivo e fomento à cultura, entre outras.
    Também sou professora no Curso de Gestão em Turismo, responsável pela disciplina de Patrimônio e Turismo, onde procuro abordar o processo de patrimonialização no Brasil e fora dele, as políticas de salvaguarda de bens histórico-culturais, a necessidade de uma consciência de preservação por parte da sociedade.
    Sendo assim, como área de meu interesse maior, venho procurando me aprimorar cada vez mais e para tanto, participei recentemente de um curso de Produção Cultural oferecido pela Base3 – Produtora e sou aluna do Curso de “Gestão Cultural: cultura, mercado e desenvolvimento” pelo SENAC/SP, espaço esses em que procuro me atualizar com as novas demandas do setor.
    Também gostaria de informar que fui eleita Delegada de Cultura (suplente) para representar o Estado de São Paulo na Conferência Nacional de Cultura em 2009, oportunidade que me possibilitou ampliar as discussões sobre as políticas públicas para a cultura em nosso país.
    Em função de minha experiência e formação tenho certeza que posso contribuir para que novos debates e novas práticas possam ocorrer na área cultural.
    Coloco-me à disposição nesse fórum para responder às dúvidas e questionamentos de todos os interessados.
    Abraços, Renata

  30. Prezados colegas do Fórum Setorial de Patrimônio Material de São Paulo

    BOM DIA A TODOS…
    Sou Candidato pelo Fórum Setorial de Culturas Populares e estou compartilhando a todos CANDIDATOS o post de hoje junto ao meu Setorial

    O MOTIVO DE QUEM NÃO ESTÁ CONSEGUINDO VOTAR.
    Hoje falei via telefone com a Tassia da Representação Regional de São Paulo que foi super bacana e esclareceu a questão.
    Na Plataforma houve o período de INSCRIÇÃO tanto para CANDIDATOS como ELEITOREIS, nesse sentido, QUEM NÃO SE CADASTROU NÃO PODE MAIS VOTAR, mesmo a VOTAÇÃO SENDO ABERTA até 7 de outubro. (se a votação vai até dia 7 de outubro, por quê fechar o sistema?)
    Por tanto os colegas CANDIDATOS que estão fazendo suas CAMPANHAS, PEDINDO VOTOS, se a pessoa NÃO SE INSCREVEU ANTERIORMENTE (antes de fechar o sistema na Plataforma) NÃO TERÁ COMO CONSIGNAR O VOTO. Na conversa com a Tassia ela me adiantou que É IMPOSSIVEL O MINC REVER A QUESTÃO.
    Lamento que na reunião presencial de São Paulo na SEC os representantes do MINC não INFORMARAM essa questão e fica uma sugestão para o próximo certame quanto á questão da VOTAÇÃO que entendo que tem que ser revista a metodologia na PLATAFORMA, pois nós CANDIDATOS teremos um tempo maior para captar votos já que essa é proposta de alargar a discussão junto s Sociedade Civil. Acredito que todos ainda estão em plena campanha para captação de votos.
    Boa sorte aos Colegas Candidatos e talvez possamos OS CANDIDATOS em um futuro próximo promover uma reunião conjunta para elaborarmos propostas e fazer uma discussão alusiva ao Setorial.
    Por último sugiro a todos CANDIDATOS a entrarem em contato com a Gestão da Representação do MINC em SP (2766-4300) procurem a Tassia ou Gil Marçal para registrar essa questão, quisá o MINC faça uma escuta das bases e REVERTA NA PLATAFORMA A IMPOSSIBILIDADE DAS PESSOAS VOTAREM ATÉ O DIA 7 DE OUTUBRO.
    Saudações Culturais
    DINHO RODRIGUES
    Candidato ao Setorial de Culturas Populares

    • Olá Dinho! infelizmente não ficou claro! o cadastramento é limitador.Qual o problema ficar aberto enquanto vale votação ?Mudar voto? qual a possibilidade alguém da sua base e conheça sua caminhada mudar voto?Não somos “políticos’ tradicionais.Cada um tem suas realizações quem sabe delas vota.

      • Boa noite Ruberval, muito bem colocado, mas temos que fazer coro junto ao MINC, pois no Edital não consta essa questão de fechar a plataforma, pelo contrário legitima a Universalização do voto até o dia 7/10. Nós Candidatos temos o papel de fazer ou pelo menos tentar fazer uma discussão, uma provocação junto a muitos fazedores de cultura que estão na quebrada e nem de longe imagina qualquer processo de discussão na área (ou linguagem) o que torna mais incoerente a lógica do processo atual, não obstante é mais “doido” se pensarmos que o MINC junto as Culturas Digitais tem se empenhado com muito recurso, tempo e expertise e como foi que “ramelaram ” dessa forma na Plataforma. TEMOS QUE FAZER CORO E TENTAR REVERTE A QUESTÃO, POIS TODOS NÓS ESTAMOS SENDO PREJUDICADOS.
        Forte Abraço e Saudações Culturais

        • Oi Dinho,
          Concordo com você. Essa questão ficou bem dúbia.
          Mesmo no Encontro Presencial, essa informação não ficou muito clara.
          Como você está pensando em articular isso? Cada pessoa enviar um e-mail individual ou enviarmos uma carta coletiva? Devido ao tempo, imagino que seja a primeira opção.
          Acho que essa luta é válida, precisamos questionar esses prazos, mesmo que eles não revejam desta vez, eles podem repensar para as próximas eleições.

          • Bom dia Agda, olha só já temos vários candidatos se manifestando, penso que o melhor canal seria a representação do MINC em SP com o Gil Marçal, falei com ele ontem pelo telefone, ele já encaminhou a comissão eleitoral do processo as questões e ficou de dar retorno hoje, nesse sentido seria prudente TODOS entrarem em contato, mas registar o conteúdo no por e-mail. No fale conosco da plataforma enviei 3 e-mail´s e até agora não obtive reposta. POR TANTO QUERIDA, BORA MANDAR E-MAIL AO GIL MARÇAL E TELEFONAR.
            Forte abraço e nos vemos hj na Olido.

            • Oi Dinho,
              Nos vemos sim na Olido.
              E você poderia me passar o email de Gil Marçal? Vou também encaminhar uma manifestação.

              Obrigada.

            • Agda, acho que tive algumas aulas com voçê na Pós Graduação de Gestão Cultural do SENAC Lapa. Você deu aula lá a convite da Profa. Soleda?

                • Olá,
                  Eu ainda não recebi resposta. Nem da plataforma digital e nem do Gil Marçal.
                  Conferi agora que o único lugar onde eles divulgaram a questão das datas para se inscrever e para votar foi na aba Calendário de Inscrições, que diz: Calendário do processo eleitoral
                  2 de setembro de 2015
                  As inscrições estarão abertas no período de 17 de agosto a 26 se setembro de 2015 tanto para eleitores/as como para candidatos/as.

                  O período de votações acontece entre 9 de setembro e 7 de outubro de 2015, sendo que entre os dias 27/09 à 07/10 os/as eleitores/as poderão mudar de voto apenas uma vez.

                  No dia 09/10 será publicada a lista de delegados/as eleitos/as. O prazo para recursos inicia neste mesmo dia e vai até dia 14/10. Por fim, dia 16 de outubro será divulgada a lista de candidatos/as homologados.

                  Mas se não consta no edital, é válido? Dúvidas.

                  • Olá Agda, boa tarde vi seu post agora, olha só, ontem fiquei tão chateado com as questões da votação que acabei ficando em uma roda de samba em comemoração ao niver do Bairro do Bexiga no Teatro Sergio Cardoso e não tive pique para ir na audiência. Mas a noite recebi uma ligação da Assessoria do Ministério, a pessoa disse que eles estavam vendo a questão da plataforma e disse também que são em 4 pessoas para todo processo, nesse sentido não sei se darão conta para a agenda conforme publicado no Edital. abraços e ficamos no aguardo.

                    • Olá Dinho,
                      Boa noite!

                      Eu também vi o seu post só agora.
                      Uma das coisas que pode ser melhorada na plataforma é a questão de perguntas e respostas. Poderia ter alguma espécie de aviso para não perdermos as conversas e discussões de vista.

                      Puxa, apenas 4 pessoas? Que dureza. Temos que reconhecer que o MinC está sim fazendo um esforço homérico para dar conta de tantas demandas. O Brasil é continente… Por isso, que acho que precisamos criar uma maneira de entregar ao MinC as nossas observações e os pontos negativos e positivos.

                      Será que vai adiar um pouco o resultado das eleições? Bom, é possível que sim. Eu vi que em um outro fórum (acho que foi até no setorial de Culturas populares mesmo) tem um candidato que está sendo questionado por ter (aparentemente) um cargo comissionado. Se isso for comprovado, a candidatura dele terá que ser excluída. Acho que tem muita água para rolar ainda…

                      Abraços,

                    • Só corrigindo: O Brasil é um “continente”…

  31. Olá Amigos do Patrimônio!Segue notícia para”esperançar”:
    “Prédios tombados de São Paulo que nunca foram abertos ao público vão receber visitação e terão programação especial em 12 e 13 de dezembro, na primeira Jornada do Patrimônio Histórico da cidade, que também terá apresentações culturais e passeios guiados” Nabil lembrando do acervo paulistano!.

  32. O Amapá teve uma grande mobilização no Encontro Presencial.
    E aqui a presença foi tão baixa…

    “O estado do Amapá, com aproximadamente 700 mil habitantes, inscreveu 8.807 participantes na plataforma digital do processo eleitoral para o Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC).

    No encontro estadual, realizado no dia 17 de setembro, no museu Sacaca, o estado teve a participação de 1.131 pessoas, em um esforço conjunto de mobilização do Conselho Estadual de Cultura e das Secretarias Municipais de Cultura”

    Fonte: http://cultura.gov.br/votacultura/2015/09/29/amapa-tem-a-maior-mobilizacao-presencial-e-digital-do-pais-para-a-renovacao-do-cnpc/

  33. O setorial de Patrimônio Cultural Material não está tão ruim. São 58 candidatos em todo o país. Apenas ES, MS e PI não possuem candidaturas. Os regiões mais concorridas são Nordeste (9 estados/17 candidatos), Norte (7 estados/14 candidatos) e Sudeste (4 estados/11 candidatos).
    No período de 27/09 até 07/10 os eleitores poderão confirmar seu voto em seus candidatos ou trocarem seu voto apenas uma vez.
    Por isso,
    em defesa do Patrimônio Cultural Ferroviário
    em defesa do Patrimônio Cultural Quilombola
    em defesa do Patrimônio Cultural Arqueológico
    em defesa do Patrimônio Cultural Militar
    em defesa do Museu Casa da Força Expedicionária Brasileira
    em defesa do Museu Casa do Patrimônio Cultural Ferroviário (antigo Museu do Trem)
    em defesa da Paisagem Cultural Fluminense
    em defesa dos Monumentos Históricos do estado do Rio de Janeiro
    em defesa do Patrimônio Cultural da Baixada Fluminense
    VOTE
    Antônio Seixas
    Patrimônio Material – RJ

    • Olá Antonio,

      Não compreendi bem sobre o porquê de você ter deixado essa mensagem em todos os fóruns de patrimônio material, de todos os estados.
      As únicas pessoas que podem votar em você são aquelas que se cadastraram até o dia 26/09 no fórum do Rio do Janeiro.
      Fora isso, as pessoas podem mudar o voto uma vez só, mas não podem trocar de setorial….

      De acordo com o site do CNPC: A participação é aberta para todos nos fóruns setoriais. Entretanto, o voto só pode ser exercido naquele escolhido no momento da inscrição ou da alteração, o que foi possível até o dia 26/09.

      • Não vejo problemas. Primeiro porque estou comentando sobre a situação do setorial a nível nacional. Em segundo lugar, porque com a postagem inclui uma lista das linhas temáticas de minhas proposta. A ideia era fomentar o debate com os representantes de outros estados.
        Prova da baixíssima participação do setorial até mesmo virtualmente está na ínfima ou nenhuma participação em alguns estados, onde os candidatos sequer se deram ao trabalho de dialogar ao longo desses 40 dias.
        Além de uma baixíssima participação no fórum virtual, poucos foram os candidatos presentes nos Encontros Regionais, o que me leva a perguntar: se não poderiam comparecer a um único evento, poderão estar em Brasília efetivamente participando do colegiado? Eu acho que não.

        • Oi Antonio,
          Entendi agora a sua colocação. Faz muito sentido.
          Também estou achando tudo isso bastante problemático. Tenho impressão que as pessoas só se cadastraram e não acessaram mais o Fórum. Ou se cadastraram e deixaram só uma mensagem.
          Só que para Brasília só irão candidatos eleitos, não é? Suspeito que alguns candidatos estão tão desaparecidos que talvez sejam eleitos, mesmo sem saber que foram.
          Acho que precisamos fazer alguns encaminhamentos para que o MinC use a experiência deste ano para fazer algumas melhorias no ano que vem.

  34. Olá pessoal,

    Nesse ano tivemos o número 72 mil inscrições para a participação no CNPC. O número parece tímido, mas é um grande avanço para a Cultura! Nas últimas eleições para o CNPC a participação foi só de 5 mil pessoas, segundo o MinC.

    Agora vamos aguardar para o resultado da eleição no dia 07 de outubro e acompanhar os candidatos eleitos para que eles possam realmente aproximar a sociedade das políticas culturais.

    Abraços,

    • Agda, na eleição passada, fui eleitor do setorial de Literatura, Leitura e Livro. Poucos candidatos, pouquíssimos eleitores.
      Depois da experiência acumulada presidindo o Conselho Municipal de Política Cultural de Magé (2013/2015) saí candidato pelo setorial de Patrimônio Cultural Material – RJ.
      Mas dessa vez, pouquíssimos candidatos (apenas 2) e um número razoável de eleitores.
      Espero que na próxima eleição essa equação esteja mais equilibrada.
      Obrigado por sua participação no fórum de Patrimônio Cultural Material – RJ.

      • Eu fiquei surpresa com o número baixo de candidatos pelo RJ. Levando em conta que a capital está passando por uma série de obras de reconfiguração urbana e também pelo fato de que o estado tem uma quantidade vasta de patrimônios, achei que o estado ficou subrepresentado
        É uma pena, mas acho também que essa plataforma do CNPC é uma novidade. Acho que a tendência é que as próximas tenham ainda mais participantes, tanto candidatos quanto eleitores.

          • Desculpe se te ofendi, não foi esta a intenção. Usei mal a palavra. A questão é o que estado fica sim com pouca representação com relação à quantidade de patrimônios e de pessoas do estado. E não acho que só o Rio ficou. Quase todos estados ficaram com representação.
            Usei a palavra errada não era “sub presentado” e sim com “pouca representação”. Não quis dizer que vocês são inferiores e sim que seria interessante que houvesse mais representantes.

  35. É preciso haver mais troca de idéias! Que fortaleçam o debate! E que aprimore as demandas! As orientações para construção de políticas públicas consistentes para o Setor.O CNPC é uma boa oportunidade para que a sociedade contribua para o equilíbrio entre as forças que operam contra a preservação patrimonial e sua valorização.”Um Povo sem memória é um Povo sem História”!! Sem história sem identidade ,autoestima.Sem cidadania !

    • Olá, Ruberval.

      Concordo com você. Precisamos criar uma estrutura que realmente permita que a sociedade saiba mais sobre os patrimônios.

    • Ruberval coloquei um texto que vou reproduzir aqui com algumas reflexões. Espero poder contribuir com você a a Agda e todos que participam da nossa luta. abs
      Betinho de Souza já dizia:
      Um país não muda pela sua economia, sua política e nem mesmo sua ciência; muda sim pela sua cultura.
      Esta frase contem muito do que devemos projetar para as nossas ações futuras tendo como aliada a educação, força fundamental para alcançar os nosso objetivos de preservação de uma memoria e identidade muitas vezes negada. A política de preservação tinha, até poucas décadas atrás, como finalidade difundir entre a população uma concepção unívoca de memória, de uma historia sem conflitos e contradições.
      Dessa forma, ficaram excluídas da historia oficial as diferenças e a pluralidade étnico cultural características do Brasil. Os tempos mudaram e hoje, ainda que muitas dificuldades e resistências sejam encontradas no nosso caminho, estamos em situação bem melhor com conquistas inegáveis como por exemplo o Decreto Lei nº 3.551 de 2000, o inventário e o registro de bens culturais de natureza imaterial.
      Mas voltamos ao que acredito seja mais importante em fortalecer que é a educação e que no nosso caso é chamada de patrimonial ou para o patrimônio. Talvez devido a minha formação que, apesar de ser inicialmente ligada as ciências exatas, foi aprofundada na pedagogia (tema da minha monografia: Educação Patrimonial e Cidadania, e da minha dissertação de mestrado: A imigração italiana no Rio de Janeiro e em Petrópolis e a Educação para os filhos dos emigrantes. ) vejo que as ações de tipo fiscalizadoras (também muito importantes) não são suficientes para alcançar os nosso objetivos comuns, justamente em uma ótica capitalista ou melhor neoliberal na qual a nossa sociedade está inserida. Tenho acompanhado o trabalho e esforço da Rede de Educadores em Museus (REM), dos nossos colegas do Museu Nacional – SAE que cuidam dessa área e pessoalmente acompanho a formação de muitos jovens que se aproximam do nosso trabalho de conservação/restauração de um acervo que é considerado (atenção são milhões de itens catalogados) o mais importante da América Latina. Percebo o entusiasmo dos jovens do Colégio Pedro II e as transformações alcançadas no final dos estágios. Não me refiro as questões técnicas e teóricas e as habilidades manuais que alcançam, mas a forma como enxergam o nosso patrimônio e a mudança nas relações que eles tem com as identidades culturais das comunidades a qual pertencem.
      Talvez teremos futuros conservadores/restauradores que poderão cuidar do nosso patrimônio com outro olhar, se juntando a muitos que como eu (me refiro também aos técnicos do Iphan, Inepac, aos museólogos etc.), que apesar das grandes dificuldades que encontram no dia a dia acreditam naquilo que fazem, com erro e acerto mas certamente com muita ética e profissionalismo.
      Se a educação formal e informal é fundamental a formação dos nossos colegas conservadores/restauradores também é importante, não para garantir um espaço em um mercado de trabalho, mas para garantir os princípios éticos fundamentais da profissão como estabelecido internacionalmente pelo ICOM e outros organismos internacionais de inegável importância para o futuro do nosso patrimônio material e imaterial.
      Os conceitos que apontei em outro texto que se referem a conservação preventiva são hoje parte de todas as teorias de preservação, inclusive indo contra os interesse de alguns que vem no trabalho de restaurador unicamente uma forma de sustento, mas que não tem compromisso ético ou “politico” (coloquei o politico entre aspas para não pensar que seja politico – partidário).
      Tem muito ainda para falar mas o que gostaria mesmo é de poder confrontar ideias e posições em uma conversa entre nós com calma e deixando do lado rivalidades que não constroem. Talvez um encontro entre eleitos e não eleitos, para não perder o que de bom podemos oferecer de cada um de nós para aquele que irão nos representar.

      • Olá Carlos,
        Obrigado por sua contribuição.Estamos em estados diferentes mas as angustias são praticamente as mesmas.Sempre que posso ,quando me pedem exemplo de política pública com alguma eficiência,não demoro para citar a do seu estado ,o Rio de Janeiro como uma das mais representativas. O decreto 20.048/2001 deveria ser “copiado” por todos os estados brasileiros.Qual sua avaliação sobre isso?

  36. Olá Agda e demais candidatos.Hoje nos mobilizamos por mais assinaturas na reunião presencial descentralizada na FUNARTE. O setorial agora precisa de maior participação.Vários outros setoriais somaram esforços para essa mobilização.A união e o dialogo entre os setoriais foi a marca dessa ultima reunião!!

  37. Olá pessoal,
    Vejam só hoje tem um encontro descentralizado em São Paulo.

    Não conseguirei estar por lá o período todo, mas acredito que por volta de 15h30 já estarei por lá.

    Se tivermos mais assinaturas, conseguiremos eleger mais um delegado por SP. Conto com vocês!

    ….

    ATENÇÃO!!! A Votação presencial continuará neste Sábado (26/09). Será na FUNARTE-SP !!! Das 14h00 às 17h30.
    [[ eleições-presenciais ‘descentralizadas’ e ‘extras’ já constavam previstas no Edital de Eleição … e a hora é agora! ]]
    Eleições Setoriais PRESENCIAIS
    para o Conselho Nacional de Política Cultural: http://cultura.gov.br/votacultura/2015/
    ATENÇÃO!!! SOBRE a Importância do PRESENCIAL
    _
    # De 3 a 30 inscritos-PRESENCIALMENTE no respectivo setorial:
    elege-se 01 Delegado para o Fórum Nacional Setorial.
    (no caso, o mais votado, somando-se votos Virtuais – que continuarão após o Encontro Presencial por uso da PlataformaDigital)
    _
    # De 31 a 100 inscritos-PRESENCIALMENTE no respectivo setorial:
    são eleitos 02 Delegados para o Fórum Nacional Setorial.
    (no caso, os mais votados, somando-se votos Virtuais – que continuarão após o Encontro Presencial por uso da PlataformaDigital)
    _
    # A partir de 101 inscritos-PRESENCIALMENTE no respectivo setorial:
    são eleitos 03 Delegados para o Fórum Nacional Setorial.
    (no caso, os mais votados, somando-se votos Virtuais – que continuarão após o Encontro Presencial por uso da PlataformaDigital)

  38. Agda e Ruberval, parabéns pela demonstração de comprometimento. Estamos juntos nessa caminhada.

    • Obrigada Antonio.

      Parabéns a você também, que está muito engajado nas questões do município de Magé e do Rio de Janeiro como um todo.

      Estamos juntos nessa caminhada para fortalecermos o campo do patrimônio.

      • Agda, obrigado pelas palavras de incentivo.
        Vamos fortalecer a luta.
        O Patrimônio Cultural Material pede socorro!!!

  39. Compromisso.Comprometimento.Comparecer e expor suas idéias ,debater para aprimorar as demandas do setorial.fortalecer o segmento.Estamos firmes! Obrigado Agda pela referencia!

    • Ruberval,
      Tem sido um prazer ter as discussões com você.
      Nossas trajetórias e ideias se encontram e se distanciam nessa caminhada em prol do patrimônio cultural. Entretanto, quero ressaltar que independente do resultado aqui, precisamos continuar trocando ideias e experiências, justamente para buscar o fortalecimento do segmento.

  40. Olá pessoal,
    O Encontro Presencial acaba de ser encerrado.

    Infelizmente a presença no nosso setorial de patrimônio material foi baixa.
    E aproveito para fazer a crítica aos meus colegas candidatos que nem se quer apareceram para participar dos debates.
    É uma pena.

    Mas, vamos continuar as discussões por aqui. As eleições irão até 07 de outubro.

    Abraços,

    Agda.

    • Só para complementar:
      Os únicos candidatos que compareceram no Encontro Presencial foram: eu e o Ruberval.

        • Obrigada Bernadino.

          Parabéns a você também pelo engajamento no Pará.
          Irei acompanhar o seu blog e acredito que precisamos realmente pensar num plataforma para conversarmos mais.

          Abraços,

  41. Já começou o Encontro Presencial em São Paulo do Conselho Nacional de Política Cultural!
    A Mesa de Abertura já está acontecendo.

    (https://instagram.com/p/8DgAZlIZt-XqgQ8OaksT-HPOp1DfgZDgOrbpc0)

    As votações já estão abertas!

    Eu sou candidata pelo setorial de Patrimônio Material e conto com o voto de vocês para que eu possa contribuir com o fortalecimento das políticas públicas para o campo do patrimônio.

    Espero ser a ponte entre a sociedade civil e o Estado para que os temas relativos à preservação e à difusão do patrimônio sejam contemplados no Conselho Nacional de Políticas Públicas. Criando uma plataforma viável para que a sociedade participe efetivamente da construções das políticas públicas.

  42. Olá pessoal!

    Já começou o Encontro Presencial em São Paulo!

    Venham para assinar a lista presencial e para debatermos mais.

    Quanto mais inscrições presenciais tivermos, mais delegados teremos para fortalecermos as políticas públicas para o campo do patrimônio.

    Eu, como candidata, se for eleita, me comprometo a lutar pela preservação do patrimônio, bem como buscarei manter a população informada e também estarei engajada para que as pessoas possam participar efetivamente da construção das políticas públicas!

  43. Um outro debate importante é com relação ao patrimônio arqueológico. Participei de vários de trabalhos de Arqueologia e posso dizer com propriedade que temos que nos mobilizar mais em prol da preservação arqueológico antes que seja tarde. Com a perda de patrimônio arqueológico, perdemos também a possibilidade de criar outras narrativas sobre a história de nossas cidades, estado e país.

    Mais políticas para o patrimônio material aliados com a educação é fundamental.

    Um exemplo é a ausência de educação patrimonial nas escolas. Os alunos saem, muitas vezes, sem ter o minímo de conhecimento sobre os nossos patrimônios. E com cidadãos menos conscientes a respeito dos patrimônios, mais difícil torna-se a luta e a preservação. Acho que essa é uma luta que eu, como candidata, considero extremanente importante e para a qual posso contribuir fortemente!

  44. Olá pessoal,

    E com relação aos outros candidatos? Quais são as demandas? O Fórum existe para o debate! Não é só para cadastrar e candidatar. Vamos debater mais, conhecer mais o perfil uns dos outros com o objetivo de fortificar as políticas públicas para a Cultura.

  45. Olá Agda! Estarei presente!!Tenho atenção especial com a Educação patrimonial.É inspirar apropriação pela comunidade dos seus patrimônios.As políticas devem caminhar nessa direção informação ,formação ,senso crítico para maior participação.

    • Oi Ruberval,

      Concordo com você. Eu trabalhei com Arqueologia e com Educação Patrimonial por um tempo e por experiência própria, posso dizer que é extremamente importante caminharmos nesta direção! Com a população mais informada e consequente mais engajada, poderemos caminhar muito ainda nesta direção! Educação e Cultura tem que caminhar juntas!

      Amanhã também estarei no Encontro Presencial no CNPC no período da tarde. Vamos fortificar e fazer ressoar as demandas para o campo do patrimônio!

      • E agora, ainda trabalho com Educação e Museus e vejo que precisamos dinamizar muitas ações entre os patrimônios e a sociedade.

      • Olá pessoa,
        E com relação aos outros candidatos? Quais são as demandas? O Fórum existe para o debate! Não é só de cadastrar e candidatar. Vamos debater mais, conhecer mais o perfil uns dos outros com o objetivo de fortificar as políticas públicas para a Cultura.

        • Que estranho. Não era para essa resposta aparecer aqui. O Fórum está com alguns problemas ainda…

          • E não dá para editar ou excluir. Peço desculpas por isso. A ideia era abrir uma nova aba de discussão.

  46. Olá pessoal,
    O encontro presencial é amanhã. Para aqueles que puderem, não deixem de comparecer porque quanto mais inscrições presenciais tivermos, mais delegados iremos ter em cada setorial.

    Seguem mais informações sobre o evento:

    https://m.facebook.com/events/887605318000692

    Sobre
    Eleições Setoriais PRESENCIAIS (das 09h00 às 18h00)
    para o Conselho Nacional de Política Cultural: http://cultura.gov.br/votacultura/2015/

    ATENÇÃO!!! SOBRE a Importância do PRESENCIAL
    (ENCONTRO PRESENCIAL: DIA 25, em SP)

    _
    # De 3 a 30 inscritos-PRESENCIALMENTE no respectivo setorial:
    elege-se 01 Delegado para o Fórum Nacional Setorial.
    (no caso, o mais votado, somando-se votos Virtuais – que continuarão após o Encontro Presencial por uso da PlataformaDigital)

  47. Participem também dos debates no fórum de Patrimônio Cultural Material do Rio de Janeiro deixando comentários, sugestões, críticas e denúncias de abandono dos nossos bens culturais.

    • Olá Antonio,
      Participe aqui também para trocarmos experiências entre São Paulo e Rio.

      Abraço,

  48. No exercício dessa ‘vigilância” ,dessa disputa pelo solo urbano, temos importantes conquistas.Vale citar o quarteirão de cultura do Itaim -bibi ,uma das regiões mais valorizadas de São Paulo,onde com intensa mobilização popular impedimos o Kassab e seu famigerado secretariado,de entregar tão importante aparelho público para a iniciativa privada! Maiores informações:
    http://www.preservasp.org.br/10_informativo.html
    http://www.dicasdoitaim.com.br/caminhada-cultural-pelo-itaim-bibi-sabado-8-de-agosto/
    http://blogdoaitalo.blogspot.com.br/2011/03/o-abraco-em-torno-do-quarteirao-da.html
    http://www.midiaindependente.org/pt/red/2011/02/486232.shtml

  49. Olá pessoal, vamos dinamizar esse fórum! 😉
    Vocês tem quais questões com relação às políticas públicas para o patrimônio material?

    No dia 25 de setembro ocorrerá, em São Paulo, o encontro presencial promovido pelo Ministério da Cultura. Espero encontrá-los lá!

    De acordo com o site do CNPC:

    Encontros presenciais

    O Ministério da Cultura irá percorrer os 26 estados e o Distrito Federal promovendo a renovação do Conselho Nacional de Política Cultural. Nos encontros estaduais os participantes poderão se inscrever e votar aqui na plataforma do processo eleitoral.
    Confira a seguir onde e quando serão as atividades que acontecem sempre de 9 às 18 horas.

    25/09 São Paulo/SP Secretaria Estadual de Cultura – Rua Mauá, 51 – Luz

  50. Saudações a todos os participantes!Sou membro- fundador do Preservasp saiba mais, acessando o site-www.preservasp.org.br. Atualmente secretário geral .Precisamos debater as questões do patrimônio de maneira ampla que permita as conexões de toda as as áreas do conhecimento.É preciso visões complementares, além da Arquitetura e Urbanismo

    • Olá Ruberval,
      Obrigada por compartilhar conosco essa iniciativa tão bacana!
      E concordo com você, o patrimônio precisa de visões complementares, para além da Arquitetura e Urbanismo e acho que também para além da Universidade, não? Acredito que, por isso, a participação popular é importante. A grande questão é como costurar essas relações entre o Governo e a Sociedade, para que mais pessoas possam participar? O CNPC é um começo de algo que pode ser muito valioso.

      • Olá Agda,
        Sem dúvidas! Você está certa na questão da participação popular.E nessa premissa que reside minha participação nesse processo! A Preservasp é a sociedade civil organizada em defesa do patrimônio Material ,imaterial e da paisagem Urbana! A Comunidade ,quem está próximo das questões de preservação com proximidade territorial ou afetiva! Tem que ter voz para ajudar a construir essas diretrizes ,essas decisões!

    • Oi Ruberval,
      Você tinha se cadastrado como eleitor e quer se candidatar?
      Não sabia que não era possível essa mudança.
      Ninguém da organização te respondeu? Deve haver alguma maneira de revertermos essa situação.

  51. Estou tentando alterar um erro de preenchimento ha pelo menos 10 dias.Ninguém da organização me respondeu.Decepcionado com o sistema.que não permite alterações de setorial.Mudanças para a melhoria de participação deveriam ser bem vindas ,mas o descaso dos organizadores em responder minha demanda legítima foi mesmo uma enorme decepção.

  52. Em defesa do Patrimônio Cultural Ferroviário
    Em defesa do Patrimônio Cultural Sacro
    Em defesa do Patrimônio Cultural Quilombola
    Em defesa do Patrimônio Cultural Indígena
    Em defesa do Patrimônio Cultural Arqueológico
    Em defesa do Patrimônio Cultural Militar
    Em defesa do Patrimônio Cultural Industrial
    Em defesa do Museu Casa da Força Expedicionária Brasileira
    Em defesa da Paisagem Cultural Fluminense
    Em defesa dos Monumentos Históricos do estado do Rio de Janeiro
    Em defesa do Patrimônio Cultural da Baixada Fluminense
    VOTE
    Antônio Seixas – Patrimônio Material – RJ

  53. Bom dia por gentileza…. poderiam me dizer quais ações, qual tipo de ações defendem no sentido de fazer o patrimônio material ser o sei lá que termo usar, vai com esse besta rs, ser protagonista na construção de uma cidade para todos? Obrigado.

    • Olá Paulo Guedes, boa tarde!

      Desculpe-me pela demora em responder. A plataforma não avisa quando há comentários.

      Com relação à sua pergunta, acredito que o patrimônio por si só não deve ser o protagonista da construção de uma cidade para todos, mas sim a tríade cidade x patrimônio x pessoas podem ser protagonistas desse processo.

      O problema é que muitas vezes o patrimônio é visto como algo estanque, sendo que são as pessoas que podem dinamizá-lo. Algumas ações são voltadas apenas para a preservação física dos patrimônios materiais, sendo que é vital pensarmos em articulações entre os patrimônios e as pessoas. Sendo assim, é necessário que as pessoas sejam ouvidas durante a construção das políticas públicas.

  54. Ainda estou no Setorial de Patrimônio Material de São Paulo. A minha inscrição saiu errada já que são do Estado do Rio de Janeiro. Como posso corrigir o erro? Alguém pode responder e me dar uma dica.Obrigado
    Carlo Pagani

    • Olá Carlo Pagani, tudo bem?
      Você conseguiu corrigir a sua inscrição? Ontem o Vota Cultura publicou uma nota dizendo que agora é possível mudar o estado, veja só:
      Troca de setorial e/ou estado
      18 de setembro de 2015
      A Secretaria de Articulação Institucional atenta às demandas da sociedade civil implementa modificações na plataforma do processo eleitoral do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC). A partir de hoje (18/09) será permitido a troca de setorial e de estado apenas uma vez. Sendo assim, os participantes que alegam terem se inscrito na setorial ou estado equivocado podem efetuar a troca até o dia 26 de setembro.

      No caso dos/as candidatos/as, ao realizar a troca de estado ou setorial os votos contabilizados até o momento da troca serão perdidos.

      De todas formas, conforme prevê o edital, no período entre 27 de setembro e 7 de outubro todos os/as eleitores terão a opção de confirmarem, ou alterarem seu voto.

      http://cultura.gov.br/votacultura/2015/09/18/troca-de-setorial-eou-estado/